01/06/2018

RESENHA: Carta a D. - André Gorz

Carta a D.
Autor: André Gorz
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 112
Edição: 1
Ano: 2018
Uma das declarações de amor mais conhecidas e emocionantes de nosso tempo, este livro é também uma afirmação comovente de companheirismo entre duas pessoas apaixonadas."Você está para fazer 82 anos. Encolheu seis centímetros, não pesa mais do que 45 quilos e continua bela, graciosa e desejável. Já faz 58 anos que vivemos juntos, e eu amo você mais do que nunca." Assim André Gorz inicia sua carta de amor a Dorine, mulher ao lado de quem ele passou a vida e que há alguns anos sofria de uma doença degenerativa incurável.
Como um dos principais filósofos do pós-guerra francês, Gorz escreveu inúmeros livros influentes, mas nenhuma de suas obras será tão amplamente lida e lembrada quanto esta carta simples e bela, em que ele rememora tanto a história de companheirismo, amor e militância do casal como a trajetória intelectual que percorreram juntos.Um ano após a publicação de Carta a D., um bilhete encontrado na casa onde moravam fez as vezes de pós-escrito à narrativa: André e Dorine tiraram a própria vida juntos, numa renúncia comovente a viver sozinhos.

Carta a D. é um livro escrito pelo filósofo André Gorz contando a sua história de amor para Dorine, sua esposa. Essa obra foi escrita em 2006, quando já estava aposentado com o intuito de ficar próximo, acompanhando toda a luta da sua mulher que estava com uma doença degenerativa incurável e câncer... Um ano após escrever essa História de Amor, em 2007, eles se suicidaram juntos. Preferiram renunciar a vida do que ficar separados.
“Você está para fazer oitenta e dois anos. Encolheu seis centímetros, não pesa mais do que quarenta e cinco cilos e continua bela, graciosa e desejável. Já faz cinquenta e oito anos que vivemos juntos, e eu amo você mais do que nunca. De novo, carrego no fundo do meu peito um vazio devorador que somente o calor do seu corpo contra o meu é capaz de preencher.”
A história do André e da Dorine é muito bonita, foram mais de 58 anos de um relacionamento onde uma apoiava o outro em todos os momentos, sejam difíceis ou incríveis.

A medida que vamos lendo a carta que ele escreveu vamos conhecendo a história deles de como se conheceram, se apaixonaram, se apoiaram, compartilhando as dificuldades que passaram (não foram poucas, inclusive). Porém o autor focou algumas vezes em seus livros, na política e acabou não demonstrando tanto sobre seus sentimentos sobre Dorine, o que me deixou um pouco a impressão de egoísmo deixando esses trechos um pouco cansativas pra mim... No entanto depois ele volta a focar na amada e externar todo o seu amor e respeito por ela, principalmente porque a Dorine sempre apoiou a carreira dele mesmo passando muitos apertos. Deu pra perceber que ela abdicou um pouco de si e dos seus próprios projetos pra apoiá-lo e viver o sonho dele, o que volta um pouco a bater no egoísmo sabe?! Ele menciona, inclusive uma fala dela: “Sabia que faz três dias que você não me diz uma palavra?”, mas entendo que foi escolha dela.
“Compreendi com você que o prazer não é algo que se tome ou que se dê. Ele é um jeito de dar-se e de pedir ao outro a doação de si. Nós nos doamos inteiramente um ao outro.”
É fato que o filósofo era conhecido por ser excêntrico, não sei muito sobre a história do mesmo pra ter uma opinião sobre. Mas a carta, apesar de ter alguns incômodos, foi uma leitura prazerosa de uma história muito bonita, ainda mais sabendo sobre o desfecho do casal, não estamos aqui pra julgar se suicídio é certo ou não, mas foi um ato de amor ele saber que sua amada estava com os dias contados e não querer vê-la sucumbir a doença e optar por partir com ela, já que não imaginava sua vida sem a mesma. Super recomendo que leiam!


19 comentários

  1. Oi, Kamilla.

    É difícil julgá-los, quando eles tinham somente o objetivo de ficarem juntos. É com certeza um lindo gesto de amor imensurável, que não é comum vermos.

    ResponderExcluir
  2. Puxa...amo uma boa história de amor e pelo que li acima, o casal viveu a sua. Cheia de contratempos? Sim..mas quem não vive assim né?
    Vou fazer 25 anos de casada este mês de Junho e já estou fazendo meu balanço geral da situação..rs
    Mas quero muito ter a oportunidade de ver o quanto o casal esteve junto,mesmo com um certo egoísmo em alguns momentos,mas talvez, com o amor na maior parte do tempo!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Nossa... fiquei de coração partido com essa resenha.
    Que lindo gesto de amor.
    Também não gostaria muito dessas partes políticas, mas acho que ele quis retratar como ele era.
    Deve ser uma leitura intensa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oii Kamilla, tudo bom?
    Você viu que fiquei super ansiosa para receber esse livro, não foi? Minhas expectativas estavam altíssimas, o que é sempre arriscado. Mas não me decepcionei, felizmente! Li o livro todo em uns 40 minutos, não consegui largar. Algumas partes são realmente mais lentas, mas todo o livro foi muito interessante pra mim. Senti que essa carta foi, além de uma história de amor, um pedido de desculpas por não ter dado destaque a Dorine, que o ajudou tanto e foi tão importante em todos os detalhes de sua vida, em suas obras. Achei um livro simples, honesto e muito bonito. Não chorei, como estava esperando hahaha, mas a obra me tocou lá no fundo <3

    Beijos!!!!
    http://umaleitoravoraz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Nossa, a sinopse faz a gente pensar em tantas coisas da vida, mas o fato de se suicidarem, com certeza, é um ponto extremamente forte!
    Imagino que a leitura seja linda e prazerosa ao acompanhar essa história de amor, fiquei curiosa sobre ela ;)

    ResponderExcluir
  6. Esse é definitivamente um livro que não posso morrer sem ler. Fiquei até triste lendo a resenha imagina lendo a história deles todinha ? é um livro que tem tudo pra ser tocante e te deixar pensando na vida depois da ultima página

    ResponderExcluir
  7. Kamilla!
    Acredito que justamente pelo autor ser irreverente, correlacionou seu amor à política.
    Já deu para notar que ele era diferente ao cometer suicídio ao lado de seu grande amor, não queria ficar só, e, desconfio que quis causar questionamentos reflexivos e filosóficos sobre suicídio...
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “O que eu sinto eu não ajo. O que ajo não penso. O que penso não sinto. Do que sei sou ignorante. Do que sinto não ignoro. Não me entendo e ajo como se entendesse.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Li e achei lindíssimo <3 Como pode um livro tão pequenininho ser tão bonito e tocante? Simplesmente adorei =D
    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Kamilla!!
    Nossa é um livro bem tocante, triste e emocionante. Não é facil dizer adeus a alguém que se ama e que passou 58 anos juntos.. Sem dúvida é um livro lindo e triste ao mesmo tempo.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. Olá, Kamilla!
    É tão bom quando ainda existem casais que envelhecem juntos. Uma vida a dois não é nada fácil, mas apesar do André não ter passado mais tempo e se dedicado a Dorine o quanto deveria. Ele pode se redimir ficando mais tempo com ela, escrevendo a carta para sua amada e por fim decidiram que não poderia ficar sem o outro.
    Deve ser muita emoção ler o livro com essa linda história de amor.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Primeira vez que vejo falar desse livro. Parece ótimo e ele tem poucas paginas e podera ser lido rápido.
    58 anos de amor e dedicação, são muito tempo e com certeza deve ser linda essa história de amor, apesar do suicidio o motivo nos mostra que ele a amava tanto para não querer continuar sem ela.

    ResponderExcluir
  12. Oi Kamilla,
    Parece ser um livro muito tocante, trazendo essa história linda e emocionante do casal. Foram muitos anos juntos, de um relacionamento repleto de amor, respeito e cumplicidade. Apesar desse final que eles escolheram, que não podemos julga-los, a história deles mostra que é possível sim, ter um relacionamento duradouro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Parece ser uma historia linda apesar de triste, foi bastante tempo junto que os dois viveram, muitas coisas devem ter acontecido nesse período coisas boas e ruins, é bom ver que conseguiram superar e ficarem juntos até o fim. Não julgo o que fizeram só vivendo a situação para saber o que faríamos no lugar deles.

    ResponderExcluir
  14. UAU, eu nunca tinha ouvido falar desse filósofo. E que história a desses dois hein. É interessante você citar esse lado do egoísmo dele, porque faz pensar sobre o quanto uma pessoa se doa mais que a outra dentro de uma relação. E eles realmente levaram a máxima de "até que a morte nos separe". É um livro, que eu, agora, quero ler também.

    ResponderExcluir
  15. Oi Kamilla,
    Carta a D. era para ser uma história trágica, mas é o relato de um amor verdadeiro, ao mesmo tempo em que era para ser uma história de amor, mas que foi devastada pela doença. São essas várias nuances do livro que me desperta curiosidade e interesse. Casais que se mantém juntos por tanto tempo são raros, ainda mais se as dificuldades e a carreira se fazem presentes. Talvez André tenha sido egoísta mesmo durante o casamento e quando escreveu esse livro ou essa foi a forma que eles encontraram de fazer a união da certo, um cedendo mais que o outro. De qualquer forma, me parece ser uma história que vale a pena ser lida e uma ótima recomendação.

    ResponderExcluir
  16. Oi Kamilla,
    Por mais trágico que tenha se tornado o fim do casal, acredito que possamos chamar sim de amor verdadeiro a decisão que ambos tomaram (espero que seja mesmo ambos, rs). Além do livro se tornar belo por ser uma história de amor verdadeira, o mais bonito é ver como se apoiaram nas dificuldades, confesso que também me incomoda um pouco a mulher abrir mão de muitas coisas pelo marido, mas quem sou eu para questionar as decisões dela não é?
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Apesar do autor focar em outras coisas que não sejam sobre a amada creio que mesmo assim o livro deva ser muito bom. Mostrar como se apaixonaram e ficaram tanto tempo juntos e em um momento tão delicado com sua mulher doente e sem condições alguma ele escrever palavras que descreva o amor deles. Com certeza um livro que quero ler!

    ResponderExcluir
  18. Nossa, eu fiquei um pouco curiosa pra ler esse livro. Acho que também ficarei igual a você pela questão de já saber da história deles antes de ler o livro, do que aconteceu sabe... É um assunto um pouco difícil.
    Eu gosto muito de ler livros de romance e espero poder um dia ler este.

    ResponderExcluir
  19. Gosto muito de histórias que envolvam política e ainda mais que se passam com alguma referência à guerras que aconteceram. Talvez essa questão de envolver muito política eu vá gostar por este motivo.
    Bem impactante o que ocorreu com os dois. Isso me deixa com mais vontade de conhecer a obra.

    ResponderExcluir

PAGINAÇÃO