12/10/2018

RESENHA: Bruto e Apaixonado - Janice Diniz

Bruto e Apaixonado (Irmãos Lancaster #1)
Autora: Janice Diniz
Editora: Harlequin
Páginas: 256
Edição: 1
Ano: 2018
Mário Lancaster e Natália Esteves parecem não ter nada a ver um com o outro: ele é um ex-peão de rodeio e ela, uma empresária sofisticada de uma metrópole. Ela deve demitir funcionários da maior fábrica local, e ele é o responsável por convencê-la a mudar de ideia.
Eles estão em lados opostos, mas a química entre os dois é impossível de ignorar. Bruto e Apaixonado é o primeiro volume da série Irmãos Lancaster e uma história irresistível de amor, superação, sedução e, claro, caubóis atraentes e possessivos.
Eu não sabia bem o que esperar dessa obra, mas fui surpreendida...

Mário Lancaster é um caubói que vivia pelos rodeios, amava a adrenalina de montar em um touro, mas tudo mudou quando ele caiu e acabou se machucando. Nesse mesmo dia veio a notícia do falecimento do seu pai. Ele abandonou as arenas e tomou a frente da fazenda do pai.  Essas mudanças o tornou retraído, adora mulheres, mas não quer relacionamento sério, não quer se envolver... Ele reside no interior, em Santo Cristo, onde os costumes ainda são um pouco retrógrados. 

Natália Esteves é filha de um CEO importantíssimo em São Paulo, e apesar de todos os esforços pra ser competente, se mostrar uma filha presente e ganhar o amor do pai, ele a trata como se fosse um nada e isso sempre a deixa triste - mas segue firme. Ele a manda para um interior com o intuito dela demitir um pessoal de uma empresa que acabara de comprar, ela vai parar em Santo Cristo, onde o povo não quer vê-la nem pintada de ouro - já que vai demitir o pessoal de lá.
O povo de Santo Cristo com medo das demissões pede ajuda ao Mário, que é de uma família conhecida no local. Porém ele sabe que não há como resolver, já que o próprio dono e residente do local nem pensou na comunidade antes de vender a empresa... mas de qualquer forma, depois de muitos pedidos, ele diz que se o responsável for uma mulher, ele resolverá (só pra pararem a encheção de saco dele). Eis que ele conhece a Natália. E é inegável a atração que um sente pelo o outro.
"Eu podia me repetir dizendo que sei me cuidar sozinha — começou ela, sorrindo. — Mas, como sei que posso me cuidar sozinha, não me importo que você também cuide de mim."
Assim que Natália e Mário se conhecem uma chama se acende, os dois se sentem atraídos um pelo o outro. Contudo, como a nossa mocinha está lidando com a hostilidade do pessoal, fica com o pé atrás de qualquer tipo de ajuda... mas é ao Mário que ela recorre quando os moradores de Santo Cristo passam do limites, como jogar um tijolo no hotel que ela estava ou ser expulsa desse mesmo hotel. Ela vai passar um tempo na fazenda Lancaster.

Bruto e Apaixonado foi uma surpresa pra mim, não esperava muito (até porque nem conhecia a obra direito) e foi bem legal conhecer a história de Natália e Mário. Já nas primeiras cenas dá pra sentir uma atração entre os dois, mas a relação física demora um pouco mais pra acontecer... afinal Mário é um bruto apaixonante que não quer se apaixonar e a Natália é uma mulher moderna, inteligente e com medo de se envolver mais profundamente por causa do pai. No entanto, quem é que manda no coração? A relação do casal foi se desenvolvendo aos poucos, começaram no flerte, depois decidiram em comum acordo só se envolverem sexualmente (sem sentimentos ein?), mas quando se deram conta um sentimento forte já se instalara dentro dos dois e foi bacana visualizar a forma que eles reagiram a isso. 
“– O maior erro de quem não quer se apaixonar é minimizar a importância da paixão.”
Há cenas bem calientes, então se não curte cenas assim, melhor passar adiante. Particularmente não me incomodo com isso e até gosto de cenas hots, essas foram bem descritas e cheias de paixão. Há um foco na superação do Mário em relação ao seu medo de montar no touro novamente, na família super amorosa que ele tem. Uma mãe que é uma figura e dois irmãos no mesmo estilo caubói garanhão e gostosão.

No entanto, para a minha decepção, a autora focou de forma bem superficial na relação da Natália com o pai, a justificativa do tratamento dele para com ela é repugnante, mas acho que poderia explorar mais. Outro fato que me incomodou foram as formas de tratamento de alguns Lancasters em relação as mulheres, soltaram algumas expressões bem machistas que me incomodaram bastante. Porém a Natália também me soltou uma expressão que nossa... ela disse que não tinha nada contra namorar alguém mais pobre (ou inferior), já havia inclusive namorado o próprio motorista. Ok. (Expressão bem: nada contra, tenho até amigos que são).

Apesar dessas ressalvas, o livro como um todo foi bem bacana de ser lido e acompanhado, o final foi legal e gostei da Natália impor o respeito em relação a sua vida profissional. Provavelmente vou querer ler os livros dos outros irmãos Lancasters.


8 comentários

  1. Quando eu leio "este é o primeiro volume da série Irmãos.." já me apaixono haha
    Porque eu sei que se o primeiro foi bom, o segundo vai ser melhor ainda, e se algum decepcionar, é só esperar o próximo para se apaixonar de novo pela serie rs
    Gostei, eu adoro um romance mais hot e muito divertido! Espero que esse livro, se um dia eu tiver a oportunidade de ler, me prenda do inicio ao fim na historia, pq começar bem e terminar não tão bem assim, é um mal desses livros hot, eu nunca fico satisfeita com o fim, rsrs

    ResponderExcluir
  2. Oi Kamilla,
    Gosto de histórias com peões, mesmo tendo lido poucos livros com essa temática. Bruto e Apaixonado poderia ser só mais um romance, mas gostei que a autora utilizou de outros elementos para escrever essa história. A paixão que os protagonistas tem não é só sentimentos despertos um pelo outro, pois existem outras motivações pessoais por trás de tanta determinação. Se por um lado Mário é motivado pela família e por ser responsável por ela, por outro temos Nathália querendo provar para seu pai o quanto é capaz. A história tinha muito potencial para atingir um nível ainda maior. Como mencionei, a autora inseriu muita coisa bem legal, mas pelo que percebi faltou explorá-las um pouco mais. Ainda assim, fiquei curiosa com o enredo, que me lembrou um pouco 8 Segundos da Camila Moreira (ao qual já li e amei).

    ResponderExcluir
  3. Gosto de livros hots. As cenas ficam bem reais quando bem escritas. Quando li o título já imaginei que teria um pouco de machismo, isso incomoda um pouco mas dá pra relevar. Me interessei em ler.

    ResponderExcluir
  4. Já tinha lido algumas resenhas sobre esse livro, pelo visto realmente é uma leitura agradável; mas acho que falta algo mais para me agradar.
    Acho interessante quando aprofundam os sentimentos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia e já adorei. É bem diferente dos livros que já li, esse mundo country é novidade e parece ser maravilhoso. São dois mundo diferentes que se encontram e se apaixonam mesmo no meio do caos, mas ainda assim o amor sempre prevalece. Quero muito ler.

    ResponderExcluir
  6. Oi Kamilla,
    Como não se apaixonar por um livro com peão? Não nego que adoro kkk
    Gostei da história se passar no Brasil, e li que usa gírias do local, amei isso, torna a história mais real, mais divertida de acompanhar. Claro que a princípio amei o livro pela capa, e pelo romance, acredito que esse casal tem muita água para rolar já que são opostos, espero que tenham aquelas “briguinhas” que tanto gosto, rs.
    Mesmo antes de ler torço para que Natália mude esse lado do pai, ou se livre dele, porque personagem machista ninguém merece…
    Se eu quero o livro? Sem dúvidas!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Historias com peões são legais e divertidas, é tão bom quando um livro surpreende ainda mais quando não esperamos. Gostei do romance por ter começado aos poucos, é bonito quando vão se conhecendo primeiro e vai surgindo uma amizade para depois surgir o amor. Fiquei interessada em ler, achei estranho essa relação do pai dela com ela.

    ResponderExcluir
  8. Sabe que eu adoro essa séries de irmãos? Parece que a gente acaba fazendo parte da família inteira, me sinto muito mais conectada à leitura! E claro, como não amar caubóis?
    Mesmo percebendo que é bastante clichê, já até imaginamos o rumo da história, gosto de ler algo assim, fica tudo tão leve. E melhor ainda é saber que tudo acontece aos poucos, com flertes, química e depois o amor, adoro ver esse desenvolvimento ;) Me interessei bastante pela obra. Beijos

    ResponderExcluir