06/11/2015

RESENHA: Um Perfeito Cavalheiro - Julia Quinn

Um Perfeito Cavalheiro

Autor(a): Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Edição: 1
Ano: 2014
Os Bridgertons #3 - Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.
Que livro maravilhoso, estava sentindo falta de ler romances históricos! ♥

O livro em si é uma releitura de Cinderela, em Um Perfeito Cavalheiro a nossa protagonista, Sophie, é filha bastarda de um conde. Ele nunca a assumira como filha, a chamava de pupila, mas depois de um tempo ele se casou e essa MÁdrasta não aceitou a Sophie. Quando o conde faleceu, vocês já devem imaginar o que acontecer certo? Exatamente, Sophie virou uma criada da madrasta. E obviamente a madrasta tem duas filhas. Um dia a fada madrinha - que é a governanta - ajuda a nossa protagonista se vestir e ir para o baile de máscaras dos Bridgertons. Lá ela conhece o Benedict Bridgerton e ambos se encantam - e se apaixonam - um pelo outro. Mas ao dá meia noite Sophie vai embora. Se passam três anos e Sophie já não trabalha na casa da madrasta, mora agora no Campo, porém o filho vive querendo pegá-la a força. Por isso ela resolve ir embora, mas ele (e alguns amiguinhos) pegam ela e eis que surge o Benedict para salvá-la e diz que ela vai trabalhar na casa dele, porque afinal ela é uma criada.

Ele não a reconheceu, porque obviamente ela estava de máscara. Mas ela sim, o reconheceu e ficou no impasse feliz e triste. Ela era uma criada, por isso é bom, mas ela o amava e queria que ele se lembrasse dela. Vocês já devem imaginar o desenrolar da trama, afinal romances históricos são bem previsíveis, mas não menos encantadores. Só não imaginam como será esse desenrolar, adianto que é uma leitura gostosa, leve e maravilhosa.

Esse é o terceiro livro da Julia Quinn que eu leio e mais uma vez a autora escreveu com maestria e consegue fisgar o leitor de forma única. Os personagens são bem construídos. E a narrativa segue em terceira pessoa nos dando perspectiva da protagonista e do Benedict. Agora vou dá mais um comentário sobre o enredo: O final do livro foi maravilhoso (até queria mais!). 

Sobre os personagens: Sophie é uma personagem adorável, senti o sofrimento e as aflições dela. Sempre foi tratada mal, aguentou tudo calada e nem por isso se corrompeu o perdeu sua essência. Amei essa personagem.
Benedict é ótimo, atencioso, às vezes bruto e pensa demais (ok, que até entendo o porquê de algumas aflições, naquela época as coisas eram diferentes).
Violet (mãe do Benedict) é um amor, adoro essa personagem. Já adora desde os dois outros livros, infelizmente ela aparece pouco nesse.

Comentário final: Quem gosta de romance histórico, não perca a chance de lê-lo. Porque vale a pena! É maravilhoso. 

QUOTES:
“Algumas coisas, infelizmente, são inevitáveis.”
“–Eu posso viver com você me odiando – disse ele em direção a porta fechada. – Só não posso viver sem você.”


7 comentários

  1. Oi Kamila,
    Sempre ouço elogios a obra da Julia Quinn, mas não me animo a ler.
    Não sou mto fã de romances e os livros dela me parecem ser bem "açucarados".
    Mas que bom que vc está gostando dessa série.
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvidas é bem açucarados, se você não curte, melhor nem ler. rs
      Beijos

      Excluir
  2. Eu já vi várias vezes a capa do livro,mas nunca parei para ler(até agora). Cara!Parece muito bom e já está na minha lista,isso por causa de quem?Sua!Parabéns!Uma bela resenha,me deixou super ansiosa para comprar e devora-lo. Parabéns mais uma vez. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É ótimo, leia! Fico feliz que tenha gostado da resenha, leia sim, porque é muito bom. Viciante <3
      Beijos e Obrigada!

      Excluir

PAGINAÇÃO