05/09/2017

Resenha: Os Elefantes Não Esquecem - Agatha Christie


Os Elefantes Não Esquecem
Autora: Agatha Christie
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 168
Edição: 1
Ano: 2014
Perguntada a respeito da intrigante morte dos pais de sua afilhada, ocorrida há catorze anos, a escritora Ariadne Oliver não vê outra alternativa senão pedir ajuda a seu velho amigo, o detetive Hercule Poirot.
Afinal, o que exatamente aconteceu no penhasco onde o casal foi encontrado? Será que um atirou no outro e, em seguida, tirou a própria vida? Ou teria sido um pacto suicida? É chegado o momento de desenterrar velhas lembranças e tentar dar algum sentido a essa surpreendente história.
Oi Leitores, tudo bem com vocês?

Hoje a resenha é especial, não só por ser a primeira, mas também porque consegui terminar esse livro! Gente, não me matem, mas tive dificuldade de ler Agatha Christie. Esse foi o meu primeiro contato com a autora, depois de anos ouvindo as pessoas me falando o quanto eu iria amar e o quanto os livros dela são incríveis. E cá estou eu, levemente desapontada. A grande verdade é que eu tendo a não ouvir muitas opiniões com relação à livros e autores, mas no geral elas costumam funcionar e me rendem livros que viram minhas paixões. De toda forma, estou com mais dois livros dela na lista e as resenhas devem aparecer por aqui em breve!

Opiniões à parte, vamos à história! Ariadne Oliver é uma escritora de romances policiais bem famosa e, portanto, convidada para vários eventos de escritores, convites os quais ela quase sempre acaba por recusar, pois os fãs podem ser bem incômodos quando querem. Porém, certo dia, ela recebe um convite para um almoço entre escritores e pessoas próximas à eles e resolve aceitar. Tudo ocorreu muito bem durante o almoço, mas o problema apareceu logo depois, durante o café, que seria um momento para que os convidados conversassem e se conhecessem melhor.

Durante esse momento, a Sra. Oliver é abordada por uma "fã", a Sra. Burton-Cox, e questionada acerca de uma afilhada cujo nome é Célia Ravenscroft. Forçada a relembrar o passado, Ariadne consegue se recordar da história dos pais de Célia que, há cerca de 15 anos atrás, se suicidaram na casa de praia em que viviam. O intrigante na história toda é que os dois sempre se amaram muito e ninguém nunca soube o porque do suicídio. Porém, o questionamento da Sra. Burton-Cox era no fundo o seguinte: se a mãe matou o pai ou se foi o pai quem matou a mãe! Para Ariadne esse questionamento não fazia o menor sentido, mas para a Sra. Burton-Cox isso determinaria se o seu filho, Desmond, poderia se casar e viver bem com Célia ou não.
Diante de um questionamento tão profundo sobre um caso que ocorreu há tanto tempo atrás, Ariadne decide procurar ninguém menos que Hércule Poirot para lhe ajudar a desvendar esse caso que foi esquecido por muitos, mas eles sabem que os elefantes jamais se esquecem! Através da memória de muitas pessoas sobre o ocorrido eles conseguem desvendar o mistério por trás desse suicídio.
"Ah! [...]Há um velho ditado que diz que os elefantes não esquecem!"
Primeiramente, conforme já disse no começo dessa resenha, fiquei levemente decepcionada com o livro. Acredito que esperei muito de um primeiro livro da Agatha e, bem, autores escrevem livros que te cativam e outros que não o fazem. Eu achei a leitura fácil, porém pouco fluida. Precisei de um pouco mais de persistência que o usual para ler um livro que é bem pequeno. Com certeza a escrita da Agatha tem toda a sua maestria, o vocabulário é incrível, mas a história em si não me prendeu, talvez por não ter afinidade com os personagens ou mesmo pelo fato da história ter se passado há tanto tempo atrás, além disso, eu descobri o "enigma" bem antes do final do livro, o que me deixou mais desmotivada na leitura.

A história inteira gira em torno do princípio de que "elefantes não esquecem", onde faz-se o comparativo com a memória das pessoas. Porém isso foi algo que ficou maçante e extremamente cansativo, ao citar essa frase em mais ocasiões que o necessário e fazer comparações que pouco me cativaram.

A edição que li foi publicada em 2014 e é parte de um dos box que foram lançados pelo grupo Nova Fronteira, sendo a mesma em capa dura, o que deixa o livro mais especial! As páginas são amareladas e a diagramação e fonte são boas para a leitura. Porém achei que alguns capítulos são relativamente grandes, mas isso não prejudica a história, só me deixa mais dispersa mesmo.

Durante o livro percebe-se o quanto Ariadne é a personificação da própria Agatha e isso foi encantador, principalmente pelo fato de retirar Poirot do centro, que, de acordo com resenhas que li de outros livros, era o que acontecia quase sempre.
– A senhora parece uma pessoa que tem prazer em viver – comentou a sra. Rosentelle.
– Tenho mesmo. Creio que é porque a gente nunca sabe o que vai acontecer no dia seguinte.
– No entanto – disse a sra. Rosentelle -, é exatamente por isso que a maioria das pessoas não para de se preocupar um momento sequer!
No geral, o livro é bom. Gostaria muito de dizer que ele foi um dos melhores que li no âmbito romance policial, mas a história não conseguiu me cativar, acredito que se ele fosse um conto, ou mesmo um livro menor, teria tido mais êxito! Espero muito que quem ainda não leu goste e quem já leu me conta aqui o que achou! Um xêro e até semana que vem!


20 comentários

  1. Oi, Hemely!
    Miga, bate que eu também não tive uma experiência boa com a Agatha. Nossa, foi terrível e traumatizei legal.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário do Balaio de Babados e O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza!
      Então menina, fiquei bem triste, de verdade! Mas ainda estou com Mansão Hollow e Morte na Mesopotâmia pra ler, espero muito mesmo que eles sejam bem melhores!
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá Hemely! TUdo bem?

    Tenho este medo de começar a ler livros de autores muito falado por ai e não me surpreender, particularmente estou com medo de ler os livro do Stephen King e me decepcionar, mas a vontade é muita.

    Vi que este não te agradou muito deverás livros do gênero não me agradam muito, foram poucos os que li e de fato me surpreenderam. Não gosto de Agahta Christie e ainda não tive essa vontade de ler os livros dela.

    Mas a sua resenha está ótima!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victor, tudo bem e com você?
      Então, eu sempre tive esse medo! Porque a chance de você ser muito feliz como todo mundo foi é grande, mas existe exceção pra toda regra e é bem triste quando nos decepcionamos com um dos queridinhos.
      O gênero romance-policial em geral me agrada bastante, tenho livros que li e amei, mas o livro tem que ser daqueles que me prende do início ao fim, o que não foi o caso. Mas a esperança é a última que morre, vou tentar outros livros dela, vai que dá certo né?
      Obrigada <3
      Abraços!

      Excluir
  3. Olá, Hemely. Tudo bom e com você?
    Então, nunca li nada da Agatha; mas sempre leio comentários muitos bons sobre ela.
    Me parece que a única coisa interessante na história é o caso do suicídio. E se você foi mais rápida que Poirot e Ariadne então meio que perde a graça né... Fica a vontade pra dar spoiler, fiquei curiosa pra saber o aconteceu com o casal.
    Acho que poderia ter um aprofundamento maior da vida e sentimentos da Celia, afinal ela passou por uma tragédia.
    Apesar de que escrever tudo isso em 168 páginas não é pra qualquer um não.
    Frases repetidas ficam cansativas mesmo, dá pra entender o porquê da sua decepção.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludyanne! Tudo bem por aqui!

      Menina, eu li tanto comentário bom sobre ela que estava achando que o problema era comigo quando li o livro! O caso do suicídio é bem legal, talvez se ela tivesse usado outros meios pra chegar no resultado poderia ter sido muito bom! Porém acho que foi a forma que ela usou pra desvendar o crime que me deixou desmotivada na leitura. Espero ver meios diferentes em outros livros dela!
      Beijos

      Excluir
  4. Oi, Hemely. Todo mundo fala dos romances da Agatha, eu também nunca li um mas também sinto medo em relação as expectativas. A história foi escrita em uma época diferente, talvez isso tenha grande impacto na leitura.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Miriã! Acredito que o fato de ter sido em uma época diferente afetou bastante sim, quero ler algum que seja a investigação de um crime que aconteceu na mesma época em que o livro se passa!
      Beijos!

      Excluir
  5. Li meu primeiro livro da Agatha recentemente e para muitos deve ter sido previsível: Um crime adormecido. Me interessei por este que você resenhou e estou com E não sobrou nenhum em mãos. Quero experimentar a escrita da Agatha e compará-la com a de Arthur Conan Doyle.
    https://joaninhaliterariaa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aninha! Esse ainda já ouvi falar, minha amiga disse que gostou dele! Os Elegantes Não Esquecem me deixou meio decepcionada, mas ainda assim acho que vale a leitura, principalmente porque pontos de vista costumam ser diferentes, né?! Beeijos!

      Excluir
  6. Hemely!
    Sou super fã da Rainha do Crime.
    Ela sempre consegue inserir pistas e as vezes até nos engana com algumas.
    Sinto que não tenha gostado tanto e tenha descoberto o mistério antes do final, porque quebra um pouco o ritmo da leitura.
    Já li esse exemplar e comigo é ao contrário, até lembro do enredo, porém o final me foge totalmente.
    Preciso reler.
    Uma semana de alegrias.
    “A sabedoria é um adorno na prosperidade e um refúgio na adversidade.” (Aristóteles)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy! Releia e me diga o que achou!!
      Uma semana incrível pra você!
      Beijos

      Excluir
  7. Até hoje só li um livro da Agatha Christie que foi E não sobrou nenhum, não sei se eu que sou um pouco mais lerda em descobrir o que vai acontecer com o livro - o que é bem provável - mas até chegar ao fim não fazia a mínima ideia do desfecho; quanto ao Os elefantes não esquecem, acho um pouco chato isso de ficar repetindo uma ideia o livro todo, eu pelo menos, acabo perdendo um pouco o interesse no livro, mas ainda quero lê-lo e tirar minhas próprias conclusões.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Giulianna!
      Olha, eu sou bem lerda em descobrir finais também, mas esse descobri bem rápido, acho que por isso vem a minha decepção! Vou colocar o livro que você disse na lista, espero ler em breve! E leia ele, vale a pena criar seu próprio conceito sobre o livro sim!
      Beijos

      Excluir
  8. Li um livro da autora e gostei, pretendo ler outros, é uma pena que esse não lhe agradou, fiquei curiosa em saber mais sobre o suicídio e o mistério que o envolve, mas se você descobriu logo, fiquei com receio de também descobrir, pois assim perde a graça o que me prende nesse gênero é não conseguir descobrir e ainda ser enganada pelo autor rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria!
      Então, é exatamente essa a minha motivação nesses livros! Mas na dúvida, vale a leitura, percepções podem ser diferentes e, às vezes, mesmo matando a charada do livro antes você possa gostar!
      Beijos

      Excluir
  9. Guria, li um único livro da Agatha e simplesmente nâo gostei, como pode?? eu sei eu sei, a mulher era o máximo mas a escrita dela nao funcionou pra mim. Estou decepcionada comigo mesma, como não gostar dessa fera? E olha que peguei um dos mais clássicos dela, O Assassinato no Expresso do Oriente,enfim, tenho medo de ler qualquer outro lada, embora já me encorajaram a ler O Caso dos dez negrinhos. A tua resenha foi otima, assim como as outras que já li,mas não ta rolando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabi!
      Então, eu me senti do mesmo jeito! Já me encorajaram muito a ler O Caso dos Dez Negrinhos, todos me disseram ser o melhor dela. Então já coloquei como objetivo ler ele porque aí se eu não gostar abdico da ideia de vez!
      Beijos!

      Excluir
  10. Oii Hemely, tudo bem? Adorei sua resenha! Você escreve muito bem. Eu já li alguns poucos livros da Agatha, e esse é meu favorito <3 Realmente fica um pouco cansativo essa associação com o ditado "os elefantes não esquecem" sendo repetida mais vezes que o necessário. E é um livro que poderia sim ser um conto, acho que seria mais gostoso de ler. Eu amei muito o final, foi complexo e bem amarrado, em minha opinião.
    Vou aguardar suas próximas resenhas das obras da autora! :D

    Beijos
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Vejo muitas pessoas dizendo que Agatha é uma excelente escritora e que seus livros são ótimos. Particularmente eu nunca me interessei por seus livros e nem por ler as resenhas, mas eu gostei da premissa deste livro e sobre a referencia que traz o livro sobre as memorias das pessoas com os elefantes. E que pena que a historia é maçante e a leitura não é bem fluida. Não sei se um dia eu vou ler o livro, mas quero conhecer a escrita da autora um dia.
    Beijos.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO