05/08/2016

Resenha: Confissões de uma garota excluida, mal-amada e (um pouco) dramática - Thalita Rebouças

Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática
Autor(a): Thalita Rebouças
Editora: Arqueiro
Páginas: 269
Edição: 1
Ano: 2016
Tetê acaba de se mudar com a família toda para Copacabana, no Rio de Janeiro, para a casa dos avós. O lindo e espaçoso apartamento da Barra da Tijuca em que morava teve que ser vendido, pois com a crise o pai foi demitido, e o resultado é que a vida dela virou de cabeça para baixo. Além de perder a privacidade, tendo que dividir o espaço com cinco parentes malucos que brigam o tempo todo, ela perdeu todas as suas referências. A única coisa que a deixa feliz é cozinhar. E, claro, comer as delícias que faz. O lado bom foi se livrar do antigo colégio, no qual sofria bullying por causa de seu jeito peculiar. Sem contar sua desilusão amorosa... O problema é que ela está apavorada, porque agora tudo será novo e estranho, com o ensino médio, com a nova escola, e sem conhecer ninguém. E morre de medo de ser excluída ou de sofrer bullying novamente. Ela está bem mal, para dizer a verdade. Ou talvez seja um pouco de drama, porque já no primeiro dia as coisas parecem ser um pouco diferentes... Pelo jeito, tudo vai mudar, e para melhor.
Tetê é uma adolescente de 15 anos nada vaidosa, divertida, tímida, tem uma paixão por culinária, sofreu Bullying e desilusão amorosa em sua antiga escola. Agora, com o pai desempregado, precisou se mudar para Copacabana/RJ, na casa onde basicamente moram seus familiares, agora ela precisa se adaptar a morar com um monte de parentes e superar o medo da escola nova.

A mãe de Tetê acha que a menina está maluca, simplesmente porque não ri, está de cara amarrada, e principalmente porque não tem um namorado, então leva a menina ao consultório do doutor Romildo, onde ela se abre e conta sobre sua vida, seus defeitos, o bullying, o fato dela se achar excluída.. E nesse momento conhecemos o passado dela e também sabemos que ela não é só um POUCO dramática.

Em seu primeiro dia de aula, ela teve muita sorte, conheceu Davi, um garoto que também é rejeitado pela turma, ele é um menino que vive com os avós, já que perdeu os pais cedo, Tetê acha o máximo que encontrou alguém tão sozinho quanto ela e logo se torna amiga do garoto, ela também conhece Zeca, que sera amigo dela durante o ano. Até que aparece Erick, que como todo mocinho é lindo, admirado por todas, e é claro que Tetê também se apaixonou por ele, e sucessivamente conhece Vanessa, a atual do menino que sempre consegue uma maneira de destruir a felicidade de Tetê.

O Bullying começa cedo na escola e logo já está sendo chamado de peidoreira, mas não se importa muito, já que agora ela tem amigos. Basicamente esse é o enredo do livro, Tetê, sua família e seus dramas com a escola nova.

Já tive um contato com a autora, quando minha professora fez uma leitura coletiva do livro ''Era uma vez minha primeira vez'', e desde o momento gostei da maneira como a autora narra a história, de maneira divertida e com expressões modernas, mas esse lançamento me decepcionou em vários aspectos.

Primeiramente, achei que em algumas partes a autora deveria colocar uma narrativa mais madura, ao invés de optar sempre pela diversão e gírias jovens. Acho que tem sim uma maneira de criar um livro engraçado e sutil, mas em alguns capítulos o tanto de termos de adolescentes e piadas fizeram a leitura ficar desgastada, infantil.

Não tenho certeza se posso indica-lo para todas as idades, claro que não possui cenas explicitas nem palavreado incomum, mas achei que a pressão da mãe de Tetê com o fato da filha não ter um namorado, e achar que era por isso que a menina estava triste, foi completamente desnecessário, ela tem só 15 anos!

E a autora tratou do tema homossexualidade de maneira muito simples, acho que poderia aprofundar mais, seria excelente e bem inspirador, mas acabou apenas mostrando um personagem gay que é completamente eufórico, o que pode causar preconceito, não pela sua escolha sexual e sim pelas suas atitudes, acho que ninguém precisa fazer certas coisas apenas para demonstrar a homossexualidade 

A diagramação está perfeita, com várias receitas e mensagens, a capa está maravilhosa, mesmo assim acho que não é dessa maneira que imagino Tetê, que no livro é representada como uma personagem mais gordinha. Enfim, no quesito aparência, o livro está de parabéns, fica lindo na estante.

A leitura flui, não me senti muito envolvida pela personagem, mesmo assim o livro conseguiu passar uma excelente mensagem de superação, aceitação e também alertar a todos sobre o Bullying. Alguns aspectos podem ser facilmente percebidos: A personagem não está nem um pouco preocupada com a aparência, mas a autora pecou ao mostrar que, assim que a personagem começou a se cuidar por pressão, ela foi mais percebida e várias ''portas se abriram'', dando a impressão que devemos sempre estar maravilhosas para agradar o outro e que não importa se isso é a nossa vontade ou não, mas beleza é sempre necessária, sério isso? Mas um motivo para eu não indicar a todos.

Por fim, acho que depende muito de si mesmo: É uma história com reflexões, mas se você explorar bem e ser influenciável, pode tirar conclusões erradas do livro, por isso indico apenas para aqueles que sabem ler a história e aproveitar o melhor dela, como os temas tratados, o humor e a narrativa fluida da autora.


27 comentários

  1. eu ganhei esse livro numa promoção, e fiquei hiper, mega contente.Nunca tinha lido nada da Thalita Rebouças, por achar que eram livros para público jovem. Me enganei, são livros para todas as idades, me diverti muito com as trapalhadas da Tetê. Recomendo a todos

    ResponderExcluir
  2. Que pena que você não gostou do livro, minhas expectativas estão bem altas, não vejo a hora de poder ler e ver o que eu achei.

    ResponderExcluir
  3. ''A mãe de Tetê acha que a menina está maluca(...) porque não tem um namorado'' MORRI. Nunca li nenhum livro da autora e estava pensando em comprar esse por que sempre o vejo quando passo na livraria mas pela resenha talvez não seja uma boa idéia kkkk Não curto muito livros infantis demais e pelo fato de ter ressaltado que a escrita não é muito madura me desmotivou a ler

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Nunca li nada da autora, e digamos que eu não sou muito fã de livros de autores brasileiros. Pouquíssimos conseguem me conquistar e acho que esse não estrará pra lista. Quando você disse ''a personagem começou a se cuidar por pressão, ela foi mais percebida e várias ''portas se abriram'', dando a impressão que devemos sempre estar maravilhosas para agradar o outro e que não importa se isso é a nossa vontade ou não, mas beleza é sempre necessária'', pronto, se eu estava convencida a dar nem que seja uma pequena chance ao livro, agora não estou mais.Vou passar bem longe desse tipo de leitura.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Maria Fernanda! Eu já vi opiniões positivas e negativas a respeito desse livro. E nas negativas as pessoas falavam exatamente isso que você destacou, a maneira informal demais que a autora usou para tratar de temas sérios.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  6. Uma das coisas (a única, imagino) que mais me chamou a atenção no livro foi a capa. Acredito que se o Felipe de um ano atrás visse este livro na livraria ele DEFINITIVAMENTE o compraria. É, eu era bem consumista. Mas infelizmente, ou não, a premissa da história não faz o meu tipo literário. E a superficialidade me deixa com menos vontade ainda. Abraços e até mais.

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Ainda não li nada dessa autora, mas o livro parece ser bem interessante e a capa está muito bonita. Não é meu gênero de leitura, mas se tiver oportunidade, darei uma chance a esse livro. Ótima resenha. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Adoro a Thalita mas, pelas resenhas e opiniões que tenho lido, esse não me pareceu ser o melhor livro dela e fiquei bem decepcionada com o que tenho ouvido falar dele, tanto que estou até pensando em declinar a leitura, apesar de adorar as tramas que a autora cria. O que é uma pena, pois ela tinha em mãos assuntos muito relevantes que, aparentemente, não foram bem utilizados.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Hey,
    Acho que nunca li nada da Thalita, e agora que não estou muito animada para ler mesmo. A historia é bem bacana a capa é linda, mas pelo já vi que não irei gostar pelos pontos que você ressaltou... Enfim, não dispenso a leitura, mas não irei ler tão cedo.

    Beijos
    Bru, Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  10. Olá Maria Fernanda,
    Estou lendo esse livro agora e sentindo que minhas expectativas estão ruindo. Não estou achando legal a pressão da mãe da Tetê em relação a ela ter namorado. Também não achei legal umas atitudes do bisavô dela. Além disso, até o que vi agora, a homossexualidade não terá um grande destaque.
    Gostei da sua resenha e espero terminar o livro logo.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Oi Matria,
    Eu Simplesmente Amei o Livro! A Autora é muito boa, gosto muito dos livros dela! O Livro é bem divertido e a diagramação está Linda!
    Resenha muito boa!!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li nenhum livro da autora. Parecia ser um livro interessante, já que aborda as dificuldades que muitos adolescentes passam na escola e na vida pessoal, é uma pena que em alguns quesitos deixou a desejar.

    ResponderExcluir
  13. Não lei muito livro da linha juvenil, mas acho que para o publico ao qual ele é destinado, ele traz uma boa mensagem, abordando temas bem reais da vida dos jovens de hoje em dia.
    Gostei da sua resenha. Indicação boa para presentear os jovens da família. Estava procurando isso mesmo. Obrigado!
    =)

    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  14. Oiii, como vai?
    Tenho uma paixão absurda por livros infantojuvenil, sempre quando posso coloco na minha listinha, me apaixonei perdidamente pela sua resenha, e gostei muito de saber a sua opinião.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Confesso que nunca li Thalita Rebouças porque quando conheci ela, o infanto-juvenil engraçado não me agradava. Quero ainda ler os livros mais "adultos" dela pra ter opinião. Poxa que pena que esse livro pode passar mensagem errada se a pessoa não ler com cabeça aberta. Acho que todos os pontos que você comentou de fato estão certo, entretanto acho que não teria como a Thalita aprofundar porque o público dela é desde os 10 anos até 16,17 anos então fica difícil tratar esse assunto mais sério. De fato é estranho mães quererem suas filhas com 15 anos já namorando, porém não se assuste porque isso acontece com mais frequência do que imagina. Já fiquei com vontade de ler o livro porque acho a capa linda e o título bem engraçado. Foi uma resenha bem construtiva <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oii Fernanda, tudo bem? Da autora eu li apenas o Fala Sério, Mãe! que descobri recentemente que vai virar filme. Confissões não me interessou... achei a premissa muito mais do mesmo e tenho certeza que me incomodaria com os mesmos pontos que você citou, principalmente sobre a questão da aparência... não vou ler.
    Gostei muitíssimo de saber sua opinião!
    Beijos :D

    ResponderExcluir
  18. Oi, eu estava bem curiosa sobre esse livro. Nunca li nada da Thalita mas pela pessoa que ela é acredito que sua escrita seja leve e divertida. Que pena que esse livro tem tantos pontos negativos. Quero conhecer a escrita da autora mas acho que não vou começar por esse, isso de super valorizar a aparência é mesmo bem chato.
    Ótima resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  19. Olá.

    Eu nunca li nada da Thalita, mas já li muitas resenhas positivas sobre suas obras. Essa capa é muito bonita e estou doida para ler as aventuras da protagonista. Pena que vc não se sentiu envolvida pela protagonista . Apesar dos pontos negativos, eu vou dar uma chance a leitura e espero gostar.

    beijos!

    ResponderExcluir
  20. Olá...

    Muitos elogios a essa obra, confesso que nunca li nada da autora, mas quem sabe esse não venha a ser o primeiro.

    Parabéns pela resenha, ficou ótima.

    Abraços

    ResponderExcluir
  21. "Primeiramente, achei que em algumas partes a autora deveria colocar uma narrativa mais madura, ao invés de optar sempre pela diversão e gírias jovens."
    Deixei de mão o livro Cidades de Papel por isso.
    Xingamentos, gírias o tempo todo...linguagem grotesca.
    Estou curiosa sobre este livro, apesar de ter certa dificuldade com literatura brasileira.
    Muitos blogs literários falando sobre, então vou me arriscar à ler.
    Ainda não tinha visto nenhuma resenha sobre, então obrigada.
    Um abraço nerd pra você 😙

    ResponderExcluir
  22. Oi, Maria Fernanda!
    Li apenas alguns textos da Thalita e sempre gostei de seu estilo de escrita, lembro que sempre quis ler os livros dela na adolescência. Esse livro não chamou muito a minha atenção, acho que porque já não faço parte mais do público alvo que ele é destinado. Mesmo assim, ele é uma ótima dica de leitura para quem gosta dos livros mais teens.

    beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  23. Oi Kamilla!
    Do livro, a única coisa que chamou minha atenção foi a capa.
    Confesso que ainda não li nada da autora, mas acredito que não deva começar por esse. O enredo em si não me atrai. E provavelmente a narrativa muito juvenil irá me incomodar.
    A Tetê parece ser um figura, e pelo jeito dela deve proporciona boas risadas no decorrer da leitura. Sempre achei que livros leves e divertidos são sempre ótimas pedidas. Todavia, eles são bem juvenis, o que pode atrapalhar o aproveitamento da leitura na minha opinião.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  24. Olá!

    Gosto muito da escrita da Thalita, mas sinceramente não tenho muita vontade de ler esse livro. Afinal desde o título, tratam os problemas de Tetê como se fosse algo banal, quando na verdade é um assunto bem sério e ela não está exagerando e sendo dramática. Achei que muitas coisas foram estereotipadas e pelo que vejo da sua resenha não foi apenas Tetê, mas um amigo gay também. Talvez a autora deva rever sua maneira de escrever e ver que nem todo tipo de leitura precisa que ela seja descolada e fique usando linguagem muito jovial.
    Ótima resenha!

    Beijinhos!
    Cantinho Cult

    ResponderExcluir
  25. Bom, eu achei um livro um tanto infantil, então não leria.
    E não gostei dessa parte em que a autora mostra a garota se cuidando e com isso tem as portas abertas... Acho que o livro não é pra mim!

    ResponderExcluir
  26. Oi!
    Ainda não li nada da autora, mas achei interessante os temas que ela aborda nesse livro e com certeza ajudam muitas jovens, porém acha que alguns temas poderiam ser mais aprofundados e explorados, mas lendo a resenha vi que esse não é um livro que iria gostar !!

    ResponderExcluir
  27. Eu realmente gosto da forma como a Thalita aborda certos assuntos, mas isso em entrevistas, bate-papo e coisas do gênero, sua escrita não me convence, exatamente por isso, essa forçação em utilizar termos que adolescentes falam, querendo parecer uma leitura muito jovem, isso me irrita e com certeza não terminaria o livro.
    A premissa é boa, debater o Bullying é algo extremamente necessário, mas a forma da narrativa não é a mais adequada, o público da autora é de jovens e tais retratações de homossexual, menina excluída que melhora a aparência e consegue atenção, só serve pra reforçar os preconceitos.
    Concordo que deveria ter partes mais maduras, um livro cheio de clichês e que só vale a pena pelas receitas, não pretendo fazer essa leitura.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO