14/11/2017

RESENHA: Princesa Das Águas - Paula Pimenta

Princesa Das Águas
Autora: Paula Pimenta
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Edição: 1
Ano: 2016
Uma releitura da história da Pequena Sereia, com a marca de Paula Pimenta, uma das mais importantes autoras brasileiras da atualidade Arielle Botrel é uma nadadora famosa, prestes a viver o maior desafio de sua vida: participar das Olimpíadas pela primeira vez. Porém, ao contrário do que todos pensam, ela não possui tudo que deseja. Por ser a filha caçula de uma grande família, a garota é muito protegida e, apesar das medalhas e dos troféus, sonha com uma vida diferente, onde possa ser livre. Até que um dia um acidente faz tudo mudar. Arielle é apresentada a um mundo diferente... E nele existe alguém que vira sua vida de cabeça para baixo. Porém, para conquistá-lo, ela terá que abrir mão de sua voz. Será que Arielle vai conseguir conquistar esse príncipe sem palavras? E se no coração dele já existir outra princesa?
Oi Apreciadores, tudo bem com vocês?

Nessa semana eu finalmente decidi ler esse livro amorzinho que foi lançado na Bienal do ano passado. A Paula Pimenta é uma das autoras brasileiras que eu mais admiro e que, apesar de a sua escrita ser voltada para o público infanto-juvenil, sempre me encanta e me traz leituras gostosas. Depois de Cinderela Pop e Princesa Adormecida, Princesa Das Águas traz mais uma releitura dos contos de fada, trazendo dessa vez a história da Pequena Sereia através da personagem Arielle.
Arielle Botrel é filha de dois grandes ícones: Teófilo Botrel, conhecido como o "Rei das águas" nos anos 1980, e Serena Shell, uma cantora famosa que acabou por falecer durante o parto de Arielle. Ela é a filha caçula e tem mais outras cinco irmãs que decidiram seguir os passos da mãe e formaram a banda Mermaid Sisters, porém Arielle, com medo de magoar o pai com o seu canto, toma um caminho diferente e segue os passos dele, se tornando uma das melhores nadadoras brasileiras e uma das mais novas também, com apenas 16 anos já ganha medalhas e bate recordes mundiais. Apesar de tudo isso, ela sentia que não tinha vida, principalmente agora, que as olimpíadas estavam cada dia mais próximas e os treinos se tornavam sempre mais intensos, mas tudo o que ela queria era poder sair, conhecer novas pessoas, quem sabe um amor. 
- Você não estaria tão nervosa assim se não fosse nada... Nem com essas bochechas coradas de embaraço e muito menos com aquela carinha sonhadora que vimos quando entramos aqui no seu quarto. Você pode não querer admitir nem para si mesma, irmãzinha, mas às vezes o nosso coração resolve tomar as rédeas da nossa vida e só nos resta aceitar... Se isso aí que eu estou vendo nos seus olhos não for paixão, e das grandes, então não sei o que é... 
Assim, em uma tentativa de ter uma vida fora das piscinas, Arielle saía escondida do seu pai e do seu treinador, Sebastião, e foi em uma dessas escapadas, na festa de confraternização das equipes durante a seletiva final para as olimpíadas, na Suíça, que ela conheceu Érico, um tenista mundialmente famoso e que despertava muitos corações diante da sua beleza. O que Arielle não esperava era que acontecesse um acidente naquele mesmo dia e que os dois fossem se conhecer de uma forma tão inusitada e mais, que ele não se lembraria dela no dia seguinte, mas sim do seu canto. Proibida pelo seu técnico de contar para Érico que ela foi a menina que salvou a vida dele, Arielle se dispõe a conhecê-lo como se aquilo tudo não tivesse acontecido, mas vai precisar enfrentar vários obstáculos e descobrir que nem todo mundo que tenta nos ajudar quer o nosso bem. 
- Não, Arielle, não está nada bem. [...] Sabe o que é ter um sonho que não depende de você? Ou melhor, pode imaginar como é passar anos pensando que você compartilha esse sonho com uma pessoa, depositar todas as suas esperanças nela, e quando finalmente aquele desejo está prestes a se realizar, tudo inesperadamente sai dos eixos e você percebe que durante o tempo todo esteve sozinho? 
Assim como em todos os livros que li da Paula, a leitura foi extremamente fluida, não parei enquanto não terminei e li em questão de dois dias. A construção dos personagens e a caracterização deles foi muito boa, extremamente semelhante ao conto de fadas original, inclusive os vilões da história e até mesmo os personagens secundários. A capa ficou incrível, lembrando uma aquarela e criando uma harmonia maravilhosa entre as cores do desenho e da escrita dos títulos. Assim como nos outros livros, a divisão entre os capítulos foi feita de forma precisa e os desenhos ficaram fofos, além de, como sempre, ter as melhores músicas citadas durante a narrativa. 
Você sabe qual é a sua lembrança mais antiga? Aquela passagem da sua vida que continua lá, independentemente de quantos dias você já viveu? Eu sei. Nunca me esqueci da primeira vez que entrei em uma piscina. Eu devia ter no máximo 2 anos, mas ainda me lembro da sensação da água gelada circundando meus pés e em seguida meu corpo inteiro. Meu pai estava me carregando e de repente me soltou. E então era só eu e a piscina. Aquela imensidão azul que me acolheu desde o primeiro instante. Meu habitat natural. 
Por fim, gostaria apenas de ressaltar que, assim como o primeiro e o segundo livro, ele não possui uma ligação direta com os outros, não é necessário ler os outros dois antes para chegar nele, o que temos são referências, personagens que aparecem vez ou outra e que foram parte das histórias anteriores, mas que não são necessários para que compreendamos o conteúdo geral. Acho que foi possível perceber o quanto fiquei apaixonada nesse livro né? Ele é daqueles livros bem relax para ler quando não queremos nada pesado, que casou muito bem com a minha vibe dos últimos dias e me fez um bem danado. É isso, alguém aí já leu? Gostam da escrita da Paula? Um xêro e até semana que vem!


10 comentários

  1. Oi, Hemely!
    Acabei de passar pela resenha do livro da Cinderela hahahaha Eu ainda vou ler esses livros porque eles tem cara de ser beeem amorzinho mesmo.
    Bom saber que a caracterização se parece demais com a da inspiração.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  2. Aaah, que lindo!
    Ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita da Paula (confesso que tenho receio de ser muito infantil), mas já vi essa série algumas vezes.
    Acho muito bacana quando fazem estas releituras; é interessante ver como uma história pode ganhar tantas outras versões.
    Fiquei interessada neste, e a capa está muito bonita.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Então Hemely, curti a resenha e fiquei feliz por você ter amado a história mas já li um livro dessa série e apesar de achar a edição fofinha, não foi o meu tipo de história, sei lá rsr, a escrita é fluida e fácil mas não foi uma história que acompanhei encantada. Ainda assim acho a proposta da série bacana e achei a resenha desse bem animadora ;)

    ResponderExcluir
  4. Oii Hemely, tudo bem? Que bom que gostou tanto da leitura! Eu nunca li nada da Paula, acredita? E confesso que não tenho tanto interesse nos livros dela... mas quem sabe um dia eu pegue um e acabe gostando? Não descartarei a possibilidade e já anotei sua indicação para o futuro <3
    Beijos!💕
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ola, Adoro livros de escritoras nacional, mas não li nenhum livro da Paula Pimenta, gostei muito da resenha, esse livro parece ser bem gostoso de ler, gosto muito de ler reileitura e fiquei curiosa para saber que acidente é esse que aconteceu, gostei de saber que foi uma leitura fluida, também achei a capa maravilhosa, Adorei a Dica e com certeza vou ler!!

    ResponderExcluir
  6. Hemely.
    Sim, é bem perceptível que desfrutou bastante da história.
    Eu sou muito fã da escrita da Carina Rissi, porém ainda não li essa série apesar de ter bastante curiosidade em conhecer eu adoro o que tem nesse ambientação de contos de fada, o que eu sou muito fã, outro ponto que também curtir foi a criação da personagem e do vilão, enfim, quero muito ler.

    ResponderExcluir
  7. Tenho vontade de ler esses livros da autora, não sabia que poderia ler de forma separada, parece ser uma historia gostosa e que deixa o leitor refletindo, achei estranho a personagem não poder falar que foi ela quem salvou o garoto que mal a nisso eu hein rs.

    ResponderExcluir
  8. Tenho muita curiosidade de ler os livros da autora, ainda não tive a oportunidade.Mas sempre leio resenhas positivas ainda mais por ser de uma autora nacional, com reeleiturasa de clássicos e que tenha essa fluides de escrita. Acho suas capas umas fofuras também!!

    ResponderExcluir
  9. Hemely!
    Adoro releituras das princesas e ver Ariel retratada até de certa forma fiel ao original, é bom.
    Pena a protagonista ser ingênua e se apaixonar de primeira pelo garoto que salvou.
    Não li ainda nenhum livro da Paula ainda, acredita?
    Um final de semana carregado de luz e paz!
    “A arte de ser sábio é a arte de saber o que ignorar.” (William James)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Que resenha linda, amei. Sou suspeita para falar porque adooooro a Paula Pimenta. Já li quase todos os livros dela. E li também os dois primeiros dessa série de releituras e com certeza eles podem ser lidos independentes. Tenho esse mas ainda não li, acredito que ficar para 2018 esse fim de ano já estou com tudo programadinho. Mas amei conferiru suas impressões. Parabéns pela leitura e pelo ótimo texto.

    Leituras, vida e paixões!!!
    Recife

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO