15/07/2017

Assistindo & Apreciando #17 - Embrace

Embrace
Estreia: 2017
Duração: 90 minutos
Classificação: Livre
TRAMA
Por que quase todas as mulheres ao redor do mundo já viveram ou vivem desconfortáveis e em guerra com seu corpo? Por que sentimos tamanha infelicidade e desprazer ao nos olharmos no espelho?
É em busca destas respostas que Taryn Brumfitt's parte da Austrália para vários países, a fim de conhecer mulheres e suas histórias de conflitos com seu corpo.
Uma incrível jornada de conscientização, aceitação e autoestima para todas as mulheres em escala global, rompendo as barreiras impostas pela sociedade e muito em parte pela mídia, de um corpo "padrão", "perfeito" e "suficiente".
~~~
Embrace é um documentário produzido e dirigido pela Taryn Brumfitt's, que é uma fotógrafa que ficou conhecida por postar uma foto sua numa rede social do antes e do depois, antes quando ela estava um corpo magro, malhado e outra quando ela desencanou dessa busca pelo corpo perfeito. O documentário mostra a Taryn conversando com vários tipos de mulheres, de vários lugares e mostrando que corpo perfeito não existe. 
A Taryn conta ao telespectador que o corpo dela mudou após ter seus filhos, ela não gostava do corpo e pensou em mudar, fazer uma lipo. Foi quando ela pensou "o que estou fazendo? como vou ensinar e fazer com que a minha filha se ame do jeito que é se eu mesma não faço" e eis que ela começou a praticar isso consigo mesma. Ela passou por uma fase também que ela malhou e começou a regrar absurdamente sua alimentação, tanto que participou de desfiles como fisiculturista, mas mesmo com o corpo "dos sonhos" não se sentia feliz e nos bastidores do evento viu que outras mulheres que tinham esse 'corpão' também não se sentiam completa, e foi aí que ela desencanou e percebeu que não existe corpo perfeito, o que existe é o tal padrão da sociedade que insiste em dizer o que é perfeito, bonito. Mas todas nós somos, das nossas formas.
Quando comecei a assistir o documentário não tinha pretensão de gostar tanto, queria assistindo por partes, mas quem disse que eu consegui? Depois de três minutos de documentário eu já estava entretida e não queria mais parar de assistir. Vou admitir que inclusive nos três primeiros minutos eu já estava chorando muito. O documentário ele mostra quanto a sociedade, a mídia e as pessoas a nossa volta são cruéis para tudo que não é nada mais que perfeito e aí que é está o problema, quem é perfeito? Ninguém consegue ser e essa busca só tende a nos frustrar.

Eu chorei muito com o documentário, porque ele consegue mostrar o que nós mulheres passamos constantemente. Eu me vi pensando "nossa, é isso mesmo", "caramba,  já aconteceu comigo". É difícil se aceitar, mas é um trabalho contínuo e a gente tem que trabalhar pra se aceitar e se amar do jeito que somos. 
Como já havia mencionado o longa mostra muitas mulheres e suas histórias, de como conseguiram desconstruir (ou tentam constantemente) esse padrão que insistem em colocar em nós mulheres. Há uma mulher que tem queimaduras em todo o corpo, de mulheres gordas, mulheres magras, mulheres negras, mulheres trans, mulheres deficientes. Mulheres. Apenas mulheres de verdade e não aquela que a mídia monta através de photoshop, ou que a tv insiste em dizer que é bonito. Afinal, quem são eles pra dizer o que é belo? Já nós, temos sim propriedade pra dizer o que somos!

Eu achei esse documentário sensacional, me fez refletir em um nível que vocês não tem noção. Me fez chorar porque eu sei que a gente passa por isso sempre, praticamente todos os dias, na mídia, em comentários nas redes sociais, com familiares e amigos.
Esse documentário tem um livro (imagem acima) que na verdade não sei o que veio primeiro, pelo que eu li foi de fato o livro, já que o documentário foi lançado esse ano. Porém a obra ainda não foi publicado no Brasil, infelizmente.
CONCLUSÃO
Esse documentário é incrível, trás muitas reflexões e críticas a sociedade, as pessoas que vivem nela e até a nós mesmas, que às vezes nos cobramos demais pra ser a perfeita e deixa - muitas vezes - de viver.
Esse não é o trailer oficial, mas sim um vídeo que surgiu ainda na captação de recursos. Porém ele consegue transpassar a mensagem que a gente vai conhecer no documentário. Mas se quiserem assistir ao trailer em inglês, clique aqui.
~~~
Espero que tenham gostado! Eu amei esse documentário e quero que o mundo assista.
Está disponível na Netflix.
Beijos


6 comentários

  1. Não é o tipo de documentário que eu veria, mas me parece uma proposta bem interessante para as garotas por ai, pois aborda o conceito de complexo com seu próprio corpo e abordar isso de forma aberta pode trazer um ponto positivo para elas. Adorei a resenha!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  2. Muito bom esses documentários que retratam a realidade de algumas pessoas ne? A relação da mulher com o seu corpo é muito cruel; cada uma se comporta.de um jeito e sempre está buscando uma perfeição a mais, mesmo que já tenha atingido um grau aceitável.
    Acho que não é nada condenável querer manter seu peso, comer comidas saudáveis, mas isso já entra pra lista de boa saúde e não de um corpo perfeito.
    Achei be legal você trazer essa dica pra gente ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi Kamilla!
    Se tem uma pessoa que ama documentário, essa pessoa sou rsrs
    Ainda não tinha visto esse, mas tá na minha lista desde que foi lançado.
    Adoro essas desmistificações que estamos fazendo. Estamos colocando a mulher como foco. A mesma mulher que a sociedade antiga quis esconder e de certa forma, escravizar. Só acho que devemos tomar cuidado com os extremos, pq não sabemos quem está por trás patrocinando certas propagandas.
    Abc

    ResponderExcluir
  4. Que interessante não conhecia é muito bom ler ou assistir algo assim que com certeza levanta nossa auto estima, pois tenho que concordar ninguém é perfeito e nem tem o corpo perfeito. Deve mexer e muito com as nossas emoções esse relatos dessas mulheres e nos deixar com questionamentos sobre o que a sociedade quer, um exemplo muito bom da Taryn por valorizar quem ela é.

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Ainda não conhecia, mas achei super legal.
    Não costumo assistir muito documentários, mas esse é algo que eu assistiria feliz!
    Adoro esse tema, vou anotar a dica com certeza <3
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não assisto documentários mas esse é um bem interessante. De forma aberta, aborda o conceito de ter um "corpo perfeito" que sabemos que não existe. Cada um é cada um, independente de como seja. Deve ser bem forte de fato.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO