08/11/2014

A Origem de um Clássico - Projeto BLC

Olá, olá, olá!

Mês passado compartilhei com vocês que estaria fazendo parte de um projeto super bacana, que se chama PROJETO BLC (Blogagem Literária Coletiva) promovido pelos Blogs Os Literatos, Chá & Livros e Diário de uma Livromaníaca. Onde todo mês dirão temas para os blogs cadastrados/inscritos no projeto façam. Sejam tags, contos, textos e afins. O desse mês você veem abaixo:

"É de consenso geral que Drácula de Bram Stoker é um clássico da literatura mundial sendo o pai das histórias vampirescas. Stoker criou a sua maior obra na Era Vitoriana, uma época inigualável e que todas as suas características são muito bem retratadas no decorrer da história.

Dia 08 de novembro é celebrado o aniversário desse célebre autor, então para homenageá-lo vocês serão historiadores por um mês e deverão montar as origens desse clássico, o que levou Bram Stoker a escrever o romance que marcaria uma época cativando leitores até os dias atuais! Mas atenção, será permitido usar referenciais históricos, porém a principal fonte de consulta deverá ser a imaginação de vocês.

Missão dada, agora mãos à obra e vamos explorar as catacumbas de um certo castelo na Transilvânia!"


É uma missão difícil pra uma pessoa sem criatividade como eu, mas vamos lá?!

Bram Stoker, ou simplesmente Bram como era conhecido, estava em uma grande expectativa para o seu aniversário de 28 anos no dia 8 de novembro e para a conclusão do seu mestrado. Mas ao sair para encontrar a mulher de um colega, vulgo Oscar Wilde, por quem se apaixonara perdidamente encontrou um pequeno caderno, com certas descrições, citações e até mesmo pensamentos. A princípio Bram não deu muita atenção, levou-o consigo, curtiu a noite com a amada e depois voltou pra casa. Ele foi direto para o escritório reler mais uma vez o seu primeiro livro publicado, The Primrose Path. Ao sentar-se na poltrona sentiu que algo o incomodava em seu bolso, foi quando lembrou-se do pequeno caderno que encontrara e então resolveu lê-lo.

Ao começar se surpreendeu e intrigou-se ao mesmo tempo, pois aquele caderninho continha algumas informações surreais demais pra ele. Mas mesmo assim continuou a ler, quando terminou a leitura ficou abismado. E curioso, "Será que é tudo verdade?" - pensou ele. Mas logo depois tirou isso da cabeça, quem já se viu? como alguém se alimenta de sangue? e ainda escreve disso. Então resolve compartilhar aquele caderno com um amigo, que também é seu vizinho, mas espera o dia amanhecer para que isso aconteça. E resolve deitar-se.

Quando estava se arrumando para deitar-se ele escuta algo distante, "seria gemidos? gritos?" pensou que estava alucinando por causa da história lida no caderno e adormeceu. No dia seguinte foi a casa do amigo, e lá chegando deparou-se com a mãe do mesmo aos prantos, perguntou porque ela estava assim e aos prantos respondeu a Bram "Meu filho, amado filho, faleceu", Stoker ficou pasmo com a notícia que lhe foi dada, chocado seria a palavra mais apropriada. Foi quando o médico chegou e lhe perguntou se queria ver o amigo, ele juntou todas as forças e disse que sim. 

Ao chegar lá viu seu amigo pálido, cadavérico e estranho, muito estranho. Enquanto olhava o amigo, Bram escutava o médico lhe dizer que algo aconteceu, porque era muito esquisito ele ter morrido abruptamente e aparentemente sem sangue algum no corpo. A única marca que tinha era no pescoço, como se fosse uma mordida de um bicho que sugara todo o seu sangue. "Mas é impossível um animal sugar todo o sangue, disse o médico".

No mesmo estante Bram, ainda em choque, teve um momento epifânico. Lembrou-se do pequeno caderno em casa e principalmente das descrições ali escritas. Voltou pra casa e releu-o novamente e depois mais uma, duas, três vezes. Foi dormir com aquilo no pensamento. No meio da noite suando frio, olhou pro lado e viu uma sombra passando pelo parapeito da janela, olhou para o criado-mudo, onde deixara o caderno e o mesmo havia sumido. 

No dia seguinte, dia do seu aniversário, resolveu sair da pequena cidade onde morava na Irlanda e mudar-se definitivamente para Dublin. Conversou com sua amada, a pediu em casamento e os dois deixaram juntos o interior. Assim que chegaram a capital do país ficaram na casa de alguns parentes, Bram tentando esquecer tudo que vivera nos últimos dias resolveu passear para esparecer. Ao sentar-se em um banco, numa praça qualquer, lembrou do caderno. E então pensou "Preciso tirar isso de mim, mas se eu contar ninguém vai acreditar..." e foi aí que resolveu contar a história, que veio a ser o clássico, Drácula, conhecido mundialmente. 

Gostaram gente? Eu sei que não sou boa para essas coisas, mas até que foi bem gostoso de escrever e deixar a imaginação fluir. É tudo fictício. Ou quase tudo. De fato o Bram casou-se com uma ex-pretendente do Oscar Wilde (segundo o Wikipédia. Mas há quem diga que o Wilde era homossexual, ele foi até preso por causa disso, mas não se tem provas de fato... Ou seja, não se sabe até hoje). E ele, Bram, concluiu de fato o mestrado quando tinha seus 28 anos. E o primeiro livro publicado foi o citado mesmo. ;)

Esse post está indo ao ar hoje, dia 8 em homenagem ao aniversariante do dia! É uma postagem programada, porque hoje também é dia de enem. Pois é. Iria sair resenha essa semana (queria colocar uma por semana, pelo menos), mas não consegui. Muitas provas. =/


Beijos


7 comentários

  1. Oi, Kamilla!
    Ficou muito bom. Usou bem a criatividade.
    Não conheço muito a origem desse clássico, foi bom dar uma "viajada" haha.
    Beijos
    Construindo Estante || Facebook

    ResponderExcluir
  2. Oie Kamilla,
    Adorei a sua versão, principalmente por ter fatos históricos no meio! Kkkkkkkkkk
    Pois, se vampiros existissem, acredito que sua versão seria uma das mais prováveis!
    Isso sem falar da forma cuidadosa e gostosa que você escreve!
    Arrasou, gostei mesmoo!
    Beijinhos *-*
    http://diariodeumalivromaniaca.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, queria incluir sobre as coisas. Acho que ficou até mais fácil sabe? rs
      Obrigada <3
      "Forma cuidadosa e gostosa que você escreve" ok né?! Tô me achando agora. hahaha
      Beijos

      Excluir
  3. Kamilla, ficou muito bom, super criativo hahaha
    Tu escreves muito bem :D
    Tô pra escrever sobre isso também, mas não sei quase nada sobre o Drácula haha' espero conseguir fazer um texto tão bom quanto o seu.

    Beijos
    Colecionando Primaveras
    Fanpage

    ResponderExcluir
  4. Oi Kamilla!
    Só tem gente criativa nesses projetos, mesmo que alguns ainda se seguem.
    Eu queria já ter postado o meu, mas o ENEM não deixou...

    A sua versão ficou ótima.
    Beijos
    ​​LiteraMúsicas

    ResponderExcluir
  5. Parabéns Kamilla !!! Pra quem disse que não tinha criatividade hein ... Se você não for criativa não quero nem imaginar em qual categoria eu me encaixo kkk
    Amei seu texto , foi super bem escrito e gostoso de se ler . Não conheço a história original ( o que realmente aconteceu) porém acho que a sua teoria é muito boa , apesar de fictícia... Vai saber se esses tais vampiros não existem mesmo kkk

    Abraços

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO