16/10/2015

RESENHA: Paralelos - Leonardo Alkmim

Paralelos skoob

Autor: Leonardo Alkmim
Editora: Geração Editorial
Páginas: 432
Edição: 1
Ano: 2013
Em um terrível acidente rodoviário, Alexandre morre, mas seu irmão gêmeo Vítor, surpreendentemente, sobrevive. No entanto, ao despertar numa dimensão paralela, autossuficiente e resguardada por instâncias elementares, como o Horizonte de Energia, o Conselho, Deus e os anjos, Alexandre descobre que deveria ter sido salvo e Vítor morrido, equívoco que coloca em risco rodo o funcionamento do cosmos. Embora em dimensões diferentes, os gêmeos precisarão lutar para restaurar o equilíbrio do Universo. Uma aventura fantástica, surpreendente e rica em seus detalhes mais sutis, que arrebata o leitor com todas as suas surpresas e revelações a cada capítulo, além de conquistá-lo com seus personagens ora cativantes, ora assustadores, porém sempre muito interessantes e bem construídos.
No começa você fica perdida, mas depois que se joga na história não para mais!

A história começa com o Alexandre dizendo que morreu, mas de cara não sabemos quem está nos contando isso. Ele sofrera um acidente, onde o ônibus que ele estava junto com seu irmão gêmeo, Vitor, capotou. O ônibus era escolar e tinha vários amigos dos dois e todos morreram, exceto Vitor.  Posteriormente nos deparamos com um capítulo onde o foco é mãe dos gêmeos, depois o do pessoal (polícia e o corpo de bombeiros) que estão cuidando do acidente e querendo tirar todas as vítimas do mar, porque sim caiu dentro do rio. Temos também a visão da Ana Beatriz que é uma jornalista iniciante de cidade pequena e tem ambição de subir na vida. Temos a visão também do Quenon que é um paralelo. Ficou um pouco confuso né? eu sei... deixa eu explicar. Os Paralelos como Quenon são tipo anjos da guarda, que são escolhidos pelo Conselho pra cuidar de uma pessoa (ou várias) e todos tem um (ou a grande maioria). Os gêmeos Vitor e Alexandre tem apenas um paralelo guardador, o Seteus. 

O acidente rodoviário já estava certo de acontecer, porém quem deveria morrer era o Vitor e não o Alexandre. O conselho enviou um mensageiro pra dizer isso ao Seteus, mas ele não ouviu o que estava sendo passado e acabou salvando o irmão errado e isso acarretou inúmeros problemas para tudo, para o universo e para tudo que vai além dele. E é por isso que se começa a história, o Alexandre é o único que pode tentar que as coisa saiam diferente. Mas obviamente ele não sabe como, afinal ele acabara de morrer. E os paralelos (Conselho, mensageiros, tudo) também não sabiam, visto que isso foi falha e nunca tinha acontecido antes. 

Como já citei o livro passa em diversos focos, ora Quenon, Alexandre, Ana Beatriz, Gilson (o "tio" dos meninos e "amigo" da mãe deles) e até do Vitor, gostei bastante disso deu um dinamismo a mais para a leitura. No começo senti uma certa dificuldade de ler o livro, ele tem MUITAS referências científicas, de física, química e biologia (matérias que eu nunca fui boa) e ele as descreve demais, fiquei boiando legal - isso me incomodou um pouco, além da confusão dos personagens que foram nos apresentados muito rapidamente. Mas depois que você pega o ritmo, começa a se jogar na história. 

Eu curti bastante a história, não imaginei que se desenrolaria da forma que aconteceu. O que mais me surpreendeu é que não tem romance e eu SEMPRE fico esperando que pelo menos um aconteça, mas dessa vez não. O livro me fisgou de tal forma que nem esperei isso, pelo contrário, foi coisa de mínima importância. 

Apesar das descrições demasiadas sobre essas matérias exatas, o autor demonstrou um estudo a cerca de tudo isso pra construir um livro singular. Deixo os meus parabéns à ele!

Comentário final: Esse livro tem aventura, perseguição, reflexão, momentos de tensão, reviravoltas (principalmente no final), se gostam de ficção científica, deem uma chance pra esse! Vale a pena. :) Lembrando que esse livro é nacional, ein gente! 

QUOTES:
“A dúvida leva ao medo, o medo leva à ação.”
“O sonho é o propulsor do propósito, e o propósito é a transformação que garante o movimento da existência.”
“A inteligência pode ser medida pela quantidade de incertezas que alguém é capaz de suportar.”
“O perdão não é algo que possa se impor. Perdoar a si mesmo é muito mais difícil que perdoar ao outro.”


0 comentários

PAGINAÇÃO