11/08/2017

RESENHA: Dumplin' - Julie Murphy

Dumplin'
Autora: Julie Murphy
Editora: Valentina
Páginas: 336
Edição: 1
Ano: 2017
Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.

Esse livro foi encantador!

Willowdean, Will ou Dumplin' (como sua mãe a chama) é uma protagonista que foge dos padrões que nós estamos acostumados a ver. Ela é gorda e não se envergonha disso, mas isso não quer dizer que ela não se sinta insegura algumas vezes, afinal ela humana. Ela lida com o bullying e tira de letra, não se deixa abater. Mas há algo que a incomoda mais, a relação entre ela e sua mãe. Na pequena cidade há um concurso de Misses, que é bastante conhecido e adivinhem quem já participou e ganhou? a mãe da nossa protagonista, mas mais que isso até hoje ela faz parte do corpo de jurados e preparação do evento. Então imaginem quanto a mãe segue esses "padrões" e tentou por muito tempo fazer sua filha emagrecer. Por outro lado, a sua tia Lucy - irmã de sua mãe - que já falecera era gorda e tinha se privado de muitas coisas, mas não se orgulhava disso e tentava fazer nossa protagonista entender que ela deveria ser quem ela era e se orgulhar. 
“Porque a palavra gorda deixa as pessoas constrangidas. Mas, quando alguém me vê, a primeira coisa que nota é o meu corpo. E o meu corpo é de uma gorda. Por exemplo, eu posso notar que algumas garotas têm peitos grandes, cabelos oleosos ou joelhos ossudos. São coisas que é permitido dizer sem rodeios. Mas a palavra gorda, que é a melhor que me descreve, deixa as pessoas desconfortáveis.”
E é a partir daí que a nossa Will resolve participar do concurso, em nome da Lucy, mas no decorrer da trama ela percebe que ela tem que fazer isso por ela também. Pelas amizades que ela construiu por causa do concurso, algumas meninas resolveram participar porque ela tomou essa decisão, várias adolescentes que fogem do "padrão" imposto pela sociedade, mas que não deixam de ser maravilhosas.
Willowdean tem uma paixãozinha, o Bo. E quando eles começam a ficar, ela se sente desconfortável, com vergonha do corpo e odeia a sensação, sem falar de como as pessoas zoariam a relação né? Ela gorda e ele um menino que várias gurias queriam. Ela também está lidando com o afastamento da sua melhor amiga, Ellen.
“–Não podemos ter coisas maravilhosas o tempo todo.– comento. – Esqueceríamos o quão maravilhosas elas são.”
Dumplin' é um livro que faz várias críticas sobre esse padrão que a sociedade insiste em dizer o que é bonito, ser magra, não ter deficiência, não pode ser alta demais e nem baixa demais, não ter estrias, celulites, não pode fugir nada do que se encontra em capas de revistas com modelos perfeitas (cheias de photoshop, ou seja, que nunca vai existir). Mas a autora abordou tudo de forma sutil, nos apresentando a protagonista e sua força, além de vê-la tendo cada vez mais orgulho de quem era e de seu corpo. 

O foco da trama recai na maior parte no concurso, sua melhor amiga decide participar também e é por isso que há um rompimento na amizade. Para Will, a amiga não consegue entender que ela não está participando pra ganhar, mas sim que ela pode participar independente do que as pessoas acreditam que pode ou não. Mas apesar disso ela acaba se envolvendo com outras meninas: Hanna, Amanda e Millie. Que são diferentes as suas maneiras e maravilhosas, por causa da Will elas resolvem participar do concurso também. O que nos rendem muitos aprendizados, inclusive a própria Will, já que em muitos momentos sente pena do bullying que as meninas sofrem, chega a ter pensamentos um tanto quanto preconceituosos, mas ela percebe com o convívio das meninas e aprende com elas, que o problema não é com elas. E sim com as pessoas que acham no direito de menosprezar alguém por não ser "perfeita".
“– Willowdean Opal Dickson , você é linda. Foda-se qualquer um que já tenha te feito se sentir menos do que isso.”
Sem dúvidas essa é obra tem muita representatividade e empoderamento feminino, o que achei maravilhoso. É uma narrativa fluída e cativante, a autora foi muito feliz em toda a construção da obra, desde a história em si quanto nos personagens. Que a grande maioria são super reais, super humanos sabe? você consegue visualizá-los, vê-los nitidamente no nosso dia a dia. O livro é muito leve, divertida e com assuntos que são importantes serem debatidos e conversados. Apesar de toda ficção, acaba se tornando uma história real.

Eu poderia falar e falar por horas sobre esse livro, porque eu simplesmente amei tudo na obra. Aprendi, refleti, fiquei com raiva e até chorei. Dumplin' é um livro que deveria ser lido por todos, independente se você é jovem ou velho, gordo ou magro. É uma história com críticas, mas mais que isso: com muitos aprendizados pra quem o lê. Só teve algo que me incomodou um pouco, algumas coisas ficaram um pouco corridas no final, em parte porque eu queria bem mais da Will, dos amigos, daquela história.
“Há lago no biquíni que faz com que as mulheres achem que precisam conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda ver!”
Sobre os detalhes: A capa desse livro é maravilhosa! Todos os detalhes tem muito a ver com a obra, o vestido vermelho, na contracapa um maiô de bolinhas. A Valentina arrasou! Sem falar que em cada início de capítulo tem uma coroa. Não encontrei erros. 
Comentário final: Senti que não conseguir fazer uma resenha condizente com tudo que eu senti lendo, mas devo dizer que é um livro incrível. Que todos deveriam correr pra ler!


19 comentários

  1. Oi Kamilla, a capa desse livro tá mesmo maravilhosa e tenho curtido muito as resenhas que tenho visto dele. É legal ver um livro que trás tanta representatividade com você disse e nos permite aprender com as histórias dos personagens, que parecem ser em sua maioria bem cativantes e já curti Will <3 Amei a resenha e espero poder ler esse livro futuramente *__*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você possa lê-lo também! É muito bom, Lili, você vai adorar :)
      Beijos

      Excluir
  2. Oi Kamilla! Tudo bem?

    Eu havia comentado no post das capas que tinha me interessado pelo livro e mantenho a minha opinião anterior, porque baseado em sua resenha boa de se ler e bem objetiva, desmistifiquei a capa - que por sua vez não gostei muito - e o adicionei as próximas compras. rsrs

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A capa é linda, Victor! hahaha
      O livro é muito bom mesmo.
      Beijos

      Excluir
  3. Eu imagino que tenha sido encantador mesmo, todas as pessoas que fazem essa leitura acha a mensagem linda e emocionante.
    Fiquei triste com essa imposição da mãe dela, ás vezes seguimos padrões, mas não somos felizes. Dessa forma nada adianta tentar agradar apenas os outros ne ?
    Acredito que esse livro é aquele tipo obrigatório para aqueles que acham que determinado padrão é o certo e que as pessoas "diferentes" devem se sentir infelizes por fugir deles. A capa é mesmo maravilhosa ! Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro bem incrível, Bruna! Vale muito a pena.
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Kamilla!
    Esse livro traz assuntos tão comuns na sociedade que nem deveriam ser comuns... Sua resenha foi maravilhosa que até me convenceu a dar uma chance.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Concorra ao livro Depois do Fim autografado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dê uma chance sim, você vai gostar :)
      Beijos

      Excluir
  5. Eu quero muito ler esse livro, parece ser muito o estilo de livro da Rainbow Rowell e eu glorifico essa mulher!
    Já tinha lido a sinopse desse livro e simplesmente falei que precisava ler.
    Amo personagens fora dos padrões e que consegue ao longo do livro se tornar madura e forte para lidar com o mundo que é preconceituoso nesse padrão de beleza.

    ResponderExcluir
  6. Oii Kamilla, tudo bom? Ameei a resenha!! Estava curiosa para conferir tua opinião mesmo! Bom saber que a protagonista cresce e aprende com as novas amigas! Vou ler o meu no mês que vem e espero gostar bastante também :D Adorei as fotos!

    Beijos!!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que tu goste, Gaby! Ela amadurece sim e é bem legal acompanhar.
      Beijos

      Excluir
  7. Oi!
    É a primeira resenha que leio desse livro. Que ótimo que você gostou da leitura, ou melhor, se encantou e indica! Parece realmente ser bem cativante e trazer uma bonita mensagem. Leituras assim fazem muito bem!
    Espero ter a oportunidade de conferir e gostar tanto quanto você.
    Sua resenha está muito bem escrita. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Quero muito ler é um livro que só leio elogios sobre ele. Gostei de a protagonista ser diferente do padrão que aparecem nos personagens. E gostei da tia dela que a incentiva, pois a mãe deve ser um pé no saco por ter sido miss deve viver cobrando da filha. Nos passa ensinamentos e reflexões.

    ResponderExcluir
  9. Todas as resenhas que li desse livro até agora foram super positivas, adoro livros que falam sobre os padrões da sociedade, acho que ainda temos muito o que melhorar, afinal, dizemos aceitar as diferentes formas de fisionomias, mas é exatamente o que está escrito no primeiro quote, ficamos constrangidas quando dizemos que alguma pessoa é gorda, como se aquilo fosse motivo para ela se envergonhar e a maioria das pessoas também não quer ser gorda, ou seja, ser magra ainda é o padrão que a maioria das mulheres querem ter, mesmo dizendo que gordas são lindas, a maioria não quer ser gorda, quero muito ler esse livro pois acho que é super importante conversar sobre esse assunto e entender que tanto pessoas magras quanto pessoas gordas são exatamente iguais, somente mudando o número na balança.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O livro é incrível e nos trás muitas reflexões mesmo. Bem legal!
      Beijos

      Excluir
  10. Eu havia visto livro, porém deixar passar porque a capa não me atraiu (lendo resenhas, to vendo que eu fui a única que não gostou muito haha).
    Mas depois que vi a sinopse percebi que eu devia era ter lido haha
    Gosto da forma como autora discutiu um assunto tão comum hoje em dia, e queria ler para saber mais sobre a relação que Will tem com sua mãe.

    Beijinhos

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO