16/02/2018

RESENHA: Mais Lindo Que a Lua - Julia Quinn

Irmãs Lyndon #1
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 272
Ano: 2018
Mais Lindo Que a Lua, primeiro livro primeiro livro da série Irmãs Lyndon, é uma história irresistível sobre sobre reencontro e desafios, romantismo e perseverança.
Foi amor à primeira vista. Mas Victoria Lyndon era a filha do vigário, e Robert Kemble, o elegante conde de Macclesfield. Foi o que bastou para os pais dos dois serem contra a união. Assim, quando o plano de fuga dos jovens deu errado, todos acreditaram que foi melhor assim.
Sete anos depois, quando Robert encontra Victoria por acaso, não consegue acreditar no que acontece: a garota que um dia destruiu seus sonhos ainda o deixa sem fôlego. E Victoria também logo vê que continua impossível resistir aos encantos dele. Mas como ela poderia dar uma segunda chance ao homem que lhe prometeu casamento e depois despedaçou suas esperanças?
Então, quando Robert lhe oferece um emprego um tanto incomum – ser sua amante –, Victoria não aceita, incapaz de sacrificar a dignidade, mesmo por ele. Mas Robert promete que Victoria será dele, não importa o que tenha que fazer. Depois de tantas mágoas, será que esses dois corações maltratados algum dia serão capazes de perdoar e permitir que o amor cure suas feridas?
Não foi o melhor livro da autora, mas ainda assim foi uma boa leitura!

Mais Lindo Que a Lua conta a história do casal Robert e Victoria. Robert Kemble é o conde de Macclesfield e a Victoria Lyndon é a filha do vigário. Um dia eles se conhecem e instantaneamente se apaixonam. Sim, foi tudo muito rápido... no mesmo dia já fazem juras de amor e esse sentimento só foi aumentando ao decorrer das semanas. Mas por conta das diferenças sociais entre os dois, e principalmente pelos pais de ambos serem totalmente contra a relação, resolvem fugir, porém contratempos acontecem e eles não conseguem, resultando em desentendimentos e interpretações erradas do que realmente aconteceu. Ele acha que ela só queria o dinheiro e ela acredita que ele só queria usá-la.

Sete anos se passaram e vida deles tomaram caminhos completamente diferentes, porém ainda compartilham de alguns sentimentos: ódio por conta das conclusões precipitadas e obviamente o amor, por mais que eles neguem pra si mesmos por conta dos medos e receios. 

As obras da Julia Quinn sempre me encantam, com este não foi diferente, já que temos um romance fofo, personagens bem construídos e uma narrativa viciante. Mais Lindo Que a Lua reserva ao leitor uma obra com amor, medos, receios, segundas chances e o recomeçar, além de falar sobre o primeiro amor - que é a primeira vista também, e devo admitir que não consegui me conectar logo com a história por causa disso (o Robert se apaixonou no primeiro momento que a viu e isso é dito na primeira página do livro), mas depois fui sendo cativada pelos personagens e relevando essa instantaneidade. 
“– A vida não se trata de arrastar-se para baixo de uma pedra e ver o mundo passar, esperando que nada nos afete. – Ele se ajoelhou e começou a ajudá-la a recolher os alfinetes. – A vida é sobre arriscar, sobre tentar alcançar a lua.”
Robert e Victoria se apaixonaram muito rápido, quando eles eram muito imaturos e achando que podiam superar tudo e todos. Queriam viver um conto de fadas, mas tudo acabou ruindo por conta de maus entendidos e isso deixou várias marcas neles. Robert optou por sair daquela cidade e virou o que chamam de libertino, já Victoria optou por sair da casa do pai, virou perceptora de uma criança na casa de uma madame e é nessa casa que o ocorre o reencontro. É crível o amor que sentem um pelo outro, assim como o medo de sofrerem de novo.

Boa parte do livro trás muitas brigas/discussões entre eles do tipo gato-e-rato, algumas vezes é cômico e romântico, mas há outras que me irritaram. O livro se passa numa época em que a mulher ainda não tinha muita voz, submissa ao homem e o Robert algumas vezes abusa muito disso pra impor a sua decisão/opinião como se fosse superior, não dando tanta liberdade de escolha para a Victoria. Em contrapartida a protagonista depois do que sofreu, levantou a cabeça e lutou pela sua independência, liberdade de ser quem é e mesmo assumindo pra si mesmo que o amava, percebeu que não precisava de um casamento pra ser feliz. Eu gostei bastante do empoderamento da protagonista, a Julia Quinn acertou em criar uma personagem tão forte, mas errou um tiquinho nas características do Robert que se mostrou obsessivo em vários momentos. Não me entendam mal, eu gostei do personagem, no entanto há algumas cenas que me irritaram profundamente, onde nitidamente ele não respeitou a opinião e o querer dela.
“Se deixa-lo me amar, ele vai partir meu coração de novo? Se me permitir amá-lo, ainda poderei ser eu mesma?”
O foco do livro é totalmente no casal, então não temos muitos personagens secundários dando o ar da graça, as únicas que tiveram um leve destaque foi a irmã mais nova da Victoria, a Eleonor e a tia e prima do Robert, que pra ser sincera senti falta de ter mais participação até dessas personagens.

A capa do livro é linda, fiquei encantada e antes que perguntem, a lua tem a ver com a história. Não encontrei erros e o espaçamento e tamanho de fonte estão agradáveis. Infelizmente a obra me decepcionou um pouco, mas ainda sim indico (e insisto) que leiam e tirem suas próprias conclusões, além de que se tem algo que não posso negar é que a Julia Quinn sabe cativar o leitor e nos entreter.


9 comentários

  1. sou louca para ler os livros da Julia, tenho o começo dos bridgertons aqui mas quero ter todos os livros para ler, é uma pena que a obra tenha te decepcionado um pouco, mas fico muito feliz em saber que os personagens são bem construidos e o romance é fofo, e é uma pena que ela não tenha acertado tanto assim em Robert, ele me parece ser um personagem que vai me deixar bem irritada com essa possessividade dele! Por outro lado tenho certeza que vou amar Victoria, pois amo protagonistas independentes!

    ResponderExcluir
  2. OI Kamilla.
    Eu li alguns livros da série Os Bridgertons e não gostei tanto da escrita ou dos personagens criados pela autora.
    Estava animada em ler essa série nova, mas vi muitas críticas negativas em relação ao primeiro livro. Todas em relação ao comportamento abusivo, possessivo e ciumento de Robert.
    Talvez eu leia se eu tiver a oportunidade, mas estou com as expectativas bem baixas sobre a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá, aqui temos mais um típico romance da autora, mas Julia Quinn é uma das poucas autoras que conseguem se reinventar sem sair da zona de conforto. Nesse livro não é diferente, com o humor característico e personagens bem explorados. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Kamilla!
    Eu quero muito ler esse livro porque é Julia né?
    Eu gosto de um gato e rato, mas confesso que tem vezes que estressa
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe da Folia Literária 2018: cinco kits, cinco sortudos.

    ResponderExcluir
  5. Kamilla!
    Nossa! Que rapidez, hein? Livro foi lançado agora...
    Sendo Julia Quinn, só esperamos um enredo bem construído e personagens altivez e de personalidade forte, acredito que Victoria seja assim...
    Não gostei muito do lance da vingança de Robert, mas conhecendo a autora, imagino que nada de vingança se concretizará e claro que quero ler.
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Oi Kamilla,
    Desenvolver uma história sobre primeiro amor à primeira vista pode ser bem complicado, pois muitos leitores não conseguirão se conectar com os personagens por não terem vivenciado algo do tipo. Mas como Julia Quinn é boa com as palavras é através delas que ela nos convencerá de que essa história é possível. Robert e Victoria podem ser imaturos e inexperientes, mas é através disso que eles irão vivenciar essa relação cheia de desafios e contratempos. As questões sociais são muito importantes para a história e dão um toque especial para essa obra, evitando que ela seja mais do mesmo. Confesso que me lembrei um pouco de Romeu e Julieta e isso só me deixou mais curiosa para ler esse livro, só espero que o final não seja trágico como o clássico de Shakespeare.

    ResponderExcluir
  7. Também acho essa capa linda, ainda não li nada da autora parece mentira rs. As vezes essas brigas de cão e gato ficam cansativas quando tem muitas, é uma pena o desentendimento dos personagens por falta de comunicação, embora na realidade também acontece isso, a falta de entendimento é grande. Gostei da personagem se impor, mesmo naquela época que era difícil para as mulheres.

    ResponderExcluir
  8. Eu ainda não li esse livro mas eu já terminei de ler a série os bridgertons e já leu quartetos que ela lançou mas só por esse livro eu vi que ele Decepciona muito e em vários blogs eu vi que foi dito que esse livro é um dos mais fracos dela

    ResponderExcluir
  9. Oiee!
    Confesso que não tenho mais todo aquele encantamento com os livros da Julia, acabei de ler mais um e novamente fiquei com a sensação de que faltou algo, não sei se porque antes tinha lido um da Lisa Kleypas e foi maravilhoso, que o da Julia foi insignificante pra mim, sinto falta das cenas mais picantes, enfim...
    Ela tá perdendo uma leitora.
    Bjs!

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO