TOP 4: Livros nacionais que ganharam filmes

Olá leitores, como estão? Mais uma quarta e com ela o top 4, hoje o tema é: Livros nacionais que ganharam filmes. Escolhi esse tema porque dia 19/06 é comemorado dia do cinema brasileiro. Vocês sabiam disso? Eu confesso que não, a data é comemorada neste dia em homenagem ao primeiro cinegrafista e diretor do Brasil (Afonso Segreto), que registrou as primeiras imagens em movimento aqui em nosso país em 1898. Porém só foi no dia 05 de novembro onde aconteceu a primeira exibição publica no cinema. Legal né? Vamos ao top, então?! 

4. O DOCE VENENO DO ESCORPIÃO
O Doce Veneno do Escorpião foi um livro publicado pela Editora Panda aqui no Brasil em 2005, onde conta a história da ex-prostituta Bruna Surfistinha. Um livro interessante, se quiserem saber. O livro ganhou adaptação cinematográfica em 2011, onde foi estrelado por Deborah Secco. Cá entre nós, o filme foi muito romantizado pra real história da Bruna. Trailer | Livro.

3. MEUS 15 ANOS
Meus 15 anos é um livro da Luiza Trigo que virará filme, que estreia oficialmente amanhã - 22/06/17 e será estrelado por Larissa Manoela. O livro foi publicado pela Editora Rocco, pelo Jovens Leitores, em 2014 e conta a história de uma adolescente que ganhará sua festa de 15 anos com um super tema! Trailer | Livro.

2. TROPA DE ELITE
Tropa de Elite ficou conhecido pelos filmes onde mostrava a realidade crua das favelas, da sociedade e da polícia. Mas vocês sabiam que o filme estrelado por Wagner Moura era uma adaptação de um livro? Pois é... o livro foi publicado pela Editora Objetiva em 2006 e o filme só veio sair em 2007. Trailer | Livro.

1. O AUTO DA COMPADECIDA
O Auto da Compadecida ficou bastante conhecido pelo filme estrelado por Matheus Nachtergaele e Selton Mello, além de um grande elenco, com tiradas engraças e críticas para sociedade, o livro virou filme em 2000. O livro homônimo do Ariano Suassuna foi publicado pela primeira vez em 1962 pela Editora Agir. Trailer | Livro.
~~~
Já leram algum desses livros? ou assistiram a adaptação? Me contem! Particularmente adoro o filme de O Auto da Compadecida e Tropa de Elite.
Beijos
Leia Mais ›

Seriando #5 - Suits

Olá leitores! Como vão? A última vez que essa coluna apareceu por aqui foi no começo do mês passado né? Mas eu estava tentando colocar algumas séries em dia e optei por não fazer o Seriando de segundas ou terceiras temporadas, por motivo de: spoiler. A maioria não gosta, pra quê irei trazer não é mesmo? Agora estou trazendo os meus achados sobre a primeira temporada de Suits, essa série foi indicação do meu pai e não é que eu adorei?! 

SUITS
1ª Temporada
Episódios: 12
Estreia: 23 de Junho de 2007
Em fuga de uma transação de drogas que deu errado, Mike Ross (Patrick J. Adams), tendo abandonado os estudos, o rapaz não pode exercer a profissão de advogado, mas sua mente brilhante faz com que ele se torne parte essencial nos casos defendidos por seu chefe Harvey Specter (Gabriel Macht), um dos melhores advogados de Nova Iorque.
~~~
Harvey Specter é um famoso advogado, que ao virar Sócio do seu escritório terá que contratar um associado júnior, que obrigatoriamente terá que ter estudado direito em Harvard.

Mike Ross é um jovem que adora direito, tanto que já fez prova pra entrar em Harvard para outras pessoas, mas como ele não teve muitas oportunidades na vida, não pôde fazer pra si próprio. Ele vive assim, desses pequenos 'deslizes de caráter' para viver. Ele tem um amigo, o Trevor... que vende drogas e ele pediu que o amigo fosse levar uma mala cheia de drogas no mesmo prédio onde o Harvey estava fazendo a entrevista para associado Jr. 

Vocês devem estar pensando: Ah, ele fingiu para Harvey, Kamilla? Isso seria spoiler, não? Não queridos, porque quando Mike entra no escritório do advogado a mala de drogas se abre. Isso é tudo no primeiro episódio. Com uma memória fotográfica e inteligência maravilhosa, Harvey dá o benefício da dúvida para o Mike e eles começam a trabalhar juntos. 
Eu já havia comentado que gosto de séries policiais, advogados e mistérios, com pitadas de suspense. E essa tem tudo isso, o mais legal é que surge uma amizade entre o Harvey e o Mike, que se você analisar é bem improvável. Mas não menos real. O Mike vai crescendo bastante como profissional no decorrer da série, graças ao Harvey. 

O Harvey é bem razão, já o Mike é mais coração. E a parceria entre eles não poderia dar mais certo e foi uma das coisas mais gostosas de acompanhar. Cada um dando pitaco sobre como deveria se formar e dar andamento no caso, e quando se juntam parece que é o casamento perfeito. Sabe?!
E não é o só o Harvey e o Mike que são ótimos personagens não, todos os outros que aparecem são maravilhosos e engrandecem a trama. Donna, que é a secretária do Harvey é a melhor pessoa (e é só isso que comentarei, mas a considero pacas), Rachel que é uma assistente investigativa e que... hm, deixarei vocês descobrirem. Louis é um "inimigo" do Harvey no escritório, eles sempre estão em competição interna, mas do tipo saudável, ninguém boicota ninguém (não muito rs), ele é um dos personagem mais engraçados e por fim a Jessica que é a dona, que é uma mulher incrível. Esses são os personagens com maior destaque durante a primeira temporada e fiquei completamente apaixonada por eles. Todos esses citados.
A série em cada episódio tem um caso diferente e a história dos personagens principais vão se dissolvendo a partir deles. É muito bacana, que vamos conhecendo aos poucos, mas vamos também acompanhando os casos e como eles fazem pra resolvê-los. É uma série que já considero muito. 
ELENCO
A única atriz que me lembro ter ouvido falar foi a Rachel, porque ela está namorando com o príncipe da Inglaterra. Mas já lembro de ter visto a cara do Gabriel (Harvey), que é um homão da porr* e a atriz que interpreta a Jessica, Gina Torres, talvez por Xena, Hércules ou Matrix, não sei, mas já a vi. Ah, há uma personagem chamada Jenny, namorada do amigo do Mike, que é interpretada por Vanessa Ray que participou da série Pretty Little Liars como CeCe (e outro personagem que não pode ser mencionado). Todos foram incríveis, já quero assistir mais filmes/séries com eles. 
~~~
Espero que tenham apreciado a postagem de hoje. Já conheciam a série? 
Beijos
Leia Mais ›

Novidades Literárias #114 - Livro de Jennifer E. Smith ganhará adaptação; Série Príncipe Cativo; Paula Pimenta e mais...

Olá gente, tudo bem?! Mais uma novidades literárias no ar \o/
ATRIZ DE GILMORE GIRLS ADQUIRIU OS DIREITOS DE LIVRO DA JENNIFER E. SMITH
A atriz e escritora Lauren Graham que interpretou a Lorelai (a mãe) comprou os direitos de adaptação do livro Windfall da autora de A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista.
~~~
V&R EDITORAS PUBLICARÁ SÉRIE "PRÍNCIPE CATIVO"
A Editora V&R publicará o primeiro livro da série Príncipe Cativo do autor C. S. Pacat, cujo o título é O Escravo. O lançamento está previsto para Julho.
Damianos é um herói para o seu povo e o legítimo herdeiro do trono de Akielos. Mas, depois da morte do pai, seu meio-irmão toma o poder e o captura, vendendo-o como escravo. O guerreiro é obrigado então a servir a Laurent, o príncipe de Vere, a poderosa nação inimiga.
Para manter em segredo sua verdadeira identidade e as marcas que escondem seu passado, Damen – como também é conhecido – aceita a condição submissa.
Mas Laurent é o que há de pior na corte de Vere. E, como nos meios políticos nada é o que parece ser, Damen é obrigado a estar ao lado do tirano manipulador, ainda que ele o odeie mais do que a qualquer pessoa.
Laurent e Damen têm consciência de que não são sentimentos nobres que os aproximam, mas o desejo de supremacia que está na origem da discórdia entre as duas nações.
Com um ritmo de tirar o fôlego, Príncipe Cativo: O escravo é uma narrativa que coloca em questão temas políticos e culturais. Uma saga épica, ao estilo de "Game of Thrones", que entrelaça de maneira brilhante jogos de poder e sedução.
~~~
MINHA VIDA FORA DE SÉRIE - 4ª TEMPORADA JÁ TEM DATA DE LANÇAMENTO
A Editora Gutemberg e Paula Pimenta divulgaram em suas redes sociais a sinopse (que verão logo abaixo) e a data do lançamento do livro que está previsto para o final do mês de agosto. 

Já a sinopse vocês conferem agora :)
Após um traumático término de namoro, Rodrigo e Priscila seguem seus caminhos separadamente. Enquanto ela parte rumo à Nova York para tentar uma nova vida, Rodrigo quer esquecer tudo que passou e viaja para o Canadá, onde encontra os irmãos. Mas algumas lembranças são difíceis de apagar, e deixá-las para trás é muito mais complicado do que ele poderia imaginar.
Será que novos amores teriam o poder de curar seu coração? Ou ele precisa confrontar de vez o passado para finalmente se libertar?
~~~
RAPIDINHAS
PIANO VERMELHO: A Editora Intrínseca divulgou um dos seus lançamentos de Julho, Piano Vermelho é do Josh Malerman, mesmo autor de Caixa de Pássaros e deve chegar nas livrarias no dia 05 de Julho.
SEMPRE VIVEMOS NO CASTELO: Suma das Letras anunciou o lançamento de Shirley Jackson para Julho. É um livro que tem horror, morte e mistérios.
TODAS AS CONSTELAÇÕES DO AMOR: A Bertrand Brasil divulgou o lançamento do livro de Lydia Netzer. O livro já está disponível e se trata de um romance, com ficção científica.
~~~
E aí, gostaram das novidades? Hoje não foram muitas, né? Mas foram boas!
Beijos
Leia Mais ›

Assistindo & Apreciando #15 - Moana

Moana - Um mar de Aventuras
Estreia mundial: 23 de Novembro de 2016
Estreia no Brasil: 05 de Janeiro de 2017
Duração: 113 minutos
Classificação: Livre.
TRAMA
Moana Waialiki é uma corajosa jovem, filha do chefe de uma tribo na Oceania, vinda de uma longa linhagem de navegadores, que é seu maior hobbie e, também, trabalho. Querendo descobrir mais sobre seu passado e ajudar sua família, ela resolve partir em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica que ninguém sabe onde é. Com a ajuda do lendário semideus Maiu, Moana começa sua jornada pelo mar aberto, onde vai enfrentar criaturas marinhas e descobrir antigas histórias do submundo.
~~~
Eu sou do tipo daquelas adultas (que nem me considero muito adulta assim) que adora um filme de animação e óbvio que eu iria assistir Moana. Eu já tinha lido algumas coisas superficialmente sobre a trama, mas nunca tinha me atentado a nada.
Moana é uma jovem, filha única, cujo seu maior sonho é conhecer o mar... e as suas riquezas e belezas. Mas seu pai não quer, por inúmero motivos... o principal dele é que como ela é filha única, o seu dever é ficar na ilha e cuidar do seu povo. Com a ajuda da sua avó paterna, ela descobre que a linhagem da família na verdade é de navegadores e exploradores do mar.

Os moradores da ilha estão com sérios problemas... não encontram mais peixes e as árvores não estão dando tantos frutos. E tudo isso é culpa de uma maldição, culpa do Maui que roubou o coração da deusa Te Fiti. Moana resolve então ir atrás do Maui e junto com ele levar o coração de volta para deusa. Obviamente que isso trará grande emoção, ação e cenas engraçadas.
O filme é da Disney, como bem sabe, mas não tem aquela de princesa bonitinha que não vai a luta. Aliás, os últimos filmes da Disney estão fugindo disso justamente porque mulheres, meu bem, não são princesinhas, são mais que isso: são guerreiras. E isso fica claro em Moana.

A nossa protagonista tem seus medos e receios, porque faz parte da condição da espécie humana. Mas ela é destemida, luta pelo que quer e pelo que acha certo. Contudo, o que mais chama a atenção em todo o enredo (para minha pessoa, deixo claro) é o emponderamento das mulheres, que é algo bastante atual e falar indiretamente sobre o machismo.
Creio que desde Frozen vem surgindo discussões a respeito desses filmes de animações sobre os temas referidos. Em Moana, ela não precisa de nenhum homem pra provar o quão é importante pra trama. Não precisa ser beijada pra viver (beijo Branca de neve), por exemplo, aliás nem esperem que tenha romance nesse filme porque o foco não é esse... é a Moana. Ponto.

Quantas de nós mulheres não temos que acordar cedo pra ir trabalhar? quantas outras tem que cuidar da casa e dos filhos? de tudo isso? Elas são guerreiras e incríveis, correto? Gostei bastante dessa descaracterização de princesa que a Disney fez. Citei sobre o machismo, li um texto incrível sobre (esse) e que me fez gostar ainda mais do filme... Maui se mostrou algumas vezes bem idiota, interpretando que Moana não conseguiria fazer, não fica explicito que não conseguiria fazer por ser mulher, mas tem coisas que nem precisa né?
O filme é ótimo, e eu gostei extremamente. Trás muitas questões atuais, incluindo os mais simples como o amor pelos pais, a força de querer e amizade. Falando em amizade, o Maui amadureceu no decorrer do filme e se tornou um amorzinho pra mim. Outros personagens não tiveram muitos destaques, mas ganharam o  meu coração... a primeira delas foi a avó paterna da Moana, que é taxada como louca, mas na verdade é super inteligente. Outros dois personagens que cito é o frango e o porquinho só porque são amorzinhos.
CONCLUSÃO
Moana trás temas atuais, mas de forma simples e cativadora. É um filme de animação e faz jus, é fofo, é meigo e apaixonante. Vale a pena ser assistido.
~~~
Espero que tenham gostado :)
Beijos
Leia Mais ›

RESENHA: Quando a bela domou a fera - Eloisa James

QUANDO A BELA DOMOU A FERA
Autora: Eloisa James
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Edição: 1
Ano: 2017
Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.
Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.
No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

A única coisa que eu sabia da história era que o livro era uma releitura de A Bela e a Fera e que a Fera da história parecia o Dr. House. Será que essa mistura deu certo?

Linnet é uma bela mulher, inteligente e que ama ler e que viu sua reputação ir por água abaixo por causa de seus flertes com um príncipe, que nitidamente não poderia ficar com ela - já que não tinha um título suficiente pra casar com ele. E após usar um vestido um pouco mais bufante, a sociedade londrina começa a achar que ela está grávida dele, porém não é nada disso, Linnet nunca teve nada além de alguns beijinhos, beijos esses que nunca a fez sentir nada. Sua tia então tem a ideia de casá-la com um cara solitário que mora em Gales, um conde que é conhecido como Fera.

Piers Yelverton, o conde de Marchant, é um homem que tem uma deficiência na perna por causa de um acidente que sofrera quando pequeno, por isso ele sente dores fortes e anda com uma bengala, mas esse acidente também culminou na vontade dele ser médico, um dos melhores - na concepção dele é o melhor. Ele viu seus pais se separarem (naquele século não era uma coisa normal), mas por um motivo posteriormente nos apresentado, mas que resultou na não vontade dele em casar e ter filhos. O pai dele então resolve levar pra ele uma noiva, Linnet. 
— Ah, mas eu acho que somos perfeitos um para o outro — disse ela, só para cutucá-lo.— Um médico totalmente maluco — esse sou eu — e uma beldade terrivelmente conivente — essa é você — mancando juntos rumo a vida de felicidade? Duvido muito. Você tem lido contos de fadas demais.
Piers que a nossa Bela seria uma mulher fútil, chata e já imaginava que a mandaria embora assim que chegasse, porém Linnet não se intimidava com a Fera, pelo contrário, rebatia e respondia do mesmo jeito a ele. E disso começam a sentir algo por outro. Vocês já devem imaginar como a história termina, já que é uma releitura de Bela e a Fera, mas como será esse desfecho?

Eu não esperava muito do livro, porque apesar de amar romances de época, já tinha lido algumas resenhas não tão positivas sobre a obra, mas pra falar a verdade super me surpreendi e amei completamente a história. O Piers de fato lembra muito o Dr. House, mas como nunca acompanhei a série, não liguei muito os personagens (além da arrogância, sarcasmo e a deficiência), em Quando Bela Domou a Fera achei bem cômico a forma dele ser e poucas pessoas ao redor se sentiam ofendidos, porque ele era como era. Gostei bastante dessa construção, porque imagine como ficaria uma história chata se todo mundo ficasse ofendido o tempo todo com o jeito dele, ele só fala o que pensa e por isso era considerado a Fera. Já a Linnet era uma dama que ama ler e lê de tudo, é prestativa e inteligente, mas que não é aquelas mocinhas quietas e que não tem opiniões, pelo contrário ela tem e não deixa de expor o que pensa, quando é preciso, mas é bem mais comedida do que o Piers - não com ele, obviamente. 
A relação deles começou apenas com diversão, mas ambos já estavam encantados um com o outro. Só que eles tinham a carga de seus problemas que dificultava a construção dessa relação, Linnet tinha seus problemas com sua mãe - que já falecera - e o Piers, com seu pai. Falando nele, achei uma coisa super interessante na história, a autora focou também nos pais do Piers, o que achei muito legal, porque no decorrer da história ficamos com aquele gostinho de saber o que está acontecendo com eles, e autora não decepcionou e nos apresentou o que estava acontecendo. Outro fato interessante na obra é como a medicina foi abordada, como lidavam com os pacientes e as doenças.

Quando a Bela domou a Fera é um livro bem gostoso de ler, é divertido, contagiante e que tem um casal muito cativante. É muito bom ver os dois se conhecendo e o sentimento se formando.  Não imaginava gostar tanto dos personagens, como gostei - de praticamente todos. A história também tem momentos de seus dramas, principalmente no final, que cá entre nós foi surpreendente pra mim. 

Sobre os detalhes: A capa é linda e com um toque aveludado, daqueles que você tem vontade de ficar alisando. A diagramação está ótima e tamanho da fonte também, não encontrei erros. 

Comentário final: Se você gosta de romance de época, de histórias com aquele gostinho de comédia romântica e personagens e história completos e bem construídos, você vai adorar Quando a Bela domou a Fera. 
Leia Mais ›

TOP 4 CAPAS: Percy Jackson

Oi leitores, tudo bem com vocês? Mês passado eu recebi a sugestão de colocar Percy Jackson aqui no top 4 capas, não lembro de quem veio a ideia, mas meu muito obrigada pela sugestão. Creio que todo mundo já ouviu falar, mas muitos - como eu - ainda não leu.

O Ladrão de Raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade. O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos - jovens heróis modernos - terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.
O livro tem várias capas aqui no Brasil, todas publicadas pela Editora Intrínseca. A primeira e a segunda capa foi publicada em 2010, segundo o Skoob. Já a terceira só veio a ser publicada em 2014. Os livros tem aproximadamente 400 páginas e possui uma média de 4.4 de 81.128 no Skoob.

CAPAS GRINGAS
INDONÉSIA: Eu acho essa capa muito estranha, não conheço bem a história, mas acho que ela não seria a mais ideal para o livro, até porque o foco é para os mais jovens e esse aí fica algo sombrio demais. 
ESPANHA: Essa segue o formato de capas desse primeiro livro. Achei as cores ótimas, mas não curti o modelo, ficou estranho. 
ESTADOS UNIDOS: Essa capa é bonita, gosto dela. Acho que o modelo está melhor posicionado na capa e as cores também são mais escuras e ao meu ver, mais bonitas.
ROMÊNIA: Eu sei que Poseidon é o pai de Percy (nem sei se isso é spoiler) e creio que seja ele na capa. Mas a história não tem o foco no fato de Percy ser um semi-deus e ele ter que enfrentar alguma batalha? Creio que não combina muito então. 
~~~
A minha capa preferida entre as gringas sem dúvida é a dos Estados Unidos, gosto bastante das cores. Mas também curti a da Espanha. Agora me tirem uma dúvida, a camisa laranja tem algo a ver com a história? Das quatro capas, três tem essa bendita.

E vocês, de qual capa gostaram mais?
~~~

A capa ganhadora foi a da Itália, com 54,5% dos votos. Em segundo lugar ficou a da Hungria.

Relendo o último top 4 capas referido percebi que a pessoa aqui esqueceu de colocar o resultado do top 4 capas de Pretty Girl-13 e olhem que eu fiz tudo, a imagem do resultado e fechei o formulário por exemplo, mas esqueci de colocar no post e acabei apagando. Duas capas ficaram empatadas no primeiro lugar: Alemanha e Suécia, com 38,1%.  Eu esqueci de postar o resultado do top 4 capas Álbum de Casamento também, e a capa que ganhou a da Indonésia. Me desculpem pelo esquecimento, tentarei não esquecer mais! :p
~~~
Beijos
Leia Mais ›

PAGINAÇÃO