16/02/2017

Vamos falar de #7: Séries de livros infinitas

Olá leitores! Semana passada não teve o Vamos falar de por motivos de: Não consegui escrever. Na semana passada também não saiu resenha porque realmente não consegui, aconteceu algumas coisas que infelizmente me impossibilitaram de escrever e ficar mais ativa no blog, tanto que os comentários - apesar de ler todos, não foram respondidos. Mas essa semana já está tudo normalizando, acho. 

Eu estava relembrando de séries que eu acompanhava, que inicialmente era uma trilogia e a autora do nada resolveu fazer uma série. E daí surgiu a ideia de falar sobre isso... esses autores e como as séries ficam após essas decisões. 
SÉRIES DE LIVROS INFINITAS
Eu acompanhava o que inicialmente era trilogia Crossfire, li os três livros e adorei. Mas aí a autora, Sylvia Day, resolveu fazer uma série ao invés de trilogia. Eu não sei bem dizer se ela cagou na história inteira, apesar de algumas pessoas terem dito que sim, mas o que me deixou incomodada é que a história foi escrita pensando em três livros e por causa do bom número de vendas e porque a editora pediu, o número aumenta. Ela não é a primeira autora que faz isso, o mais temos visto nesse mundo literário é isso... algumas vezes é satisfatório, outras um desastre. 

No meu caso como leitora da autora, fiquei bem decepcionada e parei de ler os livros... troquei todos que eu tinha da autora. Porquê? perdi o tesão de ler os livros dela. Vi muitos autores fazendo isso de iniciar um livro e depois do nada aumentar e deixar virar uma série interminável e fiquei receosa de ler os livros, porque quem me garante que um dia vou saber o final da história?

A gente sabe que algumas editoras dão a ideia de fazer continuação porque o primeiro foi rentável, mas cabe ao autor ter o bom senso de fazer ou não levando em consideração se aquela história tem algo que possa ser acrescentado. Muitas vezes fazem por fazer e acabam enrolando e como dizem por aí "enchendo a linguiça" e fazendo com que a história perca completamente o sentido. E é isso que me irrita completamente, no terceiro livro da série da Sylvia Day fiquei com sono e cheia de tanta enrolação... por isso optei por não ler mais (ainda faltava dois livros pra série acabar). Eu sei que dinheiro é bom e pra autores ter seu livros sendo mais vistos é melhor ainda, mas é bem melhor ter um livro que a galera amou do que fazer virar uma série e meio que desandar totalmente com a história e decepcionar os leitores que conquistara. Alguns livros precisam de continuação, mas outros não.

O que vocês acham disso? Dessas séries que não acabam nunca porque os autores sempre estão publicando continuações em cima de continuações, parece que a história não vai acabar nunca. Particularmente, como vocês puderam notar, não tenho muita paciência. Vocês tem? Me contem!

Beijos


12 comentários

  1. Oi Kamilla, hoje em dia é muito raro encontrarmos livros únicos e mesmo quando não temos séries de uma mesmo história que demora a terminar, temos séries que colocam personagens secundários como protagonistas e assim seguem (assim eu até gosto). Confesso que também não tenho muita paciência pra séries muito longas, em geral gosto de iniciar séries que já tenham sido concluídas, pois ai sei aonde estou me metendo e quando me pego interessada em uma série que tem 8, 10 ou mais livros lançados sempre fico na dúvida e demoro a iniciar, isso se eu iniciar haha. É chato quando o autor não tem história, fica enrolando e percebemos que a história só prossegue por causa do retorno financeiro (o que não é uma regra, há algumas histórias que conseguem prender o leitor mesmo com vários volumes), e acho que a longo prazo isso pode acabar prejudicando o autor, pois assim como você outras pessoas também podem acabar se desinteressando por suas obras ;)

    ResponderExcluir
  2. Verdade, confesso que já deixei de concluir a leitura de alguns livros pois, inicialmente seriam trilogia mas depois se tornaram séries que tu não imaginava mais um fim possível. É ruim. Entendemos que o capital é bom mas, a história perde o sentido, inventam demais onde não precisa acrescentar absolutamente nada. Perco a paciência total, desde então, só pego livros que tenham sido concluídos.

    ResponderExcluir
  3. É chato isso, começa com trilogia depois não se sabe onde vai parar, acho que os livros deveriam ser trilogias ou volumes únicos que estão cada vez mais difíceis, pois as vezes o autor acaba estragando a historia que era maravilhosa ou o leitor não tem dinheiro e nem espaço para tantos livros. Mas em consideração ao leitor deveriam determinar a quantidade de livros e segui-las a risca.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    isso anda sendo tão comum hoje em dia, aconteceu comigo também porém no meu caso a série ficou ainda melhor (os instrumentos mortais), a cassandra melhora a cada volume escrito, contudo o universo que ela criou é bem abrangente por isso deu pra escrever mais volumes sem ficar tão chatos como acontece por ai. Não me recordo de nenhum que tenha lido que acabaram ficando chato por sua continuação "não prevista".
    abraços!

    ResponderExcluir
  5. Não sabia que a série era para ser trilogia. Hoje em dia é bem raro encontrar livros unicos ne, sempre tem uma continuação e isso pra mim acaba sendo ruim as vezes, só gosto de ler se tiver toda coleção, enquanto não tive ela não leio nenhum.

    ResponderExcluir
  6. Eu nem lembro se cheguei a ler o 4º livro de Crossfire. Pra mim é trilogia e não fiquei com vontade de ler mais. Acabou no 3. Ponto. Ela resolveu estender um negócio que pra mim não precisava e abandonei mesmo, não tive vontade alguma de saber como termina. É muita enrolação e na época já estava enjoada desse tipo de história. Aí falaram que teria mais livros e chutei o balde de vez.
    Sinceramente? Achei uma palhaçada e também perdi o tesão de ler qualquer coisa da autora.
    Tá bom que às vezes isso acontece e nem é ideia do autor, é a editora que pede mais livros, é o dinheiro que manda, coisas assim. Mas tem historias que não precisam de continuação mesmo. Não tem mais o que ser dito e aí estragam a coisa toda.
    Mas alguns eu dou graças aos céus por terem mais. Como por exemplo aquela série de Instrumentos mortais, da Cassandra Clare. Era pra ser trilogia né, já nem lembro mais ao certo, mas acho que é isso. E fiquei feliz por ter mais 3 e uma porrada de outros livros sobre o mesmo universo. Sei lá, mas a escrita dela não me cansa e ela sabe manter as coisas interessantes, fazer personagens que a gente gosta de acompanhar.
    Aí sim tem graça. Quando um autor faz coisas, explora outros lados e etc. Tem saga que fica legal assim. Mas outros que dão até preguiça de pensar em pegar. Aí é complicado. Acho que depende da coragem pra iniciar a jornada de livros infinitos e do autor, se a gente gosta dele e etc.

    ResponderExcluir
  7. Kamilla!
    Janeiro e fevereiro tem sido bem puxado para mim também e tenho até me ausentado um pouco dos blogs que gosto de visitar, espero que tudo se resolva...para mim e para você.
    O que ando percebendo é que as editoras quando percebem que uma trilogia ou até mesmo séries menores, fazem muito sucesso 'obrigam' o autor a escrever novos livros para dar continuidade e consequentemente, mais vendas.
    Não culpo exclusivamente autor, afinal, ele tem um contrato para ser cumprido, culpo mais as editoras, porque elas só visam lucros e nem pensam no que os leitores podem pensar sobre essa atitude.
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Ahh, eu também não gosto disso. No começo da leitura, a gente já se envolve na história e espera um final conclusivo para tudo aquilo. Daí, DO NADA, o autor começa a se empolgar e esticar a história feito chiclete, que não acaba nunca e perde o gosto! Também não tenho paciência, prefiro séries com cronograma bem definido.

    ResponderExcluir
  9. Acho que a opinião de todos é unânime. Ninguém gosta disso, a história se perde e o que era pra ser uma lembrança boa se torna em ruim. Igual você mesma diz: você perde o tesão de ler outros livros do autor. E sabe por que? Porque naquele momento você vê que ele está escrevendo pensando apenas no dinheiro e não por amor. Boas histórias são feitas com amor pela escrita, quando se começa a pensar no dinheiro a pessoa se perde e caga tudo. Eu já ouvi comentários de que A Seleção deve ser lida só até o terceiro livro pra não estragar a experiência da leitura e é isso que farei.

    ResponderExcluir
  10. Crossfire deveria ter parado no três. As autoras começam a fazer sucesso e vão escrevendo para lucrar mais sem considerar o conteúdo dos livros. Tem exceções como Lauran Dohner, a série Novas Espécies está no 15 e eu leria até o 30. Já House of Night da PC Cast, estava no 16 e eu parei de ler pq não estava mais me prendendo

    ResponderExcluir
  11. Eu odeio quando autores decidem fazer um serie, trilogia longa demais. Porque é algo bastante arriscando, pois pode sim vira algo cansativo se souberem trabalhar com novidades no enredo da historia. Por isso muitas vezes eu prefiro livro unicos, por esse medo ou uma coleção curta. Acho que irei cansar dos personagem. Geoge R. R Martin é poucos autores que conseguem lidar bem com isso, sem perder as novidades dos livros a cada lançamentos

    ResponderExcluir
  12. Assim como você não tenho paciência alguma para série intermináveis, concordo que mais vale um livro único de grande sucesso do que uma série interminável que prende poucos leitores, nem todos precisam de continuação. Gostei desse tema.
    Abraço!
    A Arte de Escrever

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO