18/03/2016

RESENHA: O Céu é logo ali - Lilian Farias

O Céu é logo ali

Autor(a): Lilian Farias
Editora: Divas
Páginas: 118
Edição: 3
Ano: 2015
O céu é logo ali representa a liberdade que são as borboletas e nos pássaros. Dolores e Clarice são mulheres que buscam tal liberdade. Dolores é uma mulher de muitas experiências; de vida simples e sem amigos. O único amigo que possui é esquizofrênico e a trata com muito carinho. Clarice é cheia de mimos e sempre teve de tudo, mas o que as liga são suas tribulações de sentimentos e busca por liberdade. Dolores fica encantada com o mais simples dos gestos, um pingo de chuva sobre a pele faz dela a pessoa mais feliz e livre do mundo. Já Clarice tem a vida dos sonhos, porém o destino pode destruí-lo com rapidez. O livro da Lilian é profundo e tocante. Ele nos mostra que devemos aproveitar o momento porque tudo pode acabar em um piscar de olhos.
Esse livro é tão poético... 

Neste livro nós conhecemos duas personagens: Dolores que é uma mulher que tem 30 anos, que nunca viveu sua vida intensamente... Ela trabalha em um bar há anos e mesmo nos dias de folga ela aparece por lá em um determinado horário pra atender um cliente esquizofrênico, mas que ela considera bastante. Essa personagem é bem solitária, tem medos e receios, além de ter uma autoestima baixa. 

A outra personagem que é apresentada a nós, leitores, é a Clarice... Inicialmente a conhecemos já em um momento tenso, quando o hospital liga pra mãe dela avisando que Clarice sofrera um acidente sério. E aí, vamos descobrindo como era  Clarice antes de tudo. Em breve resumo, ela nasceu em uma boa família, menina estudiosa e que teve o seu interesse pelo sexo oposto bem nova e aproveitou bastante isso. Conheceu o Luís. Acidente. 

Nessa edição nos é apresentado algumas palavras de pessoas próximas ou com alguma ligação a autora e uma delas de cara me chamou a atenção foi a do Roberto Esquilo Lins, deixo pra vocês um trecho do que ele falou “Pois bem, entre essas e outras fases poéticas, eróticas, cativantes, amorosas, criativas e transcendentes que encontraremos nesse livro”... por que me chamou a atenção? por que foi essa a minha sensação após o término do livro. Tem momentos que a autora conversa com nós leitores dando aquela sensação de "putz... verdade" e isso deu algo a mais na leitura.

Voltando a falar das personagens, Dolores que sempre fora coadjuvante na própria vida, resolveu arriscar e viver. Ela passou a se permitir... namorar, gastar (nem que pra isso precisasse dividir rs). Um dos erros pra mim da Dolores foi depositar uma parcela do "viver" dela no “namoro”, ela é bem mais que isso. Mas enfim, não irei me aprofundar muito porque acabarei dando spoiler... Já sobre a Clarice, foi o oposto, ela que sempre viveu a vida intensamente, aproveitou bastante até conhecer o Luís, que acabou com a vontade de conhecer outras pessoas. Ela se apaixonou por ele (e ele sempre fora apaixonado por ela) e quando tudo parecia perfeito, veio o acidente. E tudo mudou. Clarice não é mais feliz, é amargurada e triste, como se algo faltasse ou tudo. 

Vocês devem estar se perguntando o que elas duas tem em comum? aparentemente nada, não é? Mas eu respondo essa questão: Querem a liberdade. Cada uma de sua forma, do seu jeito e com os seus porquês, mas no final é isso que querem. 

E é isso que ambas buscam, aliás é isso que todos nós buscamos certo?! O livro é assim, reflexivo, poético, tocante, daquele que fisga o leitor e o faz pensar. Que o faz querer viver, a Lilian escreveu em um momento em que falava diretamente com o leitor a seguinte frase “Não repare se no final o personagem principal dessa história for você. Não repare se no final sua chama te devorar”, não ousarei dizer que virei a protagonista da história e nem que a minha chama me devorou... mas que ela bateu na porta, ela bateu (e bate). E não me acho a protagonista, porque as que a Lilian deu vida merecem o destaque só delas.

O único motivo desse livro não ser 5 estrelas é que não foi aqueles que marcou o coraçãozinho, ultimamente só livro com finais drásticos (muito mesmo) é que estão mexendo comigo assim.

Comentário final: Não tenho mais palavras pra falar sobre a obra, me faltam, pra falar a verdade. Demorei pra construir essa resenha e talvez ela não tenha ficado ótima, deixo apenas o conselho pra vocês: Leiam esse livro e nunca prendam a borboleta que existem em vocês, afinal “Ninguém segura uma borboleta pronta para o seu primeiro voo”.

QUOTES: 
“Ninguém cala uma voz que foi sufocada e que está pronta para o primeiro grito.”
“Quando sonhar é a nossa única opção o melhor é que seja com muito amor.”
“Quem interrompe o processo de metamorfose, deixa uma borboleta sem asas.”


8 comentários

  1. Ooi, Kamilla! Tudo bem?
    Então, eu até gostei da ideia desse livro, e ouso dizer a minha opinião sobre liberdade: não se precisa sair bebendo, saindo nas farras para se sentir livre. Deus nos libertou e por isso o amo tanto, pois não preciso me aventurar em certas coisas que para alguns é a "real liberdade", porque eu já sou livre \o/ e aproveitar dessa liberdade com Ele é muito massa, porque nunca existirá o vazio :D
    Gostei da resenha!
    Beeijos

    ResponderExcluir
  2. Oiii Kamilla, tudo bem?
    Eu tenho este livro da autora e até então confesso que foi um dos melhores livros que li ano passado, no qual realizei a leitura. Ele soube me emocionar completamente e chorar de emoção por ter algo tão grandioso como leitura em minhas mãos. Eu gostei muito da sua resenha e sinceridade. Acho essa capa um encanto, todas as capas da Lilian são realmente lindas.
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é de uma sensibilidade indescritível. Apaixonante.
      A capa é maravilhosa mesmo.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Kamilla, tudo bem?
    Menina, não conhecia a autora e nem o livro, mas digo que essa sua resenha me tocou.
    Por motivos pessoais, me vi na personagem Dolores, e muito!
    Enfim, amei sua resenha. Está ótima sim e com certeza esse livro entrará para minha listinha de compras.

    Beijão!
    Ingrid Cristina (Blog Plataforma 9 3/4)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia? A Lilian é ótima, os livros delas são mais ainda. Vale a pena.
      Procura mesmo, indico muito esse e Mulheres que não sabem chorar também.
      Beijos

      Excluir
  4. Lindo exemplo de que não se deve julgar o livro pela capa. A capa é bem singela, não mostra a estória forte que tem dentro do livro, hein? E que resenha fantástica, moça! Você escreve de uma forma tão peculiar, que atrai a curiosidade sem dar spoiler, entra na estória com detalhes, sem aprofundar...parabéns! Nâo conhecia a autora, está anotada aqui. bjos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia esse livro! Há sempre um universo inteiro para ser descoberto, rs. Sua resenha me instigou a lê-lo. A ideia da temática sobre liberdade muito me interessou e, além do nome da personagem, me trouxe um pouco da ideia de liberdade de Clarice Lispector.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO