04/09/2014

RESENHA: Entre o Agora e o Nunca - J. A. Redmerski

Entre o Agora e o Nunca

Autor: J. A. Redmerski
Editora: Suma de Letras
Páginas: 368
Edição: 1
Ano: 2014
Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino.
Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois.
Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. Narrado em capítulos que alternam as vozes de Andrew e Camryn, Entre O Agora e O Nunca é uma história de amor e sexo, na qual os personagens testam seus limites, exploram seus desejos e buscam o caminho que os levará à felicidade.
Eu gostei bastante do livro, gostei mesmo. Mas teve uma coisa que me incomodou bastante: A rapidez em que as coisas aconteceram. 

Camryn, 20 anos, tem o sonho de conhecer o mundo. Sair pegar com uma mochila sem rumo, não tem vontade de fazer nenhuma faculdade ou trabalhar sempre no mesmo local, vivendo uma vida monótona. Mas ninguém sabe disso, o único que sabia e que ela compartilhava era o seu namorado, Ian, mas ele faleceu. Seis meses depois do falecimento do namorado o irmão dela é preso e os pais se separam, ela fica com depressão e nem consegue mais chorar. Sente aquele vazio. Numa tentativa de fazê-la sair Natalie, melhor amiga da Cam (apelido da Camryn), resolve levá-la a um bar junto com seu namorado Damon (viciado em cocaína e que vende maconha). Depois de um tempo no bar o Damon revela pra Cam que está afim dela e tenta beijá-la. No dia seguinte decidida ela resolve contar a Natalie, mas ela não acredita em nada.

A partir daí que começa a história propriamente dita, Cam resolve sair de ônibus com uma mochila com itens essenciais. No ônibus ela conhece o lindo, gostoso, tatuado, maravilhoso: Andrew Parrish, que pegou o ônibus com o intuito de pensar, e ir ver o pai que tem câncer terminal. Eles conversam pouco, já sentem aquela química. No ônibus ainda ele percebe que há um cara olhando direto para a Camryn, e resolve ficar de olho nele. Quando chega no destino final dele, ele olha o cara e quando vê que ele se foi, decidi ir também. Mas tem um má pressentimento e volta, quando chega o cara tá lá dando em cima da Cam, então ele bate no cara, chama a polícia, e diz que ela vai pegar o primeiro avião pro destino dela. Ela se nega, então ele diz que ela vai com ele para o hospital depois os dois viajam juntos. E ela aceita!! Como assim? Tinham acabado de se conhecer, dá pra acreditar?

Gente, se teve algo que me irritou foi a facilidade para os personagens. E como as coisas aconteceram rápido demais. Em menos de dois dias eles já estavam viajando juntos e em menos de uma semana já estavam completamente apaixonados. E isso me irritou muito, vocês não tem ideia. O casal em si é fofo e tem química, são personagens cativantes. Os secundários tiveram pouca participação, mas quando apareceram foram bacanas. O livro tem uma narrativa intercalada entre a Camryn e Andrew e isso achei bacana, porque dá pra conhecer o que os dois pensam.

Mais acrescento mais uma coisa, o livro não é só flores, lá pertinho do final descobrimos algo que abala a estrutura de todos os personagens. E isso me chocou, não imaginava isso. Apesar dos pontos negativos ressaltados e que me irritaram, a leitura é bacana, a diagramação interna é gostosa de ler e a modelo da capa combina com a personagem. 

No mais, super indico a leitura!

QUOTES

"É melhor evitar a emoção do que cair na conversa dela e virar escravo dela, e como nada dura pra sempre, no fim, tudo o que um dia foi bom sempre acabada doendo pra cacete." pág 256
"Uma pequena chance é melhor do que chance nenhuma." pág 343

 


7 comentários

  1. Oi!
    Fiz um post hoje com a playlist desse livro!
    Apesar de tudo acontecer muito rápido, como você disse, eu amei o livro do mesmo jeito. Ele esta entre meus favoritos, já li o segundo e adorei também.
    Construindo Estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que se eu não tivesse me irritado tanto com a rapidez em que tudo aconteceu, teria curtido mais a leitura.
      Vou lá no seu blog, conferir o post =)

      Bjs

      Excluir
  2. Ainda não conhecia o livro, adorei a resenha! Quero muito ler *o*

    Abraços, Crazy Things

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é bem bacana sim, se tiver oportunidade, leia. :)
      Beijos

      Excluir
  3. Pela sua resenha me veio a ideia de que talvez a autora quisesse passar uma espécie de "amor à primeira vista" entre os personagens, eu não sei ao certo, porque ainda não li o livro, mas mesmo assim, parece que a história é bem bonita. Ótima resenha, muito imparcial ;)
    Beijos.

    vicioliteral.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sim... teve aquele amor a primeira vista. Mas nem por isso a gente deve exagerar, a autora passou um pouquinho do ponto. Teve momentos, em menos de uma semana, que a protagonista disse que não podia respirar sem o Andrew. Essas coisinhas assim, me irritaram. Mas a leitura é bem agradável, e como falei lá para o final tem uma coisa que nos deixa boquiabertos e que me fez chorar. E a narrativa é ótima, espero que você goste da leitura.

      Beijos

      Excluir
  4. Tu sabe que tu não é a unica que comentou que as coisas acontecem muito rapido nesse livro?? Acho que são os tempos modernos aahahahahah. Recebi da resenha uma percepção de livro chato, com personagens dramaticas e cheia de drama e mimimi, embora a capa seja linda.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO