03/11/2017

RESENHA: As Coisas Que Fazemos Por Amor - Kristin Hannah

As Coisas Que Fazemos Por Amor
Autora: Kristin Hannah
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Edição: 1
Ano: 2017
Caçula de três irmãs, Angela DeSaria já tinha traçado sua vida desde pequena: escola, faculdade, casamento, maternidade. Porém, depois de anos tentando engravidar, o relacionamento com o marido não resistiu, soterrado pelo peso dos sonhos não realizados.
Após o divórcio, Angie volta a morar na sua cidade natal e retorna ao seio da família carinhosa e meio doida. Em West End, onde a vida vai e vem ao sabor das marés, ela conhece a garota que mudará a sua vida para sempre.
Lauren Ribido é uma adolescente estudiosa, bem-educada e trabalhadora. Apesar de morar em uma das áreas mais decadentes da cidade com a mãe alcoólatra e negligente, a menina sonha cursar uma boa faculdade e ter um futuro melhor.
Desde o primeiro momento, Angie enxerga em Lauren algo especial e, rapidamente, uma forte conexão se forma: uma mulher que deseja um filho, uma menina que anseia pelo amor materno. Porém, nada poderia preparar as duas para a repercussão do relacionamento delas. Numa reviravolta dramática, Angie e Lauren serão testadas de forma extrema e, juntas, embarcarão em uma jornada tocante em busca do verdadeiro significado de família.
Esse livro foi muito tocante!

Angie DeSaria é a filha mais nova do casal Maria e Papa DeSaria, e sempre foi considerada a filha mais diferente em comparação com suas duas irmãs, nunca foi boa de cozinha, que é algo valorizado na família DeSaria - onde todos sempre tiveram paixão por cozinhar. Por isso após o casamento ela foi morar longe de West End, sua cidade natal. A nossa protagonista sempre sonhou em ter uma família, em ter filhos, mas infelizmente não conseguiu e tentou muito, já havia engravidado, mas perdera todas as vezes e até tentou a adoção - mas a moça que iria entregar o bebê desistiu. Agora com toda essa frustração o seu relacionamento de anos chegou ao fim, resolveu voltar pra sua cidade natal e ajudar a família a reerguer o restaurante que seu pai construiu. Um novo recomeço.
“A dor era assim; ela e a mãe sabiam muito bem. Às vezes parecia algo recente, não importava quanto tempo houvesse passado. Algumas perdas eram profundas demais: a vida não dava conta de curá-las por completo.”
Lauren Ribido é uma adolescente de 17 anos que tem uma mãe que nunca quis ser mãe, sua única preocupação é ela mesmo, deixando sua filha se virar sozinha. E é isso que a Lauren faz, trabalha muito, estuda sempre mais do que o necessário pra poder ter um futuro melhor e, além disso, ajuda a mãe alcoólatra, fútil e  que trocava de namorado mais do tudo na vida.
As vidas dessas duas mulheres se cruzam... e o destino delas são traçados pra sempre. Mas claro que nada na vida é fácil, principalmente na vida dessas duas que tiveram seus problemas: enquanto uma sonhava em ter uma mãe amorosa, a outra sonhara em ser essa mãe. Mas nenhuma das duas conseguiram realizar esse sonho, será que agora será diferente?

Esse é o tipo de livro que é difícil de falar porque nos transmite várias reflexões e nos deixa com as emoções a flor da pele. Sem dúvidas a Kristin Hannah sabe abordar bem a questão do drama familiar e fazer o leitor chorar com algumas verdades. Mas claro que nada é fácil e simples na vida dessas duas que a autora não possa piorar não é mesmo?! Depois de uma ligação intensa entre as duas protagonistas, acontece algo que abala o mundo delas de maneiras diferentes.
“Às vezes você olha para o horizonte e vê um bando de nuvens de tempestade. Mas isso não garante que vá chover no dia seguinte. O dia pode também ser claro e ensolarado.”
É doloroso observar como essa notícia atinge essas duas mulheres, deu uma vontade de entrar na história e abraçá-las e dizer que vai ficar tudo bem. E é aí que o título começa a fazer mais sentido ainda: As Coisas Que Fazemos Por Amor que sem dúvidas é uma obra delicada e com vários questionamentos: Até onde somos capazes pelo amor?

O foco na maior parte do tempo é na Lauren e Angie, mas conhecemos também toda a família da Angie e a mãe da Lauren. Os DeSaria's é uma família tradicional italiana, falam alto e gostam muito de comida e cozinhar, devo admitir que no começo fiquei um pouco chateada com as irmãs da Angie (Livvy e Mira) porque eram pouco grossas demais, mas com o passar do tempo foi nítido o amor que sentiam uma pela outra e se ajudavam quando verdadeiramente precisavam. Abro um destaque para o pai delas, que mesmo morto teve uma participação bem importante na trama e esteve mais presente do que alguns personagens vivos. Nós conhecemos também o Conlan, o ex marido da nossa protagonista e que sofreu muito junto com a esposa na tentativa de ter filhos e viu sua mulher se perder dentro de si, será que diante dessas mudanças vão conseguir se acertar novamente? Porque se tem uma coisa certa, é o sentimento que nutrem um pelo outro.
“Às vezes é preciso perdoar as pessoas que amamos, mesmo quando sentimos furiosas. É assim que as coisas funcionam.”
Angie e Lauren são personagens incríveis, reais e que cada um com sua história consegue passar ao leitor grandes lições. Lauren com seu jeito, mesmo não tendo amor por parte da única pessoas que queria - a mãe - se tornou uma mulher forte, determinada e que não perdeu sua pureza e a capacidade de amar. Já a Angie apesar dos pesares e todo o sofrimento é uma mulher que se reencontrou nesse recomeço e foi lindo de acompanhar. 

Kristin Hannah sabe escrever, mas mais que isso sabe conquistar o leitor e fazê-lo viver a história. Sofrer, se emocionar e ter esperanças. Essa obra é terna e trás várias reflexões ao leitor como o poder da família, do recomeço, do amor e do perdão. O final do livro foi incrível e me deixou sem palavras, com a sensação de felicidade.

Comentário final: Eu li essa obra aos poucos, porque cada capítulo tocava cada vez mais meu coração. Ora eu chorava, ora eu ficava suspirando e sonhando com um final feliz pra essas duas mulheres. É um drama familiar que vai fazer você valorizar sua família ainda mais, super recomendo!


14 comentários

  1. Não conhecia a autora mas, parece ser uma obra muito bonita e com diversas reflexões sobre família entre outros porém, no momento, estou aproveitando leituras voltadas para o terror e thriller psicológico logo, vou deixar essa indicação de lado...

    ResponderExcluir
  2. Oi Kamilla, tenho visto muitas resenhas positivas desse livro e ficado cada vez mais interessada nele. A drama familiar que foi te conquistando a cada capitulo e despertando várias emoções parece ser delicado, sensível e repleto de bons personagens, desses quase reais e curti muito a resenha. Tô bem curiosa pra saber da família de Angie, os DeSaria's parecem ser barulhentos e unidos, do jeito que gosto. Quero sim ler esse livro futuramente e arrasou na dica ;)

    ResponderExcluir
  3. Vi muitas boas resenhas sobre esse livro é sobre a autora, a história é bem diferente do que eu estou acostumada a ler mesmo assim parece muito boa, fiquei curiosa com o desenrolar dela.

    ResponderExcluir
  4. Ola, já tinha lido uma resenha desse livro e desde então ele me cativou, acho que dever ser uma leitura muito intensa e cheia de emoção, dramas familiar é muito difícil de se ler e não se emocionar na maioria das vezes, torço para que o casal no final se entenda e fique juntos, já que é nítido o amor dos dois, gostei muito da resenha, Parabéns!!

    ResponderExcluir
  5. É muito recompensador a gente ler um livro desses, que nos afeta por dentro, com tantas reflexões e sentimentos.....

    ResponderExcluir
  6. Aaah, estou desejando esse livro.
    Kristin escreve dramas familiares coml ninguém; ela nos envolve e arranca todas as lágrimas possíveis.
    Essa história me lembra Nada mais a perder, Jojo Moyes. Mas com certeza são escritas diferentes.
    Fiquei curiosa com este acontecimento que afeta todos, e quero poder conhecer essas duas.
    Amei a resenha, Kamilla!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Kamilla"
    Os livros da Kristin tem esse poder sobre o leitor, causa impacto e nos faz repensar em muitas coisas, sem contar que temos de comprar uma caixa de lenços, né?kkkk
    Já me identifiquei com a Angie, porque sempre quis ser mãe biológica e nunca pude, embora tenha sido mãe de outras formas, dos sobrinhos, das enteadas... e sei bem a frustação qu ela passou.
    Quero poder conferir a leitura.
    Desejo um mês repleto de realizações e um final de semana de luz e paz!!
    “O que mais me interessa saber, não é se falhaste mas se soubeste aceitar o desaire.” (Abraham Lincoln)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  8. Parece ser uma historia linda e triste também rs. Daquelas que nos deixa pensando como são as coisas da vida, fiquei comovida pelo fato da personagem não conseguir ter um filho, parece que mexe muito com a gente despertando várias sensações, mas o destino da voltas e parece que ela vai conseguir de outra forma, mas pelo visto não vai ser nada fácil e isso deve deixar o leitor a sofrência rs.

    ResponderExcluir
  9. Oi Kamilla, tudo bem?
    Quanto amor essa resenha, eu li esse livro e me senti igual a você, eu me apeguei muito aos personagens, e ficava torcendo para a Angie e a Lauren o tempo todo, queria estar do lado delas, e como você abraçar e falar: vai ficar tudo bem, vocês são fortes. Referente as irmãs da Angie minha família tem descendência Italiana, então eu sei bem como é esse negócio de falar alto, e ser grosso as vezes, eu mesma me surpreendo com minha família as vezes, ainda bem que sou metade alemã, então não sou assim kkkk
    Adorei sua resenha, uma das melhores que li, e as fotos estão lindas, eu li ele em ebook, mas pelo que vi a edição física está linda, só não gostei muito da capa haha
    Beeeijos!

    ResponderExcluir
  10. Oii Kamilla! Drama familiar é um dos meus gêneros favoritos na ficção, simplesmente amo e estou sempre atrás de novas indicações. Obviamente já anotei a sua sobre esse livro, que parece mesmo ser emocionante. Bem ansiosa para conferir também :D E meninaaa, que foto maravilhosa você tirou dele! Ameeei.

    Super beijo
    Gaby
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Kamilla
    Eu gosto deste estilo literário mas acabo não dando prioridade, fico mais nos romances históricos, distopias e fantasias. Já li muitas resenhas dos livros da Kristin Hannah mas ainda não li nenhum. Ela gosta de personagens femininos e dramas familiares e eu gosto de livros onde os caminhos de dois personagens se cruzam.
    Abraços,
    Gisela
    Ler para Divertir

    ResponderExcluir
  12. Pela sua resenha e notório o quanto a estória dessas duas mulheres mexeu com seus sentimentos, a ponto de hora se sentir triste, em outros suspirar. Enfim, vejo que a autora conseguiu de forma muito clara, esperar um estória que trata de um exemplo claro de amor, mas não e aquele entre homem e mulher, mas sim de mãe para filha. Bom, adoro um bom drama, principalmente qual relacionado com relacionamentos familiares, por isto este foi um livro que me chamou a atenção e me despertou muito interesse.

    ResponderExcluir
  13. Tenho visto tantas resenhas positivas sobre este livro, que to até com vergonha de dizer que não conhecia a autora.
    Parece ser um livro emocionante, pois ser mãe é algo que mexe com sentimentos de toda mulher.
    Bem legal autora ter conseguido abordar isso tão bem.
    Não faz meu tipo de leitura, mas sem dúvidas daria uma chance.

    ResponderExcluir
  14. Oi Kami.
    Eu concordo com você. Essa é uma leitura muito difícil de se fazer, principalmente pelo fato de que o livro mexe muito com nada com o lado sentimental de leitor, no meu caso essa não foi uma leitura que posso chamar de favorita, porém confesso que foi um livro que me fez refletir bastante a respeito de diversos temas e só por isso ele se tornou um dos meus queridinhos. Pretendo muito em breve conhecer outros livros da autora, pois sei com toda certeza que irei adorar a leitura.
    Bjs.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO