15/09/2017

RESENHA: Entre Quatro Paredes - B. A. Paris

Entre Quatro Paredes
Autora: B. A. Paris
Editora: Record
Páginas: 266
Edição: 1
Ano: 2017
Um thriller sobre um sonho que torna-se pesadelo.
Grace é a esposa perfeita.
Ela abriu mão do emprego para se dedicar ao marido e à casa. Agora prepara jantares maravilhosos, cuida do jardim, costura e pinta quadros fantásticos. Grace mal tem tempo de sentir falta de sua antiga vida.
Ela é casada com Jack, o marido perfeito.
Ele é um advogado especializado em casos de mulheres vítimas de violência e nunca perdeu uma ação no tribunal. Rico, charmoso e bonito, todos se perguntavam por que havia demorado tanto a se casar.
Os dois formam um casal perfeito.
Eles estão sempre juntos. Grace não comparece a um almoço sem que Jack a acompanhe. Também não tem celular, que ela diz ser uma perda de tempo. E seu e-mail é compartilhado com Jack, afinal, os dois não guardam segredos um do outro. Parece ser o casamento perfeito. Mas por que Grace não abre a porta quando a campainha toca e não atende o telefone de casa? E por que há grades na janela do seu quarto?
Às vezes o casamento perfeito é a mentira perfeita.

Mas gente... que livro!

Sabe aquele casal perfeito, que dá inveja a todo mundo? É a Grace e o Jack. Grace sabe cozinhar maravilhosamente, deixou de trabalhar pra ficar junto com o marido, este por sua vez é um homem incrível. Luta pelas mulheres indefesas, é advogado especializado em defender mulheres vítimas de agressão. Ele é lindo, inteligente, charmosos e que ama sua esposa - e não tem vergonha de dizer o quanto ela é importante pra ele. Vocês acreditam em um casamento perfeito desses? Um sonho, né? Ou seria um pesadelo?

A Grace nunca sai de casa sozinha, sempre acompanhada do seu incrível marido. Ela não tem telefone, o e-mail dela é o dele, afinal eles  não tem segredos um do outro. Mas... ela não tem telefone porque não pode, ele não atende a companhia porque está no quarto - presa -  e nas janelas há grades. O que há por trás de tanta perfeição?
Vocês já devem imaginar que essa perfeição não existe, aliás até existe para os outros. Para quem olha de fora. A Grace se casou apaixonada, pensou que tinha encontrado o homem da sua vida, mas assim que se casa, tudo que ela sonhava vira um pesadelo enorme. O homem amável com que ela havia se casado, se transformou em um monstro. Jack é um psicopata, e se mostra sempre um passo a frente da nossa protagonista.
"Era tão difícil de acreditar que o homem que olhava adoravelmente para mim do outro lado da mesa era o mesmo homem que me manteve presa que quase pensava que eu tinha imaginado tudo."
Esse livro é doloroso, angustiante e revoltante. Grace sempre foi só, os pais dela não nasceram pra serem pais e quando tem a segunda filha, com Síndrome de Down e queriam colocá-la em adoção, desde então a Grace - que sempre quis uma irmã - resolver tentar de todas as formas criar e ajudar a irmã. Por isso desde que completou a maioridade tomou pra si a responsabilidade de criar a irmã, quando Jack chegou ela pensou que teria alguém com quem contar... mas os planos dele eram outros.

O Jack é um personagem odiável ao extremo, calculista e com um passado que dá calafrios só de pensar. Ele é um verdadeiro monstro, seu intuito era poder fazer mal a irmã da nossa protagonista. Porquê? só porque ele gosta de ouvir, sentir e infligir o medo nos outros. Ele tem prazer, e pra ele é como um alimento. O cara é inteligente e não deixa aberturas pra nossa protagonista gritar socorro, o cara é tão doente que nas vezes que ela tentou pedir, induziu as pessoas a pensarem que a Grace era louca, sofria algum tipo de distúrbio mental. É angustiante você ler a história, querer ajudá-la e a gritar com ela, mas não consegue...
“– Medo – sussurrou ele. – Não existe nada igual. Adoro o que ele causa, a sensação que provoca, seu cheiro. E especialmente o som.”
Entre Quatro Paredes é uma obra que nos enjoa, nos causa repulsa e revolta. Como as pessoas não percebem o grito silencioso da Grace? COMO? O Jack é tão (insira um palavrão aqui) que todos apenas pensam nele como um cara incrível, marido invejável. E ao mesmo tempo que nos causa tanta repulsa, é impossível de largar. A narrativa é viciante, a autora escreve maravilhosamente bem, que cativa o leitor já nas primeiras páginas. O desfecho foi incrível e me surpreendeu bastante.

Esse livro intercala entre o passado e o presente, e é escrito em primeira pessoa pela Grace, onde ela vai nos apresentando gradativamente o porque dela estar naquela situação. Os primeiros capítulos dão nos nervos, senti um desconforto tão grande, com um tempo fui conseguindo lidar melhor, mas foi bem incômodo. Sem dúvidas, essa obra mexeu muito comigo. Apesar de todo o medo e desconforto, a leitura também me causou reflexões, sobre muitas mulheres que vivem essa realidade, e de um jeito um pouco pior. Muitas vezes elas até gritam por socorro, mas a sociedade finge não ouvir - que deve ser bem mais doloroso. E é realidade, né gente?! 

Sobre os detalhes: A diagramação está maravilhosa, encontrei apenas algumas falhas de impressão. Quando ocorre as intercalações entre passado e presente, são devidamente sinalizados. 

Comentário final: Deu pra perceber pela resenha o quanto esse livro mexeu comigo, e é bom quando um autor consegue nos envolver dessa forma. Super indico a leitura! E admito que talvez você fica alguns dias pensando na história. Leiam e depois venham conversar comigo!


12 comentários

  1. Oi, Kamilla!
    Só pelo título eu já suspeitava do que se tratava o livro. Pior que esse tipo de situação acontece com várias mulheres diariamente. Depois que algo trágico acontece é que vão descobrir.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Mas gente... que sinopse!
    Mas gente... que resenha!

    O perfeito muitas vezez nos engana. E nos decepciona, porque acreditamos ser algo bom... e não é. O bom seria um perfeito imperfeito.
    Senti um nojo de Jack só pela resenha, vontade de socar a cara dele. Como alguém pode agir assim? É tão cruel...
    Acredito que não tenho estrutura pra esse tipo de livro, é muito doloroso.
    Mas fiquei curiosa em saber se Grace consegue escapar, se ela tem um final feliz. E a irmã? O que acontece com ela?
    Ai, Kamilla, preciso de spoilers.
    Arrasou na resenha, muito bem escrita.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludy! hahah Esse livro causa muitas emoções mesmo.
      Então, o que posso te dizer é que o final é feliz sim, o Jack tem o que merece. Se quiser saber mais, vai em alguma das redes sociais que te conto com mais detalhes. rs Não quero dá nenhum spoiler por aqui.
      Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  3. Oi Kamilla,
    Estava ansiosa por esta resenha, pois além de ser de um gênero que adoro ler, seus comentários sobre a história me deixaram muito curiosa. A vida de Grace é a realidade de muitas mulheres no mundo e, por mais que hoje haja recursos que podem ajuda-las, sempre terá casos como este, pois homens como Jack tem aos montes disfarçados de bons moços. Entre quatro paredes deve ser agoniante de ler e é o tipo de trama que me prende e me faz sentir ansiedade em tentar ajudar a personagem e não poder. É um livro que vai direto para minha lista de desejados e espero poder conhecer esta história logo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem agoniante mesmo, Gi. Espero que tenha oportunidade de ler, vale a pena!
      Beijos

      Excluir
  4. Kamilla!
    O livro retrata a vida de muitas pessoas ao nosso redor que vivem apenas de aparência ou observam apenas o que é 'mostrado' em uma família, não sabemos o que realmente há por trás da vida das pessoas, infelizmente!
    Deve mesmo ser um livro que mexe com nossas crenças e muda nossa perspectiva, além de fazer com que repensemos sobre muitas coisas e atitudes.
    Gostei!
    Que o final de semana seja de alegria e paz!
    “Conhecimento sem transformação não é sabedoria.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem assim mesmo, Rudy. É uma leitura bem válida!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi, Kamilla. Que resenha maravilhosa! Eu vi outra resenha que não fez tão jus a história, mas mesmo assim quero lê-la. Minha tia está na vibe de assistir filmes baseados em fatos reais sobre psicopatas que acabaram sequestrando mulheres e vivendo com elas há mais de 5, 8 anos. Por aí... são histórias horripilantes, onde o medo se faz presente e imaginar que o autor traz exatamente essa vertente a sua obra é maravilhoso. Eu preciso ler!!
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii Kamilla! Terminei essa leitura alguns minutos atrás e assim como você também senti revolta, repulsa e uma vontade imensa de entrar no livro e ajudar a Grace a escapar das garras desse psicopata. Amo leituras que me causam reações, e essa com certeza foi uma. A autora desenvolveu muito bem o relacionamento, os personagens e as situações que lemos, de uma forma que só uma mulher seria capaz. Impossível não se sentir na pele da Grace e imaginar que isso podia acontecer com todas nós, e pior: que acontece com muitas, muitas mulheres ao redor do mundo. É no mínimo revoltante.
    Gostei bastante da leitura, fluida e instigante. Queria um pouco mais de desenvolvimento no personagem do próprio Jack, mais sobre o passado dele etc, mas entendi a escolha da autora em nos mostrar unicamente a visão da Grace. O final foi como eu esperava, e adorei capa pedacinho dele!


    beijooos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Meu Deus que livro é esse? Adoro livros que nos fazem nos sentir ao extremo e que nos façam sentir repulso por um personagem como Jack. Um livro que aborda um relaciomento abusivo com um psicopata. Quero muito saber como Grace lida com tudo isso e se ela consegue se livrar dele ou não. Adorei sua resenha, tão empolgada!
    Adorei mesmo esse livro e já quero ler o mais rápido possível.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Kamilla, nossa que livro, hein? Só de ler a resenha eu já fiquei um tanto angustiada. Parece uma obra bem impactante, curti a indicação e a resenha ficou ótima!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO