22/04/2017

Assistindo & Apreciando #11 - Escritores da Liberdade

Escritores da liberdade
Estreia mundial: 27 de agosto de 2007
Duração: 122 minutos
Classificação: Não recomendado para menores de 12 anos.
TRAMA
Uma jovem e idealista professora chega à uma escola de um bairro pobre, que está corrompida pela agressividade e violência. Os alunos se mostram rebeldes e sem vontade de aprender, e há entre eles uma constante tensão racial. Assim, para fazer com que os alunos aprendam e também falem mais de suas complicadas vidas, a professora Gruwell (Hilary Swank) lança mão de métodos diferentes de ensino. Aos poucos, os alunos vão retomando a confiança em si mesmos, aceitando mais o conhecimento, e reconhecendo valores como a tolerância e o respeito ao próximo.
~~~
Estava no facebook olhando quando me deparo com uma imagem desse filme, não sabia do que se tratava, só que diziam que era muito bom... Procurei na netflix, me assustei um pouco quando vi que era mais de dois horas de filme. Mas comecei a assistir do mesmo jeito, quando me dei conta o filme havia acabado.
Erin Gruwell é uma recém formada que quer começar numa escola possa ter contato com pessoas, independente de sua etnia ou raça. Inicialmente ela idealiza e fantasia um tipo de escola diferente do que encontra, os alunos não querem estudar, principalmente porque não dão estruturas pra isso... Afinal, do que adianta tirar notas boas se estão constantemente com medo de morrer por causa da guerra entre as gangues da cidade? Mas será que se eles verem o estudo de uma forma diferente, com alguém quer realmente olhe e sinta por eles, as coisas mudam?
A maioria das coisas não são fáceis, principalmente para os adolescentes que viviam em pé de guerra por conta de etnia, aliás das gangues que surgiram justamente por causa disso. Latinos contra asiáticos contra negros contra tudo... É gangue contra gangue e os "brancos" contra todos eles, a polícia chegava prendia ou matava sem perguntar e é essa a única realidade que esses adolescentes viram e cresceram vendo. A professora Gruwell vai tentando aos poucos, mas eles não queriam, pra quê? A escola se negava a ajudar, os outros professores odiavam ter que dividir a escola com o tipo diferente dos deles, os brancos.

Mas ela lutou muito para conquistar os alunos, mesmo todos contra ela... até o seu marido que deveria apoiá-la foi uma das pessoas que virou as costas pra ela.
Aos poucos Erin vai mostrando outro mundo, outra realidade para os adolescentes e eles vão se encantando e percebendo que eles podem sim sair dessas vidas e vencê-la, além de serem o que quiserem. Gente, esse filme é encantador em nível máximo! Foi incrível conhecer a luta desses jovens, mas lindo ainda foi ver a evolução da turma e do envolvimento entre professora e alunos. Todos, incluindo a sra. Gruwell, que colocou a mão na massa e viu que as coisas podiam ser diferente e acreditou nos alunos antes deles mesmo.

Os alunos com o auxílio da professora visitaram museus, conheceram mais sobre a história, sobre preconceitos, foram a restaurantes. A Erin arrumou vários empregos pra poder comprar livros, levá-los a eventos, porque a escola não se importava com eles. Vocês devem estar se perguntando e esse título surgiu de onde? Pois bem... uma das primeiras atividades que a professora passou foi que eles escrevessem em um caderno diariamente e ela só leria se eles quisessem... e no final das contas esse diário é juntado e vira um livro. É spoiler? talvez, mas é uma história baseada em fatos reais... é uma adaptação inspirado no best-seller O Diário dos Escritores da Liberdade, que vocês já devem imaginar quem escreveu. Bacana né? Eu não fazia ideia que era uma adaptação. Fiquei mais encantada ainda.
Essa foto é dos verdadeiros Escritores da liberdade. A de rosa com o colar de pérolas é a verdadeira professora Erin Gruwell.
ELENCO
O filme tem um elenco fantástico. Erin é interpretada por Hilary Swank, mas há a Imelda Staunton (que fez a detestável Dolores em Harry Potter, nesse filme foi ridícula também, já adianto rs). Quem interpretou o marido da protagonista foi Patrick Dempsey (conhecido por interpretar Derek Shepherd em Grey's Anatomy). Há muitos que desconheço, mas que foram sensacionais.
CONCLUSÃO
O filme é incrível e vale muito a pena ser assistido. Foi maravilhoso ver o crescimento e amadurecimento dos personagens, desde os alunos até a própria professora. Todos cresceram como pessoal e foi incrível acompanhar.
~~~
Espero que tenham gostado! E espero a indicação de filme de vocês :)
Beijos


16 comentários

  1. Olá, kamilla!
    Amei o filme, por falar de preconceitos, desigualdades, isso é um assunto que estamos falando desde muito tempo atrás, mas parece que não muda,mas se muda, muda pouco.
    É um filme (e uma história de vida) muito lindo, quero muito assistir, acho que vou me emocionar.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eis uma verdade inconveniente, Maria! Se muda, muda pouco...
      Acho que vai se emocionar sim.
      Beijos

      Excluir
  2. Não conhecia o filme e nem o livro, vou procurar para assistir. Achei interessante o tema abordado que perdura té hoje. A professora é uma guerreira em lutar pois poderia ter desistido diante dos desafios, ela foi um grande incentivo para esses jovens, deu esperanças para eles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloque guerreira nisso! Ela foi incrível e saber que ela existe de verdade me alegra o coração <3
      Beijos

      Excluir
  3. Olá Kamilla!
    Não tinha ouvido fala sobre esse filme, mas gostei bastante sobre o tema que ele aborda, porque desigualdades, preconceitos nós vem tendo isso já muito tempo atras então e um tema que deveria ser bem cuidado e tratado hoje em dia nas escolas, sendo que é bastante difícil!

    ResponderExcluir
  4. Olá Kamilla, tudo bem??
    Eu gosto muito deste filme, ele me deixa até arrepiada com tamanha reflexão que ele nos trás... O crescimento como pessoa da professora junto aos alunos foi lindo de se ver... claro que nada é fácil no começo, mas o fato dela não desistir dele fez total diferença. É um filme para ser assistido sempre. Xero!

    http://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito lindo de se ver mesmo! A determinação de mostrar algo mais pros alunos foi incrível.
      Beijos

      Excluir
  5. Olá, tudo bem?
    Esse filme é um dos meus preferidos da vida! Assisti assim que saiu e já me emocionei. Depois, já na Faculdade, precisei revê-lo para fazer um trabalho e, unindo o pouquinho de conhecimento acadêmico que eu já tinha somado em minha vida, tive uma outra visão, muito mais ampla, sobre diversos pontos do filme!
    Depois de formada, enquanto lecionei, sempre preferi atuar em escolas de periferia. Como nós, educadores, aprendemos com os alunos dali. A realidade deles, dura, nua, crua, nos ensina dia a dia de uma maneira que em nenhum outro lugar se aprendi. Hoje, ja fiz especializações, ocupo outros cargos, mas posso te garantir: o local que mais aprendi ainda foi em sala de aula. E esse filme teve um papel muito importante na minha vida: tanto para que eu pudesse entender conflitos internos pessoais, quanto para entender como lidar com aqueles alunos. E esses diários... Ah! Vocês não têm ideia do quanto podem mudar um ano letivo, uma sala de aula, a vida de um aluno!
    Amei seu post!
    Seguindo essa linha, te indico: "Sorriso de Monalisa", "Sociedade dos Poetas Mortos", "Como estrelas na terra", "A voz do coração" e "Clube dos Cinco".
    E tem uma série da Netflix que é excelente, principalmente para esses tempos em que vive se discutindo sobre "escolas sem partido", "alunos sem pensar" = Merlí.
    Todos excelentes!!!
    Beijoooos
    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino que em sala de aula tragam ensinamentos únicos, deve ser incrível poder mudar de alguma forma a vida daquelas pessoas. Infelizmente não é uma profissão valorizada, nem pelo "poder" e nem, às vezes, pelos próprios alunos.
      Sobre os filmes indicados, já ouvi falar em alguns, mas não assisti. Irei conferir, sem dúvidas, inclusive pela série na Netflix. Obrigada pelas indicações :)
      Obrigada pelo comentário enorme (amo ♥)
      Beijos

      Excluir
  6. Kamilla!
    Não tenho assinatura na Netflix, o que é uma pena, porque achei o plot do filme, mesmo sem ser inusitado, porque já assisti outros mais antigos com o mesmo enredo, muito interessante porque é voltado para educação além da escola e de como se pode conquistar os alunos através de pequenas atitudes diferentes.
    O bom é que foi baseado em uma história real, né?
    “A sabedoria é a única riqueza que os tiranos não podem expropriar.” (Khalil Gibran)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  7. eu não conhecia esse filme
    já coloquei aqui na minha lista para assistir com a minha mãe e irmã, elas também adoram esse tipo de história que mostra a luta de pessoa que querem melhorar a vida dos alunos
    obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia e infelizmente não me chamou a atenção, mas eu acho que a minha prima vai gostar, vou agora mesmo avisar para ela sobre esse filme e passar o link desse post para ar uma conferida, aposto que ela vai querer assistir

    ResponderExcluir
  9. Tenho quase certeza que já assisti a esse filme na época de escola, dúvida assolando aqui, kk De qualquer maneira, muito bom ver a luta dos envolvidos para ser melhor como ser humano e ver também a persistência e a não desistência da professora.

    ResponderExcluir
  10. Oi Kamilla,
    Adoro filme com essa temática, mas não conhecia este. As atuações de Hilary Swank, sempre me surpreendem, então acredito que ela tenha sido ideal para o papel. Por mais que a gente tente acreditar que o mundo está melhor, há lugares onde as coisas não mudam tão facilmente, o preconceito é algo presente em qualquer lugar do mundo e isso somado a conflitos sociais e o medo de viver gera guerras e muitas mortes. Não é todo o professor que se dispõe a fazer um trabalho assim, de ter persistência para conquistar os alunos e restabelecer a esperança de um futuro melhor. Espero que no mundo exista mais professoras como a Gruwell.
    Essa história me lembrou do filme Mentes Perigosas, que é MUITO BOM e recomento para quem gosta dessa temática.

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Gosto muito desse filme, faz um tempo que vi ele na escola, e é uma historia que acaba marcando muito a gente, principalmente a cena da segunda foto quando ela coloca uma linha na sala e vai fazendo perguntas aos alunos, e vemos que todos são iguais e passam pelas mesmas coisas, gosto muito desse filme é uma historia inspiradora !!

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO