18/05/2017

Vídeos e livros #1 - Machismo

Olá pessoal! Há um tempo atrás postei no twitter do blog que queria postar vídeos que curti muito do youtube aqui no blog, mas logo desisti da ideia, porque o foco daqui não é vídeos e sim livros. Mas eis que surgiu uma ideia nessa cabecinha, não sei se já fizeram nesse mundo virtual, que é mostrar um vídeo pra vocês sobre um determinado tema e mencionar um livro que tenha alguma coisa em comum, alguma característica que aparece no vídeo. Essa coluna ainda é teste, mas espero que curtam :)

E vamos começar com polêmica, vamos começar com MACHISMO.
Mais precisamente vamos falar sobre machismo na maternidade, ainda não sou mãe, mas sabe aquela empatia que as pessoas deveriam ter? tento sempre ser essa pessoa que se coloca no lugar do outro e tento sentir o que o outro passa. A youtuber Helen Ramos, do canal Hel Mother, publicou um vídeo incrível sobre o tema, com relatos de outras mulheres - mães ou não. E me tocou profundamente, é fogo quanto nós mulheres temos que engolir constantemente. E uma hora cansa! 
CANAL HEL MOTHER - MACHISMO NA MATERNIDADE
Indico que abram o link do vídeo e leiam os comentários, mais relatos de mulheres que convivem com esse machismo. Adianto que alguns, é doloroso de ler. Printei um, leiam:
Esse relato me irritou muito, porque infelizmente é uma coisa que a gente vê constantemente nesse mundo. Quando um casal tem um filho a responsabilidade é dos dois, não cabe mais a um do que o outro. Ponto. Em resposta a esse comentário, uma guria comentou dizendo o pai falou ao judiciário que não a abandonou, só ignorou por DEZESSETE anos. Bizarro, né gente?! 

Dizem que a vida imita a arte, ou será a arte imita a vida? Em relação ao livro ele imita muito a vida. 
PAIXÃO SEM LIMITES
Paixão sem limites é um NA (Novo Adulto), que tem romance e sexo, mas que também tem uns draminhas. E um deles é em relação ao pai da protagonista. Blaire perdeu a sua irmã gêmea em um acidente de carro, em que seu pai estava dirigindo... depois disso o pai some no mundo, abandona sem dó e nem piedade. Só fica a Blaire e a mãe, e de filha ela começa a carregar a responsabilidade de cuidar da mãe com câncer... as duas não tem muitas condições financeiras, ainda mais por conta dos gastos com o tratamento, por isso depois do falecimento da mãe a Blaire resolve procurar o pai em Rosemary Beach e descobre que ele vive um condições maravilhosas.

O pai da nossa protagonista mora em uma mansão com sua nova esposa, mas no momento em que ela chega não estava lá (mesmo sendo avisado), por que foi passear em Paris. E não irei me aprofundar porque posso soltar algum spoiler, mas ele não faz a mínima questão de ser pai dela em nenhuma aspecto. E dá pra ver que isso incomoda a personagem, na verdade me incomodou...

O cara abandonou a mulher e a filha, se ausentou por anos da vida da própria filha e quando ela tenta se aproximar ignora como se fosse apenas um fardo qualquer. Vão dizer que nunca ouviram algo parecido nesse mundão? É o tal do machismo, onde a mulher/mãe tem obrigação de cuidar e cuidar e cuidar dos seus filhos, enquanto o homem nem tanto. E tudo bem, ninguém fala nada mesmo e quando fala é "E que bom que ele faz alguma coisa, tem homem que nem isso".
~~~
Espero que vocês tenham gostado! Quero saber o que vocês acharam, ein?! Me contem!
Beijos


21 comentários

  1. Olá Kamilla,
    Machismo e algo muito comum hoje em dia, eu não gosto disso, penso que o homem deveria torma cargo também das coisas e ajudar a mulher também em muitos aspecto. Eu passo por isso também, meu pai nem se quer saber de mim, nem me procura e nem fala comigo mas eu já não ligo com isso e na minha opinião acho isso errado o pai larga a propia filha e depois querer que ela perdoe, acho isso errado ela tem o minino de direito a decidir se quer ou não perdoa!

    ResponderExcluir
  2. Oi Kamilla, achei a ideia do post muito interessante e espero ver mais dele por aqui 😉 O vídeo e o tema me fizeram repensar diversos atos e cenas que já passei, confesso que nunca dei a devida atenção ao tema, e muitas situações citadas no vídeo já ocorreram com pessoas próximas a mim, eu mesma já elogiei um pai, por ser pai (olha que louco), por ser participativo, pois é triste, mas é incomum, o pai se responsabilizar por pequenas coisas, se preocupar, estar presente e gostar de estar presente, brigar pra ver o filho em casos onde a mãe e o pai são separados e sim eu já fui uma das pessoas que fala: “puxa, ele é um bom pai” e o mesmo não acontece com mãe, pois temos enraizados na nossa aprendizagem ao longo da vida que isso é uma obrigação e isso tá errado. Sobre o livro, o texto me despertou um novo olhar pra ele, ainda não o li, mas fiquei mais interessada depois que você apresentou essa nova característica dele, eu não sabia que tinha isso também, e fiquei mais interessada em lê-lo :D

    ResponderExcluir
  3. Sabe o que eu penso a respeito do machismo na maternidade, que a mulher não tem direito de escolher ser mãe ou não, as pessoas de maneira geral acham que mulher já nasceu pronta para ser mãe, e por isso deve ser perfeita quando assume esse papel, e que isso não nos gera medo, ansiedade, e muitas das vezes pensamos sim e larga tudo e sair correndo, porque e uma novidade para nós tanto quanto para os homens, e mesmo quando a mulher já teve outros filhos. Enfim, o homem tem a opção de ser pai quando quer, ou quando acha necessário, hoje ele e um ótimo pai, amanha ele pode sumir desaparecer, e depois resolve voltar e ser pai novamente. Também não sou mãe, mas minha irmã foi abandonada pelo pai, e ele não a procura, e quando passa perto finge que nem vê, e isso gera um sentimento de triste nela, o que me machuca e muito, por isso devemos lutar sim para que a sociedade comece a ver com outros olhos essa realidade.

    ResponderExcluir
  4. Oi Kamilla, que ideia genial! Lemos tanto livros e a maioria traz um drama bom de se debater. E está aí um tema que nunca deixa de ser presente, sempre está na nossa realidade, o que é trágico.
    Ja li toda a série e é muito triste ver como a personagem se vê sozinha, se ter com quem contar e o pior é saber que existe um pai, mas que não se importa com ela. Infelizmente existe casos assim na vida real.
    Como já disse, achei muito interessante esse quadro no blog, espero que continue. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Kamilla! Amei o post! Até coincidimos (mais ou menos) com a temática hoje. Postei no Blog sobre "maternidade compulsória", que também é resultado do machismo em nossa sociedade!
    Infelizmente, o abandono paterno é muito naturalizado em nossa sociedade, desde sempre. Gosto muito de fazer analogias e colocar a mulher no lugar desse "pai" que abandona, porque só assim, ao se chocarem com a situação inversa, algumas pessoas percebem o quanto seguem reproduzindo machismo.
    Já tinha visto esse livro "por aí", mas não sabia que por trás havia um conteúdo assim.
    Enfim... Continue com a coluna! Parabéns pela iniciativa!

    beijos
    http://www.aquelaepifania.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kamilla
    Adorei a ideia do coluna, espero poder ver mais temas.
    Esse é um assunto bastante trabalhado na ficção nos livros, esse que você citou infelizmente não li.
    Mas existem muitos casos parecidos mesmo, de pais que abandonam a esposa e filhos, enquanto a mãe dá duro para criá-los. Depois quando estão criados, e eles não precisam mais "se preocupar" com as responsabilidades aparecem do nada. É o cúmulo mesmo!
    Mas também tenho uma ressalva, pois acho que cada história é uma história, e cada um tem a sua verdade dentro do coração. O perdão não é algo ruim, JAMAIS! Se há um SINCERO arrependimento, sou sempre a favor do perdão. Mas é difícil, por que na maioria das vezes não é esse o caso, e o "machão" quer tirar algum proveito da situação. É difícil!

    ResponderExcluir
  7. Gostei da coluna do vídeo ideia muito boa e diferente, pelo menos pra mim. Infelizmente tudo que foi dito é verdade e acontece e muito na nossas vidas. Me pergunto quando isso vai mudar, pois a mulher ainda tem um fardo maior com a casa e com os filhos, acho que porque nós colocamos os filhos no mundo o homem acha que a responsabilidade é nossa. Ainda não li esse livro e fiquei interessada em ler tem tudo a ver com o tema.

    ResponderExcluir
  8. Achei a ideia genial e quero mais coisas sobre isso. Um tema importante e relacionar com um livro. Será maravilhoso!
    Infelizmente o nosso país é assim. Machismo é coisa normal. Mas que de normal não tem nada! A mulher merece ser respeitada, TODOS nós devemos ser respeitados e respeitar o próximo.
    Fiquei muito interessada para ler esse livro.
    Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Oiee! Menina, que ideia bacana! Mais uma coluna show aqui no blog. Adorei o tema do primeiro post, e isso merece SIM ser debatido, pois a quantidade de absurdos que vemos por aí é triste demais. Já li Paixão Sem Limites e gostei, e também prestei atenção no caso do pai da Blaire. Morri de raiva dele do inicio ao fim. Já quero outros posts nesse estilo <3

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  10. Eu gostei muito da coluna, achei a ideia muito legal. E adorei o post! Depois de ver o vídeo, eu parei pra pensar, e percebi que isso infelizmente é bem comum hoje em dia. Eu já li esse livro, mas não tinha nem parado pra pensar dessa forma (só tinha odiado o pai dela desde o começo). Gostei muito da coluna, e espero que continue :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Kami.
    Eu adorei o post só vi aqui e liberdade a coisa toda do machismo é complicado aquela velha frase lugar de mulher é na cozinha cuidando dos filhos e da casa enfim é uma triste realidade em que vivemos Parando para pensar isso é quase que uma ocorrência diária já que para os homens Nós mulheres somos sempre inferiores Não generalizando claro mas apesar de já termos ganhado grande espaço na sociedade ainda somos vistas como pessoas inferiores que não devem ocupar grandes cargos que deve ficar em casa cuidando dos filhos de calça com a barriga no fogão em fim é triste mas assim eu sou como a sociedade em que minhas filhas não terão que passar por isso.
    P.S espero ter outros posts como este.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Pois é, a arte e a vida sempre se imitando xD
    Ah eu não iria conseguir ler esse livro, primeiro pela carga de drama que eu acho forçado, mas também pq eu ficaria bemm revoltada com esse "pai" ai, iria xingar durante toda a leitura kkkkkkkkk
    inclusive, gostei muito da ideia de associar acontecimentos polêmicos com livros, o que não falta é coisas pra debater :D

    ResponderExcluir
  13. Estamos rodeados de ideias machistas, a ideia de que criação de filhos e cuidar da casa está a cargo exclusivo da mulher é extremamente ultrapassada, e muitas vezes nós mulheres estamos tão imersas nessas ideias que as vezes não reagimos a essas ideias que estão tão profundamente arraigadas em nossa sociedade, e o homem deve ter participação ativa nesses aspectos.
    Adorei o vídeo, principalmente por frisar que mulher não tem obrigação de ser perfeita, muitas vezes pecamos nesse fator, queremos sempre ser perfeitas em tudo o que fazemos e acabamos trazendo um fardo enorme para as nossas vidas, e que as mulheres possuem uma vida além da maternidade.

    ResponderExcluir
  14. Infelizmente existe muito machismo nesse mundo, e concordo com a mulher do print um, acho que não deve perdoar, ele abandonou ela por que quis, no lugar dela eu não perdoava.

    ResponderExcluir
  15. Oi Kamilla,
    Amei a ideia, vou adorar ler mais colunas assim.
    Não conhecia o canal Hel Mother, mas acabei de ficar viciada, já separei alguns vídeos para ver.
    Li alguns comentários nesse vídeo, e é chocante mesmo. Nossa, eu fico completamente frustrada e irritada com machismo, é tão presente no nosso dia, é dolorosamente real e cruel ver que a sociedade continua agindo do mesmo jeito. Machismo sempre será um assunto para se debater. Gostei muito do vídeo, mostra a importância da luta dos nossos direitos, de não se calar nunca.
    Quanto ao livro ainda não li, mas faz tempo que quero ler essa série da Abbi Glines. Machismo, infelizmente sempre esta presente nos livros, é um tema que retrata muito a nossa realidade.
    Espero ver mais colunas assim ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Super concordo em número gênero e grau com a Hell Mother já sigo o canal e sempre adoro os videos dela, é um tapa na cara da sociedade! Eu nem vou escrever textão porque nem sei por onde começar tamanha é a verdade desses relatos!

    ResponderExcluir
  17. Hey, AMEI COMPLETAMENTE ESSE VÍDEO, por favor continua com essa coluna <3 e já sigo esse canal <3 e já ouvi falar do livro as nunca li.

    ResponderExcluir
  18. Gostei muito deste vídeo, machismo é um assunto bem delicado e é um assunto que se tem muito debate hoje em dia, eu também não sabia que o livro Paixão sem limites tem uma história com relação ao machismo, pretendo ler.

    ResponderExcluir
  19. Ideia bem interessante e espero ver mais post's como esse. O primeiro tema é bem polêmico e merece sim ser discutido. Vemos muitas coisas tristes por aí e na grande maioria das vezes nem paramos para refletir. Não li Paixão Sem Limites mas, já quero ter a oportunidade.

    ResponderExcluir
  20. Kamilla!
    Gostei muito da novidade do post e acredito que deve continuar, porque sempre tem bons temas a serem discutidos.
    O machismo é um desses temas.
    Acho realmente um absurdo que em pleno século XXI ainda tenhamos de conviver com comentários e atitudes do tipo, mas, infelizmente, a sociedade é baseada no MACHO, mesmo as mulheres tendo aos poucos conquistado seu espaço, ainda fica bem nítido o quanto sofremos por causa do machismo. Temos de ser a mulher, mãe, dona de casa, profissional (quando alguns maridos permitem) e estarmos sempre com um sorriso no rosto... Nem cabe mais, né? O homem pode muito bem assumir suas responsabilidades também, ajudar na criação dos filhos, ajudar nas tarefas domésticas e acima de tudo, valorizar a mulher, deixando o tal machismo de lado.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  21. Oi Kamilla,
    Adorei esse post, foi diferente e abordou temas reais e que precisam de mais atenção.
    O machismo é uma praga que se alastrou na humanidade e por mais que nós, seres humanos, evoluamos em diversas áreas, há pontos onde a evolução não ocorre.
    A paternidade ou maternidade vem junto da coragem e está relacionada a se responsabilizar por alguém que depende de você, mas em algumas situações a covardia fala mais alto e temos casos como o de Paixão sem limites. Eu até entendo um pai ou mãe ter um tempo para sofrer seu luto pela perda de um filho, ainda mais em uma situação onde a culpa fica constantemente te desafiando, mas isso não é desculpa ou justificativa para abandonar um filho. Eu ainda não li esta série, por ser um New Adult sei que os dramas são grandes.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO