07/11/2017

RESENHA: Sejamos todos feministas - Chimamanda Ngozi Adiche

Sejamos todos feministas
Autora: Chimamanda Ngozi Adiche
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 87
Edição: 1
Ano: 2014
O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo."A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: Você apoia o terrorismo!. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são anti-africanas, que odeiam homens e maquiagem começou a se intitular uma feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens. Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Não sabia bem o que esperar da leitura, mas me surpreendi positivamente com a obra.

Sejamos todos feministas é um livro bem curtinho, pra terem noção não chega a 100 páginas. Mas isso não quer dizer que o conteúdo seja ruim ou que não valha a pena, pelo contrário, é um livro que todo mundo deveria ler. É curto, direto e nos faz pensar e refletir sobre como nós mulheres somos tratadas e como em pequenas coisas ainda sofremos muito.

Chimamanda Ngozi é uma mulher negra, nigeriana e feminista e ao decorrer da leitura ela nos conta coisas que ela viveu, vivências de outras mulheres e como o machismo as atingiu. Citou, por exemplo, que um amigo disse pra ela que não entendia o porquê do feminismo, já que em comparação aos aos tempos anteriores nós, mulheres, tínhamos mais direitos. E aí esse rapaz se deparou com uma situação, Chimamanda, ele e outros amigos estavam estacionando um carro, a nossa autora pagou o estacionamento, mas o 'flanelinha' agradeceu ao homem. Entenderam a situação? A sociedade ainda acha que o homem é que tem o dever, e o que consegue pagar, a mulher não. Em restaurante geralmente acontece isso, certo? E na adolescência quando um casal de adolescente que não trabalham e dependem dos pais, quem tem a obrigação de pagar? E porquê?
“Se repetirmos uma coisa várias vezes, ela se torna normal. Se vemos uma coisa com frequência, ela se torna normal.”
A autora também cita outras situações e exemplos simples, do dia a dia, que deixa o leitor refletir e pensar sobre nossas próprias ações. O feminismo não é pra agradar ao público feminino, mas sim pra fazer que com as mulheres tenham os mesmos direitos que os homens vem tendo desde sempre e obviamente se refletirmos os homens acabam também sofrendo essa pressão de terem que ser o melhor, o provedor. Se repensarmos a situação do exemplo do casal de adolescentes, e se a menina tiver  uma condição financeira melhor e chamou o colega pra ir tomar o sorvete, a sociedade acha que ele tem que pagar, mas se ele não tem condições? não geraria a ele uma frustração? 
“O problema da questão de gênero é que ela prescreve como devemos ser em vez de reconhecer como somos.”
É fato que o feminismo não é para as mulheres, é para uma sociedade mais justa e igualitária entre homens e mulheres. Se as pessoas começarem a pensar com a cabeça e refletir sobre as questões, os dois tendem a ganhar e muito, afinal não é uma competição. 

Sejamos Todos Feministas é um livro para todo público, pra quem já se considera, pra quem quer entender melhor o que é o tal do feminismo. E pra quem está disposto a repensar seus atos, ou melhor, pra quem está disposto a abrir a própria mente.
“A cultura não faz as pessoas. As pessoas fazem a cultura. Se uma humanidade inteira de mulheres não faz parte da nossa cultura, então temos que mudar a nossa cultura.”
Sobre os detalhes: Eu li o livo em e-book, que inclusive estava gratuito na Amazon. Não encontrei erros. Eu gosto bastante da capa. 

Comentário final: Esse livro é bem simples de ser lido, a autora soube como abordar o tema super bem e explica ao leitor como o feminismo atinge a todos nós. Super vale a pena!

E ah, detalhe: Essa obra na verdade é um texto que a Chimamanda apresentou em uma palestra ao TED. Ou seja, também tem como vocês assistirem a apresentação da autora no youtube (já encontrei por lá legendado). Mas se quiserem só ler, não há problema, o texto é integral.


15 comentários

  1. Oi Kamilla, acho importante e valido o tema abordado no livro pois apesar de já termos conseguido muitas conquistas ao longo dos anos, a luta das mulheres ainda é longa e pequenos acontecimentos como o citado no texto sobre o flanelinha demonstram isso e são casos que as vezes vivemos mas nem damos a devida importância. Achei a resenha muito boa e o fato de livro ter estado de graça melhor ainda haha. Boa dica ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A luta ainda é longa mesmo, mas se nos unirmos isso andará melhor!
      Beijos

      Excluir
  2. Que resenha fantástica, Kamilla!
    Li sobre alguns livros da autora recentemente, antes disso nem a conhecia. Achei bem interessante e bastante elogiados, mas é primeira vez que ouço falar desse. E amei!
    Se eu tiver que começar por algum dela, será esse, porque além de ser curto é de um rema super interessante e vai ser melhor pra conhecer a escrita dela.
    Preciso dizer que concordo com tudo que foi citado sobre o feminismo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada <3
      É bem simples de ser lido e preciso!
      Beijos

      Excluir
  3. Oi, Kamilla!
    Apesar de já ter o livro no Kindle, ainda não li, mas já vi muuuuuitos comentários positivos não só desse livro como também dos outros da autora.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  4. Interessante o livro é muito bom abordar esse assunto, por mais que as coisas mudaram para as mulheres ainda tem algumas que continuam precisando mudar, que foram citadas na resenha entre outras, para que nossos direitos sejam iguais ao sexo oposto.

    ResponderExcluir
  5. Ola, Gostei muito da resenha, já tinha visto esse livro na Amazon, só não tinha chamado a minha atenção, mas depois dessa resenha, gostaria de ler, o assunto é muito interessante, acho que as mulheres ainda em pleno século XXI continuam em desvantagem em muitos fatores, principalmente o social e econômico!!

    ResponderExcluir
  6. Havia visto o livro na Amazon, mas não me chamou atenção.
    Mas lendo a resenha agora descobri do que se trata, e é sempre bom lermos sobre ser feminista hoje em dia.
    Não sabia que havia uma apresentação, achei bem interessante para assistir depois de ler!

    ResponderExcluir
  7. Kamilla!
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser bem legal. Sobre o feminismo, bem acho que todas as mulheres deveriam ser sim feministas, por que é a nossa luta, temos que nos apoiar e nos armar contra o machismo e essa sociedade que mesmo no seculo XXI ainda nos desvaloriza em alguns aspectos! ABSURDO!
    Desejo uma semana carregadinho de luz e paz!
    “ Inteligência não é não cometer erros, mas saber resolvê-los rapidamente.” (Bertolt Brecht)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA novembro 3 livros, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho que todas nós deveríamos, já que é a nossa luta! De fato é um absurdo termos que vivenciar algumas coisas em pleno 2017.
      Beijos

      Excluir
  8. Oi.
    Eu ainda não tive o prazer de conhecer a escrita da autora, porém já assistir sua palestra Chimamanda Adichie: O perigo da história única e eu adorei. Eu adoro que ela fala tão abertamente de temas que precisam muito ser debatidos, como: Feminino e igualdade de gêneros, enfim, quero muito ler.
    Bjs.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO