20/12/2019

RESENHA: A Guerra Que Salvou a Minha Vida - Kimberly Brubaker Bradley

A Guerra Que Salvou a Minha Vida #1
Autora: Kimberly Brubaker Bradley
Editora: Darkside
Páginas: 240
Ano: 2017
Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com um “pé torto” como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus-tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
Os possíveis bombardeios de Hitler são a oportunidade perfeita para Ada e o caçula Jamie deixarem Londres e partirem para o interior, em busca de uma vida melhor.
Kimberly Brubaker Bradley consegue ir muito além do que se convencionou chamar “história de superação”. Seu livro é um registro emocional e historicamente preciso sobre a Segunda Guerra Mundial. E de como os grandes conflitos armados afetam a vida de milhões de inocentes, mesmo longe dos campos de batalha. No caso da pequena Ada, a guerra começou dentro de casa.
Ada é uma garotinha de aproximadamente 10 anos que mora com sua mãe e James, seu irmão mais novo... ela nunca saiu de casa, a mãe nunca permitiu por ela ser, segundo ela, uma inútil e um peso por ter um pé torto - e como a mãe não permite que ela ande, Ada se rasteja pela casa e por conta disto, ela só conhece o mundo que vê pela janela do minúsculo apartamento em que vive.

Um dia o James chega com a notícia que a segunda guerra mundial está começando e a escola com o apoio dos pais estão levando as crianças para o interior. A mãe deles está pensando se o James deve ir, mas já diz de antemão que a Ada não iria... afinal, deixar a filha aparecer para as pessoas era vergonhoso demais. Nossa protagonista decide fugir e ir junto com o irmão e é aí que a guerra começa a salvar a vida dela.
“Persistência era não desistir de tentar.”
Eu estava com uma expectativa gigantesca em cima desse livro e acreditem ou não, ele ainda conseguiu superar as minhas expectativas. Foi um livro que me tocou de uma maneira, é fato que a segunda guerra mundial foi um marco, mas também é fato que cada pessoa pode ter suas próprias guerras internas. Foi incrível acompanhar a Ada e seu irmão nessa jornada.

Os dois chegaram no interior e ninguém os queria, por isso eles foram levados para a casa de uma mulher, Susan, que aparentemente também não queria cuidar de ninguém, já estava passando por um período difícil, e não precisava ter mais responsabilidade cuidando de duas crianças. Mas acabou aceitando e foi a decisão que mudou a vida de todos.

O amor entre a Susan, James e Ada foi nascendo de forma bem gradativa, fomos acompanhando cada um dos três deixando os barreiras e muros caírem. Para Ada era inconcebível ser tratada bem, já que fora tão humilhada e ridicularizada pela própria mãe que ninguém poderia querer o bem dela... cada comida a mais, cada banho, cada menção que o pé torto poderia ser ajeitado, ela se fechava, tinha medo, aflição. Doeu muito essas cenas, porque acompanhar uma criança que acha que não merece o mínimo de conforto e afeto é angustiante.
“Era como se eu tivesse nascido ali na vila. Como se tivesse nascido com os dois pés bons. Como se fosse realmente importante e amada.”
A Ada sem dúvidas, foi uma personagem que me cativou bastante, eu só queria colocar ela no meu colo e cuidar, proteger. Uma criança de 10 anos se mostrou tão forte, tão guerreira e inspiradora que vocês não tem ideia... fiquei simplesmente encantada. Já a Susan foi a personagem que eu queria que tivesse mais destaque, queria saber mais da história dela, mas o que aconteceu e foi contado foi o suficiente pra ela ganhar a minha admiração. O pequeno James é uma graça, mas às vezes a inocência dele não permitia ele ver como de fato era as coisas e como a irmã era tratada pela própria mãe.

A Guerra Que Salvou a Minha Vida aborda bastante das guerras internas que travamos constantemente, mas com a segunda guerra mundial de pano de fundo. Então temos cenas que nos afligem, consequências dessa terrível guerra. Principalmente o final que é de tirar o fôlego e que nos deixa com saudades dos personagens, querendo mais. Não vejo a hora de poder ler A Guerra Que Me Ensinou a Viver.

Kimberly Brubaker Bradley soube criar uma história incrível, repleto de personagens maravilhosos e cativantes. Sem dúvidas, foi uma das melhores leituras do ano! Recomendo a todos que leiam e apreciem sem moderação esse livro maravilhoso.


12 comentários

  1. Fui lendo a resenha e olhando o meu livro ali na estante. Quando o comprei, não imaginei que seria tão maravilhoso e realmente, superou minhas expectativas também!
    Deu até aquele calor para conferir de novo(preciso urgente do segundo livro)
    Ada que nos salva! Sem perceber, ela nos tira de nós mesmos e nos joga na vida, onde reclamamos por nada e temos de tudo!
    A edição da DarkSide é um escândalo de linda e a obra está entre as mais lindas e intensas que já li na vida!!!
    Super recomendo a corações fortes!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela!
      É muito bom quando um livro é mais do que a gente espera, né? Também preciso do segundo livro!!!
      Beijos

      Excluir
  2. Olá! Ai meu Goku, o livro está na minha lista de desejados e eu quase consegui comprar nessa última BF, mas não foi dessa vez, no entanto estou louca (ainda mais depois dessa resenha), para me apaixonar e emocionar com a Ada e sua história tão sofrida, ter a segunda guerra como plano de fundo só deixa a leitura ainda mais atraente, espero poder conferir o mais breve possível essa grande lição sobre o que é o amor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eli!
      Eu tentei comprar por muito tempo, mas ficou um tempo fora de estoque, nem sei se voltou. Mas a história da Ada vale muito a pena.
      Beijos

      Excluir
  3. Eu amo esse livro!
    Ada me cativou com sua inocência, e a história dela é uma lição.
    Gosto de histórias que se passam em tempos de guerra N são tocantes e profundas.
    Muito lindo ver a relação da Susan com as crianças.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludy!
      É muito cativante mesmo ver a relação dos três ♥
      Beijos

      Excluir
  4. Kamilla!
    Fiquei imaginando o foi ter passado por tudo isso e ainda durante a guerra...
    Gosto muito de livros que tem como pano de fundo a guerra e ver uma protagonista tão inocente, inexperiente e sem amor, já que a mãe que deveria amá-la e ensiná-la, não o faz, traz uma história linda de conhecimento e superação que quero poder apreciar.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy!
      Se você curte, vai adorar esse livro. De fato, trás uma mensagem sofrida, mas também de superação.
      Beijos

      Excluir
  5. Olá Kamilla!
    Eu estou desejando ler esse livro, já li muitas resenhas e sempre são positivas e bem tocante. Uma historia que traz uma guerra e as pessoas que enfrenta isso e muito complicado. A trama é incrível, espero muito conseguir ler ano que vem.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  6. Oi, Kamilla
    Esse livro está na minha lista desde a primeira vez que assisti um vídeo de youtuber fazendo a resenha.
    Como é um livro Darkside além de lindíssimo é caro também, fui acompanhando os preços quando ficava barato o frente era salgado. Na Black Friday esgotou não acha por enquanto, assim que der vou comprar.
    Esse livro tem tudo que eu gosto a guerra como cenário e uma menina que aprende a viver e ser amada mesmo com sua deficiência no pé. Nossa que mãe que é essa , Deus me livre conhecer alguém que trata a filha assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Adorei a resenha, preciso fazer essa leitura imediatamente!
    Confesso que vivo me deparando com a capa desse livro, mas nunca tinha parado para ver sobre o que o mesmo falava, mas agora que sei, sinto que preciso fazer essa leitura o mais rápido possivel, parece o tipo de leitura que toca, que nos apegamos com afinco aos personagens e torcemos demais por eles!
    Que bom que esse livro supriu suas expectativas, é maravilhoso quando isso acontece! <3
    Muito obrigada pela indicação! Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oiii ❤ Nossa, depois de ler a resenha sinto que preciso começar a ler esse livro o mais rápido possível! Estou impressionada com quantas reflexões ele parece passar.
    Fiquei com o coração partido em saber que Ada é tão rejeitada e maltratada pela mãe, uma criança precisa brincar e não ficar trancada em casa, precisa ser cuidada e amada. Como alguém pode tratar tão mal a própria filha?!
    Estou tão curiosa para saber como será para a personagem e seu irmão fugir de casa e ir morar com Susan. E também para conhecer essa garotinha tão maravilhosa.
    Espero que Ada possa ser muito feliz e aprender que merece ser amada.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir