06/05/2016

RESENHA: Os Assassinos do Cartão-Postal - James Patterson e Liza Marklund

Os Assassinos do Cartão-Postal
Autor: James Patterson e Liza Marklund
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Edição: 1
Ano: 2014
Uma viagem para conhecer as mais belas cidades da Europa é o sonho de qualquer pessoa. Porém, o detetive da NYPD Jacob Kanon não está interessado nos pontos turísticos. Após receber a notícia do brutal assassinato de sua filha e namorado, mortos em Roma, Kanon viaja para o Velho Continente para tentar juntar pistas sobre o crime que mudou sua vida. E a onda de assassinatos está só começando: jovens casais são encontrados mortos em Paris, Copenhague, Berlim e Estolcomo.
Os crimes parecem não estar conectados, com exceção de um cartão-postal enviado para o jornal local da cidade de cada nova vítima. Quando a repórter sueca Dessie Larsson recebe um postal, Kanon junta forças com a jornalista e partem para o novo destino para tentar capturar o serial killer.
Sabe aquela sensação de "Nossa, como estava com saudades", mesmo sem saber que estava? Foi esta a sensação que tive ao me reencontrar com a narrativa do Patterson.

Esse livro tem como protagonista o Jacob Kanon detetive da polícia de NY e que teve sua única filha morta - juntamente com seu esposo - por duas pessoas. Quem são? Bom, nós leitores sabemos quem são. Mas o Jacob não. Ele vem perseguindo as pistas deixadas pela dupla de assassinos desde que sua filha falecera, até então não conseguiu pegá-los. Ainda.

O livro todo é em terceira pessoa, isso nos dá um dinamismo maior, ao que já é comum em um livro policial. Além do Jacob, nós temos a visão dos assassinos, Mac e Sylvia Rudolph, eles se passam por um casal que gosta de uma sacanagem (vulgo ménage, rs) para as suas vítimas, porém... Envenenam as suas vítimas e as matam de forma brutal (e gente, é um negócio tenso). Após matar eles tiram foto com a polaroid. Quando finalizam e somem, eles mandam um cartão postal (daí que surge o título do livro) para qualquer jornalista e posteriormente manda as fotos.

Temos também a narrativa direcionada para Dessie Larson, jornalista de um jornal local em Estolcomo (capital da Suécia) e é lá que maior parte da história acontece. Um assassinato feito pelos Assassinos do cartão-postal, é a Dessie que recebe o cartão-postal e posteriormente as fotos. O Jacob quer descobrir tudo a respeito e procura a Dessie...

Então Dessie e o Jacob se juntam com a polícia sueca pra tentar descobrir quem são os assassinos do cartão-postal. O livro não tem grandes clímax ao longo da história, mas a narrativa é tão viciante e gostosa que você lê o livro que nem sente. A polícia sueca se mostrou uma pedra no sapato, ao invés de ajudar, atrapalhava. Maaaaaas, não foi um incômodo... Só que as coisas estavam escancaradas pra quem quisesse ver, mas eles sempre optavam pelas aparências. Nada que o nosso protagonista e a Dessie não conseguissem, posteriormente, evitar.

É comum nos livros do Patterson você se imaginar dentro da cena, e tentar mostrar aos personagens (nesse caso o Jacob e a Dessie) a verdade das coisas, já que tínhamos a visão dos assassinos. Os Assassinos do Cartão postal tem 300 e poucas páginas, mas parece que tem beeeem menos... de tão gostoso que a narrativa é para o leitor. Os protagonistas (coloquemos assim) são ótimos... eu consegui gostar de cara deles. Contudo o Patterson colocou algo que não esperava, o quê? Bom, teve romance e que foi bem miojo (instantâneo) pra falar a verdade. Só fiquei com uma pulga atrás da orelha nisso, mas de resto foi super bacana e até curti eles como casal.

Sobre os assassinos: Estão vendo essa foto? É uma obra de Edvard Munch, que provavelmente vocês conhecem. Ela se chama O Grito. Lembram que citei que os assassinos matavam de forma brutal? Eles não se davam por satisfeitos, e por isso faziam com os mortos réplicas de quadros famosos, dentre elas a de O Grito, Monalisa, A Morte de Dandi, Autorretrato de Van Gogh com a orelha cortada... Pra vocês entenderem a "réplicas" que eles faziam, pensem na obra de Van Gogh, imaginaram? Ou olhem aqui, pois então... Ele não tem a orelha, porque o próprio cortou. O que os irmãos Rudolph fizeram com as suas vítimas após envenená-los e matá-los? sim, cortaram a orelha deles. É tenso. rs


Sobre os detalhes: A diagramação está impecável, o livro tem as mesmas características dos livros do Patterson: capítulos curtos. Não encontrei nenhum erro. E até gosto da capa.

Comentário final: Como já disse o livro não tem grandes clímax no decorrer da leitura, a gente já conhece os assassinos e conhece os detetives. A tensão e o suspense está na maneira como os detetives vão encontrar os assassinos, e cá entre nós: foi ótimo acompanhar. 


17 comentários

  1. Amo as obras policiais do Patterson, e fiquei chocada com o final desse livro. Como você disse, não tem aquele clímax maravilhoso no decorrer da história, mas o final foi incrível!!
    Adorei a resenha ^^

    Beijos,
    www.notavelleitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Amo romances policiais e infelizmente ainda não conferi nada do autor, amo quando já sabemos a resposta de tudo e estamos vendo o protagonista descobrir, da muita emoção na obra, gostei de saber que a obra parece ser bem envolvente

    ResponderExcluir
  3. Adoro romances policiais e todo o suspense e mistério que envolve a trama. Pelo que li aqui, já se sabe quem são os assassinos e achei interessante pois normalmente passamos a leitura toda tentando descobrir quem são. Só espero que não torne a leitura um tanto previsível.
    Vou dá uma chance ao livro e tirar minhas próprias conclusões, quem sabe não me surpreende?!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Previsível até é, Vânia. Mas é bem bacana acompanharmos o protagonista tentando desvendar. E temos algumas surpresas ao longo da história.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi Kamilla,
    Livros de suspense dificilmente figuram entre minhas leituras, mas eu gosto de variar e já tinha ouvido falar muito bem deste autor. Sobre a resenha fiquei curiosa e gostei que tem romance haha, mesmo não sendo o foco. Mas me tira uma dúvida, esse livro faz parte de uma série?

    Abraço ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lili!
      Não faz parte de uma série não. A maioria dos livros do Patterson fazem parte, mas dá pra ler de forma independente. :)
      Beijos

      Excluir
  5. Ooi, Kamilla! Eu já conhecia o livro, já tinha lido resenhas, mas não é minha praia. Claro que eu quero conhecer a escrita do autor um dia, mas acho que com esse livro eu não tenho certeza se a leitura iria fluir.
    E ah! Sempre vou dizer isso: suas resenhas são bem escritas e isso é viciante rsrs
    Parabéns pela resenha =D
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ruhh! Se você não curte muito o estilo, leia Diário de Suzana para Nicolas é um livro ótimo, mas não é policial.
      Beijos

      Excluir
  6. Oi!
    Esse foi um livro que quando vi a capa, imaginei uma historia totalmente diferente mas acabei surpreendida positivamente, gostei muito dessa historia que parece ser misteriosa e que deixa o leitor grudado nas paginas e uma das coisas que achei interessante é que o detetive tem uma loga historia com esses assassinos me deixando bem curiosa para poder ler essa historia !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assim, Suzana!
      Se tiver oportunidade, leia.
      Beijos

      Excluir
  7. Essa capa é uma daquelas que tem tudo para eu não gostar, mas, por algum motivo, acho que funciona bem hahaha.
    Gostei da história e adoro livros e filmes do gênero, mas confesso que tenho um pezinho atras com o autor. Fiquei sabendo que nunca é ele que escreve os próprios livros e que ele só é responsável por uma sinopse bem extensa explicando o que ele quer. Isso não é bizarro? Bem, achei que devia falar sobre isso hahahaha É o que me vem na cabeça sempre que leio o nome dele.

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Na verdade não são todos os livros do Patterson que são assim... hahaha Mas o mais conhecido foi a série Bruxos e Bruxas que ele só deu o nome e deu a ideia do livro. E foi um reboliço, todo mundo falou mal. kkkk
      Mas dê uma chance aos demais livros dele, são ótimos! E são livros bem característicos, que você vê personalidade do autor ali... por isso te digo que não tem como ele ter dado nome a todos. rs
      Beijos

      Excluir
  8. Nunca li nada do James Patterson, mas ouço falarem muito bem dele. Adoro livros com esse tipo de mistério e suspense. E outra, achei esses assassinos bem macabros hein kkk E pela narrativa ser bem fluida, o livro deve ser muito bom, porque esses gêneros geralmente são mais lentos! Adorei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os assassinos são bem macabros mesmo! rs
      Beijos

      Excluir
  9. Nunca li nada do James Patterson. Se tem suspense vou gostar com certeza.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO