26/09/2017

Resenha: Quem É Você, Alasca? - John Green


Quem é você, Alasca?
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Edição: 1
Ano: 2015
Miles Halter tem fascinação pelas últimas palavras que grandes pessoas disseram antes de morrer. Vive de devorar biografias. Mas está cansado de ter só isso para livrá-lo do tédio que é a vida com os pais, na Flórida. Em busca do que o poeta François Rabelais chamou em suas últimas palavras de o “Grande Talvez”, Miles sai de casa para ingressar na Escola Culver Creek, um internato no Alabama. Muitas coisas o esperam lá; entre elas, Alasca Young. Inteligente, engraçada, louca e incrivelmente sexy, Alasca vai arrastar Miles para seu labirinto e catapultá-lo sem misericórdia na direção do Grande Talvez.
Oi Leitores, tudo bem com vocês?

Quem me conhece bem sabe o quanto sou apaixonada no John Green e na escrita desse cara incrível, porém eu havia ouvido tantas críticas sobre esse livro que protelei por um bom tempo até realmente lê-lo!
Esse foi o primeiro livro publicado do John, com publicação original de 2005. O livro é uma semi-autobiografia, pois algumas coisas ele realmente viveu na vida dele e escreveu sobre isso, porém outras são de caráter exclusivamente ficcional. Miles - bujão - Halter é um adolescente comum, sem muitos amigos ou histórias e, a não ser pela sua família, ele não tem muito em quem se prender à este mundo, e é nessa perspectiva que ele decide se matricular em um colégio interno na busca pelo seu Grande Talvez.
François Rabelais. Era poeta. Suas últimas palavras foram: Saio em busca de um Grande Talvez. é por isso que estou indo embora. Para não ter de esperar a morte para procurar o Grande Talvez.
Ao chegar na Culver Creek, Miles conhece o seu colega de quarto Chip Martin, que virá a se tornar seu melhor amigo, e Alasca Young, a garota que se tornará o seu primeiro amor. A partir daí o livro relata as diversas experiências de Miles, incluindo trotes, paixões, estudos, drogas e sexo.

Quando eu terminei a leitura desse livro eu não sabia bem ao certo se eu queria chorar, rir, matar o John ou o quê. O livro é narrado em primeira pessoa e tudo é visto através da perspectiva de Miles, o que talvez torne tudo muito pessoal, mas acaba sendo a grande chave do mesmo para que o leitor fique preso na história. A diagramação é boa e o livro é dividido em duas partes: o antes e o depois. Eu li o livro sem receber nenhum spoiler antes, então sim, fiquei me perguntando por um bom tempo "antes e depois de que?" e quando descobri li o livro até o final pra ter certeza de que aquilo realmente aconteceu, porque me matou completamente por dentro! Além disso, essa edição é uma edição comemorativa de 10 anos feita pela Intrínseca e eu achei incrível os anexos que ela traz, desde as edições feitas no manuscrito original, o calendário pra que todos os eventos do livro se encaixassem perfeitamente e uma entrevista com o John com perguntas que eu gostaria de ter feito pra ele pessoalmente, ficou demais! A capa em si eu prefiro a original, principalmente por achar que ela traz mais do livro do que essa capa de 10 anos, mas ainda assim sou muito apaixonada, ela tem um trabalho meio fosco que foi aplicado que ficou muito lindo!
Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.
Quanto aos personagens, eles exibem comportamentos característicos da adolescência, mas que poderiam ter sido tratados de forma diferente no livro. A normalidade como tudo é tratado me assustou um pouco, não que não seja normal pra um adolescente viver uma vida de bebidas, sexo e drogas, mas que talvez fosse importante mostrar as consequências disso. Eu acho honestamente que eu seria bem amiga do Bujão! Ele é um cara que ainda não havia se encontrado, mas que ao meu ver tem uma alma bonita, é alguém com quem se possa contar e que se preocupa com as coisas à sua volta. Ao contrário de Alasca, que está completamente perdida e que parece achar que nunca vai voltar a se reencontrar. Os outros personagens são legais, mas não existe um aprofundamento sobre as suas vidas quanto pode-se ver sobre Miles e Alasca. Fora isso, senti falta de saber mais sobre Alasca, dos seus pensamentos, do porque de muitas das suas atitudes, sei que algumas coisas são explicadas no decorrer do livro, mas acho que me faltou alguma coisa, terminei o livro querendo encaixar mais algumas pecinhas no quebra-cabeça complexo que é Alasca Young.
Simples assim. De centenas de quilômetros por hora ao repouso em um nano segundo. Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolve-la nos meus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela, no sentido mais inocente da palavra. Mas eu não tinha coragem. Ela tinha namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu era garoa e ela, um furacão.
No mais, o livro me trouxe uma leitura boa e que me deixou muito surpresa e, por isso, me prendeu tanto. A leitura é fluida, principalmente depois do ponto principal do livro. Porém não é a melhor obra do John, A Culpa É Das Estrelas e até mesmo Cidades de Papel ainda estão à frente de Quem É Você Alasca?. Agora estou curiosa para ler o lançamento mais recente dele, Tartarugas Até Lá Embaixo! Me contem o que acharam de Quem É Você, Alasca?! Se já leram, se pretendem ler. Um xêro e até semana que vem!


23 comentários

  1. Oi Hemely,
    Já li todos os livros do John Green publicados no Brasil e como gosto muito de sua escrita, Quem é você Alasca era a obra que mais tinha curiosidade em ler e, apesar das críticas positivas, o livro me decepcionou um pouco. Até a metade do livro, também não sabia o que o antes e depois significava e, confesso, que o que acontece em meio a isso foi bem chocante, mas poderia ter sido melhor usado para concluir a trama de uma forma mais impactante e reflexiva. Miles é um adolescente comum e consigo entender seus anseios, principalmente no que se refere a ter um propósito na vida. O livro tem suas partes engraçadas, o que faz a leitura fluir, mas a forma como todas as ações dos adolescentes são tratadas (como você diz de forma tão normal) é um pouco assustador mesmo. Alasca continua sendo um enigma para mim, após o livro refleti muito sobre ela, mas muita coisa sobre sua personalidade eu não consegui compreender. Ainda assim, é um livro que recomendo, talvez para um público mais jovem que consiga se identificar com os personagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gi! Então, o que me deixou passada foi exatamente o fato de tudo ser tratado como normal, como banalidades da vida, quando o que aconteceu foi realmente pesado. Eu acredito que o público adolescente se identificaria melhor, porém tenho medo do quanto o final possa impactar negativamente alguém. Me entende?

      Excluir
  2. Oi, Hemely.
    O primeiro livro que li do Green foi ACEDE; acho que não li em um bom momento, porque não gostei da leitura. Depois disso não queria ler mais nada dele, até que um amigo leu e amou. Aí fiquei com interesse...
    Eu já tinha lido spoiler sobre, então eu sabia o que aconteceria mais ou menos, mas não entendia o antes e depois.
    Então fui ler essa maravilha. Esse trio! ❤ Muito amor por eles, são personagens que eu gostaria de abraçar e colocar em um potinho.
    A leitura foi muito boa; concordo que poderia ter aprofundado mais nos pensamentos da Alasca; mas essa era Alasca, um labirinto.
    Mas John partiu meu coração...
    Também amei Cidades de papel, e que venha Tartarugas até lá embaixo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludy! Nossa, eu sou apaixonada por ACEDE, tanto o livro quanto o filme! Eu queria de fato um livro só da Alasca, pra entender ela sabe? Ainda quero ler Teorema Katherine também! Beijos

      Excluir
  3. Oi Hemely! Tudo bem?

    Eu nunca tive oportunidade de ler o livro, talvez porque eu ainda não o tenha, mas acho interessante a proposta desde sempre e não quero spoiler par ter a surpresa durante a leitura.

    Grande abraço!
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Victor, tudo bem e você?
      Esse problema de não possuir o livro físico eu entendo bem! Quando puder faça a leitura, apesar dos pesares acho que é um bom livro!

      Excluir
  4. Oi! Nossa lembro até hoje o dia que terminei de ler o livro e pensei comigo mesma "Meu Deus, que livro horrível", depois disso eu vendi e não quero mais saber dele kkkk
    Não gostei da Alaska, achei bem forçada; A premissa do livro até que é boa, mas acho que JG não soube desenvolver a historia (minha opinião).
    Então, mas sua resenha está boa, mas passo longe deste livro haha
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fran! O começo do livro é bem morninho mesmo, mas juro que melhora! Espero que algum dia você supere o trauma! haha beijos

      Excluir
  5. Hemely!
    O autor de fato é bem badalado. Li Cidades de papel do autor e gostei, mas não foi essa 'coca cola' toda...kkk (Desculpa!)
    O livro acima parece ter um enredo interessante e diferenciado e se é tão emocionante quanto comentou, vale a pena conferir a leitura.
    Ainda mais sabendo que uma parte é real e outra bem ficcional, gosto dessa mistura de realidade e fantasia.
    Desejo uma semana maravilhoso!!
    “O primeiro passo para a cura é saber qual é a doença.” (Provérbio Latino)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE SETEMBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy!
      hahaha entendo como é, Cidades de Papel não é de longe meu preferido, mas gostei!
      De toda forma, indico ler esse!! Abraços!

      Excluir
  6. Hi! Great post!
    I just discovered your blog and I keep following it, would you follow me back?
    http://serendipia-aazul.blogspot.com.es/

    Have a nice day!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Hemely!
    Eu fui com muita sede ao pote com esse livro e acabei não gostando muito. A verdade é que eu terminei ele e queria tacar na parede, mas como era da biblioteca não rolava.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! Entendo bem como você se sentiu, tive vários momentos assim durante a leitura! haha beijos

      Excluir
  8. Quem é você, Alasca? é o meu livro favorito do John Green, depois Cidades de Papel e depois A Culpa é das Estrelas, adoro o jeito que o autor tem de retratar as pessoas como se elas fossem complexas demais para serem entendidas e é isso que faz eu ser tão apaixonada nos livros dele, quando li o livro também não entendi esse "antes" e "depois" mas admito que não me incomodou nem um pouco, muita gente odiou o livro pelo que aconteceu e isso só me fez gostar mais ainda dele, quero relê-lo pois já faz um tempinho desde que li pela primeira vez e estou com saudades.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, a divisão da narrativa eu achei ótima e se o John não fizesse a gente ficar triste com algo não era ele né, mas ainda acho que devia existir uma "lição de moral" diante de tudo que rolou, sabe? Beijos

      Excluir
  9. Oii Hemely, tudo bem? Gostei muito da resenha e poder conferir sua opinião sobre esse livro do Green. Eu sou muito fã do autor e todos os livros dele foram muito especiais para mim, principalmente na minha formação como leitora. Também me ajudaram a enfrentar a barra que é a adolescência e o ensino médio. Todos ocupam um lugarzinho no meu coração, mas Cidades de Papel e Quem É Você, Alasca? são meus favoritos messsmo. Quem é Você, Alasca? quebrou meu coração em inúmeros pedaços, e também fiquei com algumas dúvidas sobre a Alasca, que também acredito ser um quebra-cabeça bem complexo. Mas eu simplesmente amo a personagem! Não sei explicar hahahha.

    Fiquei com vontade de reler, agora <3

    Beijos!!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi! Tudo bem e você? Ah, com certeza os livros dele são essenciais pra adolescência de qualquer um! É sempre bom quando algum autor marca uma fase da nossa vida né? <3

      Excluir
  10. Até agora li um livro do autor e não gostei, então tenho receio de ler outro e até tenho esse, mas estou protelando a leitura rs. Não fiquei com boa impressão desse ainda mais pelos jovens que acham normal a bebedeira e tudo mais, não sou a favor disse, embora a realidade é bem assim mesmo. É uma pena não ter maiores explicações sobre Alasca que deveria ter mais foco eu acho. Não sabia que esse livro tinha coisas que aconteceram na vida do autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria! Só lendo para entender o dilema dessa "normalidade" com relação à bebedeira. Espero que algum dia leia!! Beijos

      Excluir
  11. Li quem é você alasca e adorei!
    Apesar de já saber o que ia acontecer, mesmo assim fiquei chateada com o ponto principal.
    Os personagens me encantaram, porém também achei que faltou algumas que fizessem nos entender melhor Alasca.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nicole! Não acredito que você já sabia o maior spoiler :(
      É bem triste o que ele fez, fiquei quase tão chocada quanto quando li ACEDE :/

      Excluir
  12. Olá Hemely!
    Eu li esse livro faz um bom tempo e sabe o que, amei esse livro apesar que também fiquei pensando em meu grande talvez, porque se paramos para pensar nós também poderíamos procura o nossa grande talvez. A historia é muito envolvente, eu particularmente amei a escrita dele, eu chorei, rir e até fiquei com raiva do proprio autor pelo final da trama, juro que queria jogar o livro pela parede mas mesmo assim amei essa historia maravilhosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily!
      Eu pensei muito nisso, acho que se olharmos o livro pelo ponto do grande talvez ele é incrível para nos fazer refletir. O grande problema é só como esse grande talvez acontece :(

      Excluir

PAGINAÇÃO