29/01/2016

RESENHA: O Despertar do Príncipe - Colleen Houck

O Despertar do Príncipe

Autor(a): Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Páginas: 384
Edição: 1
Ano: 2015
Deuses do Egito #1
O despertar do príncipe é o primeiro volume da aguardada série Deuses do Egito, uma aventura fascinante que vai nos transportar para cenários extraordinários e nos apresentar a criaturas fantásticas da rica mitologia egípcia. Colleen Houck é autora de A maldição do tigre, série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil. “Os fãs de Rick Riordan vão se divertir com esta fantasia. Uma narrativa incrivelmente bem pesquisada com um ar de mistério e romance.” — School Library Journal Aos 17 anos, Lilliana Young tem uma vida aparentemente invejável. Ela mora em um luxuoso hotel de Nova York com os pais ricos e bem-sucedidos, só usa roupas de grife, recebe uma generosa mesada e tem liberdade para explorar a cidade. Mas para isso ela precisa seguir algumas regras: só tirar notas altas no colégio, apresentar-se adequadamente nas festas com os pais e fazer amizade apenas com quem eles aprovarem. Um dia, na seção egípcia do Metropolitan Museum of Art, Lily está pensando numa maneira de convencer os pais a deixá-la escolher a própria carreira, quando uma figura espantosa cruza o seu caminho: uma múmia — na verdade, um príncipe egípcio com poderes divinos que acaba de despertar de um sono de mil anos. A partir daí, a vida solitária e super-regrada de Lily sofre uma reviravolta. Uma força irresistível a leva a seguir o príncipe Amon até o lendário Vale dos Reis, no Egito, em busca dos outros dois irmãos adormecidos, numa luta contra o tempo para realizar a cerimônia que é a última esperança para salvar a humanidade do maligno deus Seth.
Um livro bem bacana e que me deixou curiosa pra saber o que virá!

Lilliana Young, ou simplesmente Lily, é uma adolescente que está naquela fase da vida "que faculdade irei fazer?" ela quer uma coisa, mas os pais querem outra. Eles na verdade querem o que querem e sinceramente não pensam muito na filha e no que ela quer... forçam a barra valendo. Tanto que eles querem que ela se torne amiga das filhas de algumas pessoas influentes e para isso ela vai ao Museu, onde tem um café pra encontrá-las... chega um pouco mais cedo pra poder desfrutar do lugar sem essas futuras "amigas", só que o Café estava cheio ela preferiu ir pra um lugar mais sossegado ao perguntar para um senhor que trabalha lá, ele diz que a sessão egípcia está em reforma por isso está sem ninguém... E a nossa protagonista vai pra lá, uma das coisas que a nossa protagonista ama fazer é olhar/observar as pessoas e depois desenhá-las e começa a fazer isso na seção quando ouve barulhos estranhos... posteriormente ela conhece um príncipe egípcio, que obviamente pra ela é um louco ou está perdido, o Amon.

Demora um pouco pra ela acreditar quem ele é de verdade e o que ele pode fazer, gostei bastante disso, porque não se tornou forçado. Mas bem... o Amon é um príncipe, e no Egito o que faziam depois que morriam? mumificavam e colocavam os órgãos do que morrera em um vaso canópicos. E isso aconteceu com o nosso príncipe, porém ele despertou em um lugar diferente e sem os seus vasos... pra poder ter forças teve que se ligar a nossa protagonista, Lily, para suprir a energia que lhe faltam. E eis aí que começa a ligação entre os dois.

Como os dois tem que estar próximos, por causa da ligação, a Lily e Amon partem rumo ao Egito para reencontrar os irmãos do nosso príncipe. Porém, nada é tão fácil assim... muitas coisas aparecem e acontecem e deixa o leitor cada vez mais fisgado pela leitura. Uma das coisas que nós entendemos é que tem um vilão bem odiável vindo por aí... ele começou fazer algumas coisas, mas não deu as caras. Então provavelmente aparecerá nos outros livros.

O livro como um todo é bem gostoso de ler, a Colleen sabe conquistar o leitor. Contudo achei que faltava mais coisas, mais entrosamento entre a protagonista e o príncipe. =( Pois é... na vida não sou muito romântica, mas livros que tem um casal aparente tem que ter cenas românticas, porque sim - quero. #prontofalei 

Uma coisa que eu super curti foi conhecer um pouco mais sobre a mitologia egípcia, não foi tão bom quanto conhecer a indiana (me refiro a saga do tigre, outros livros da autora), mas supriu as minhas necessidades. A protagonista, devo dizer, não é chatinha... mas não se faz ouvir, sempre abaixa a cabeça e acata o que os pais querem. Claro, que na aventura ela meio que toma um "simancol", mas será que isso acontecerá nos outros? 

Tenho que fazer um comentário sobre o final: COMO ASSIM? e sobre o prefácio: :O
hahaha

Não irei falar mais que isso porque iria acabar dando spoilers, porém irei mencionar dois personagens que super gostei: os irmãos de Amon, Asten e Ahmose, que são uns fofos e cada um tem sua singularidade que você gosta de cara. Só queria dizer isso. 

Comentário final: O livro é bem bacana e é ótimo conhecer um pouco mais sobre a mitologia indiana. E conhecer mais sobre os príncipes, principalmente o Amon ♥ rs


2 comentários

  1. Olá :)
    Eu adoro mitologia, é a egipcia é uma das mais interessantes, confesso que abandonei A maldição do tigre da autora, mas talvez este seja diferente e eu goste, adorei!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Maldição do tigre é odiado também, além de ser amado. haha
      Espero que dê uma chance pra esse e curta mais a leitura.
      Beijos

      Excluir

PAGINAÇÃO